Rádio Najuá

Feira de Inovação e Empreendedorismo é realizada em Irati

08/11/17 - 16h08 - Atualizado em 08/11/17 - 16h08

Paulo Henrique Sava

PUBLICIDADE
O pavilhão de exposições João Wasilewski, no Parque Aquático, recebeu nesta terça-feira, 07, a 1ª edição da Feira de Empreendedorismo e Inovação de Irati. O evento foi realizado em parceria entre as secretarias municipais de Indústria e Comércio e de Educação, o SEBRAE, a ACIAI e instituições de ensino do município.

Participaram do evento alunos do Colégio SESI, do IFPR, do Centro Florestal de Educação Profissional Presidente Costa e Silva, do Senac, do campus da UTFPR de Ponta Grossa, dos colégios estaduais Antônio Xavier da Silveira, Duque de Caxias e João XXIII, além de escolas municipais de Irati.  

Durante a abertura da feira, o prefeito Jorge Derbli (PSDB) anunciou que foi encaminhado para a Câmara um projeto de Lei denominado de “Lei da Inovação”, que deve incentivar a criação de projetos inovadores no empreendedorismo e na área tecnológica do município.

Ao todo, alunos de todas as instituições apresentaram 30 projetos de inovação e tecnologia, que foram avaliados por um grupo de jurados que participou do evento. Eugênia Jucici, consultora credenciada do SEBRAE em Irati, comenta que a feira surgiu de um trabalho realizado com o comitê gestor que busca a complementação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa no município. “Este comitê gestor está organizado em câmaras temáticas, sendo que cada uma delas tem um planejamento. A Câmara Temática de Inovação e Educação Empreendedora foi quem organizou o evento, com várias entidades e escolas envolvidas. O sucesso do evento se deve à parceria entre estas entidades”, comentou. 

Kaiolaine Amaral, representante da Secretaria Municipal de Educação, comenta que a secretaria apresentou o projeto SEBRAE, no qual alunos das escolas municipais estão aprendendo a fazer hortas comunitárias e a produzir cupcakes e pizzas. “Eles estão aprendendo todas estas coisas na escola mesmo, e trouxeram para a feira todos os projetos e trabalhos que foram apresentados pelas escolas do município. São coisas inovadoras, muitos projetos, com a ajuda do SEBRAE, a gente vai enviar para a incubadora de projetos e ideias. Vai ser um passo gigantesco porque estas ideias são muito boas mesmo e tem muitos deles que a gente precisa o mais rápido possível na cidade”, frisou. 

Kaiolaine citou como exemplo de projeto um aplicativo de celular para facilitar o contato entre agricultores e donos de estabelecimentos comerciais. “A ideia é que este aplicativo seja instalado na Secretaria de Agricultura, onde os agricultores poderão se cadastrar. Os supermercados e a prefeitura terão acesso, para saberem o que o produtor oferece, que época o produto estará disponível para compra. No aplicativo, isto será mais fácil para todo mundo, até mesmo para os agricultores apresentarem o que tem na propriedade”, comentou. 

Fotos: Paulo Henrique Sava


Projetos apresentados

A reportagem da Najuá teve a oportunidade de conhecer alguns projetos. Entre eles, os alunos João Victor e Douglas, do Colégio Sesi, apresentaram uma mesa com dois robôs, programados para executar algumas provas. Um deles possui duas garras: uma para empurrar ou pressionar uma descarga de água por exemplo. Os robôs foram produzidos exclusivamente com peças plásticas de encaixe.

As alunas Fernanda Seguí, de 16 anos, e Janaína Minella, 15, falaram sobre o projeto de fabricação de uma garrafa pet feita com o mesmo material biodegradável utilizado para a confecção de cápsulas de medicamentos. “Ela não se dissolve com a água, mas como a cápsula do remédio, com o suco gastrointestinal. O que tem dentro do nosso estômago tem um PH um pouco mais elevado. Esta garrafa, em contato com a terra, que tem um PH maior, irá se dissolver. Na dissolução dela, haveria um compartimento onde seriam colocadas sementes de árvores que, dissolvendo-se a garrafa, iriam nascer, e não teríamos problemas de garrafas jogadas na rua, de o plástico demorar para dissolver, entre outros”, comentou Fernanda.  

Janaína comenta que a ideia surgiu durante uma atividade de sala de aula, que tinha como tema o meio ambiente. Ela diz que o grupo que criou a garrafa utilizou como base um cigarro que tem uma semente de flor. Quando a bituca é jogada no meio ambiente, ela se dissolve e a flor nasce. “A gente levou como base a garrafinha, que é uma coisa que todos utilizam no dia-a-dia. Modificamos a ideia da garrafa e unimos o útil ao agradável”, pontuou. 

Márcio Piala, que representou o Senac na feira, destaca que o evento buscou mostrar o potencial dos estudantes das várias instituições de ensino do município. Entre os cursos apresentados pela instituição, o Senac apresentou o curso de cuidador de idoso e um aplicativo sobre cuidados em casas hospitalares e nos postos de saúde. “São os procedimentos de higiene das mãos e cuidados com os calçados e o avental. Este é um projeto que os alunos do curso Técnico em Enfermagem estão desenvolvendo. Esperamos dar este primeiro passo e, futuramente, se tiver alguma empresa interessada, é um projeto muito bacana”, frisou. 

Ricardo Schoab Carvalho, acadêmico da UTFPR Campus Ponta Grossa, apresentou um avião controlado via rádio, que integrou a competição “Sci Aerodesign Brasil”, que aconteceu em São José dos Campos, interior de São Paulo. “Ele foi planejado para a competição. O modelo dele foi feito para suportar a maior carga possível. Como o regulamento é anual, neste ano a gente fez um avião de modo que coubesse em um cone, com dimensões dadas pelo regulamento. Conseguimoes levar 6,5 kg validados, e estamos esperando a classificação para sabermos em que colocação ficamos”, comentou. 

Lei da Inovação será apreciada pela Câmara

O secretário de Indústria e Comércio, Luiz Antônio Andreassa, o Ico, comenta que a Feira foi um verdadeiro sucesso. Ele ressaltou também a importância do projeto da Lei da Inovação, enviado pelo prefeito Derbli para a Câmara. “É importante que o doutor Robson (Krupeizaki, procurador do município) e o Edélcio (Stroparo, professor da Unicentro e responsável pela Sociedade Educacional Irati) tenham feito este projeto que vai dar sustentabilidade à feira, que vai se organizar mais ainda para os próximos anos. Esperamos que, com esta feira, com estes inventos, possamos ter um avanço para as empresas. Um menino destes pode patentear e fazer sucesso com seus inventos”, finalizou.

PUBLICIDADE