Futebol / Esportes

07/12/16 - 02h32 - atualizada em 07/12/16 às 12h31

Diretoria do Azulão recebe jogadores e familiares para jantar comemorativo

Confraternização celebrou o ano de êxitos para o Iraty, que comemora o retorno ao futebol profissional e a ascensão à Segundona do Paranaense

Edilson Kernicki, com reportagem de Tadeu Stefaniak

Jantar aconteceu na sede social do Iraty, na noite de segunda-feira, 5
Em 2016, o Iraty Sport Club apostou todas as fichas no resgate do futebol profissional e foi coroado de êxitos com a ascensão do clube à 2ª Divisão do Campeonato Paranaense. Além disso, neste domingo (4), o Azulão encerrou sua participação na disputa com o vice-campeonato, quando empatou com o União por 3 a 3, em Francisco Beltrão.

Na segunda (5) à noite, a diretoria do Iraty reuniu jogadores, familiares e convidados para um jantar de confraternização. O presidente do clube, Marcos Marques, pontua que este é um momento festivo e a sensação é de dever cumprido. “Iniciamos um projeto que não era para ser feito neste ano. Mas pela empolgação, pela colaboração que inicialmente tivemos, entramos na ‘brincadeira’ e chegamos a alcançar nosso objetivo”, resume.

Mesmo contente com a ascensão do clube à 2ª Divisão, Marques admite que o objetivo era também ser campeão. “Não foi por falta de empenho ou de determinação dos nossos jogadores. Esse vice-campeonato é também muito importante, é o primeiro troféu da nossa gestão e esperamos que venham muitos por aí”, frisa. O presidente fala, ainda, que a torcida não só do Iraty como a dos demais clubes que disputaram a 3ª Divisão Paranaense deveria se espelhar na população de Francisco Beltrão, que deu um “empurrão” essencial para elevar o moral do time, que se sagrou campeão.

Jogadores do Sub-19 que fizeram parte do elenco na terceira divisão do Paranaense
A diretoria ainda não sabe adiantar a situação do clube para 2017, quando disputa a 2ª Divisão, pois reservou alguns dias para descanso antes de se reunir formalmente com o presidente do Conselho Deliberativo do Iraty, Sérgio Malucelli, para debater o apoio ao clube no próximo ano. Além disso, a diretoria deve planejar estratégias para atrair patrocinadores. “Antes, precisamos montar um projeto. Desta vez, organizado e estruturado”, completa.

O treinador Play de Freitas considera que, pelo trabalho executado tanto pela comissão técnica quanto pelos próprios atletas, o Iraty era capaz de ir além. A comemoração, segundo ele, serve para enaltercer o empenho dos jogadores durante o ano. “Acho que precisaríamos de coisas melhores e maiores, mas, enfim, tanto eu quanto os atletas somos agradecidos pela oportunidade e ter conquistado o acesso à 2ª Divisão, com toda a dificuldade que todos estão sabendo, não há o que esconder. Houve o trabalho em campo, o trabalho dos jogadores e o empenho de todos, de uma forma geral, da diretoria e das pessoas envolvidas, dentro das possibilidades, com muito amor, com muita vontade, conseguimos o acesso, que foi o mais importante”, pondera Play.

Troféu destinado ao Iraty pelo vice-campeonato da terceirona
Sobre o futuro no clube, o treinador explica que é preciso aguardar a decisão do Sub-19 contra o J. Malucelli, nesta quarta (7), antes de qualquer definição. “Depois, sim. Vamos procurar classificar o Sub-19 para a final do campeonato. Se nós conquistarmos essa classificação, aí temos mais alguns dias para trabalhar e para repensar no adversário. Depois desse trabalho, sentar e fazer um balanço do que foi feito e programar a temporada de 2017, que eu tenho certeza de que a diretoria vai se empenhar para isso e traçar planos para o ano que vem”, conclui.

O atacante Grafite, artilheiro da terceira divisão do Campeonato Paranaense, cita que o elenco precisou enfrentar as limitações estruturais do clube ao longo do ano e que, apesar disso, o Iraty obteve o acesso à 2ª Divisão. Por isso, ele considera que a equipe foi a campeã moral, apesar de ter ficado com o vice-campeonato. “Conseguimos um objetivo maior, que é o acesso. A festa é de acordo com o que foi todo o campeonato, uma coisa simples. Estamos comemorando igual. Isso, para nós, já é um título. A partir do momento que subimos [de Divisão], já era um título”, comenta.

Familiares dos atletas também participaram da confraternização
Grafite cobra apoio da torcida e do empresariado. “Ficou o aprendizado para a torcida do Iraty: se vocês querem futebol, vocês têm que ser mais presentes, vocês têm que apoiar mais, os empresários têm que apoiar mais”, diz.

“Subi o time, cheguei na final, fui vice-campeão. Para mim, foi muito satisfatório ver um time que estava praticamente acabado, no fundo do poço, desacreditado, e conseguir reerguer o clube. Conseguimos botar o time na 2ª Divisão e esperamos, de coração, que no ano que vem o Iraty venha mais forte, com uma estrutura melhor que foi esse ano. Particularmente, eu estando aqui ano que vem ou não, espero que o Iraty consiga o acesso à 1ª Divisão”, torce.

O atacante atribui grande parte do mérito pelo êxito do time no campeonato à atuação do goleiro Doni. Ele agradeceu sua participação no campeonato e diz que foi um prazer e uma honra trabalhar ao lado dele e ter o goleiro como “paredão”.

Repórter Tadeu Stefaniak segurando o trófeu de vice-campeão e a medalha destinada aos atletas do Iraty
O goleiro Doni retribui o elogio e enaltece a parceria com o atacante Grafite. “Muitos jogos que ganhamos foi de 1 a 0 e com gol dele. Ele ajudou muito o Iraty Sport Club a subir. Lógico que todos os atletas tiveram sua participação e colaboraram da melhor forma possível”, afirma.

“A camisa que vestimos no Iraty é muito forte. Então, acredito que no ano que vem, com estrutura melhor, eles vão colocar a equipe na 1ª Divisão. Acredito que os atletas vão voltar, esses atletas guerreiros que estão aqui. Peço que a diretoria, no ano que vem, reconheça esses atletas, esses jogadores que estão aí, para recompor a equipe no ano que vem. Está todo mundo de parabéns. Fomos vice-campeões? Não, fomos campeões, porque tirar leite de pedra é difícil. Somos verdadeiros campeões”, finaliza.




Comentários

Enquete

Supermercados abertos em domingos e feriados é uma boa ideia?

  • não
  • sim
Resultados