Geral / Esportes

25/01/18 - 12h50 - atualizada em 25/01/18 às 13h04

André Demczuk anuncia transferência da Assifusa para Ponta Grossa

Associação fechou parceria com a Fundação Municipal de Esportes de PG para disputa da Série Prata do futsal. André Demczuk, o Dedé, alega que falta de apoio motivou saída da equipe de Irati

Paulo Henrique Sava

Na semana passada, a Associação Iratiense de Futsal (Assifusa) firmou parceria com a Fundação Municipal de Esportes de Ponta Grossa para disputa do Campeonato Paranaense de Futsal pelo município vizinho. Além disso, a equipe deve disputar também os Jogos Abertos do Paraná neste ano. O time passará a se chamar Novo Futsal PG. O anúncio foi feito durante reunião realizada na sala de reuniões da Prefeitura de Ponta Grossa. O evento contou com as presenças do prefeito Marcelo Rangel (PPS), de representantes do Legislativo e representantes do novo PG Futsal e da Assifusa, representada pelo presidente Carlos Daniel, o Cajão.

O ex-técnico da Assifusa, André Demczuk, o Dedé, concedeu entrevista à Najuá. Ele explica que a falta de apoio do empresariado e do poder público municipal motivou a paralisação das atividades da associação em Irati e a sua transferência para Ponta Grossa. “A gente não tem mais condições de tocar um projeto com o futsal aqui em Irati. O nosso esporte iratiense está bastante à míngua, e acho que não é só o futsal, mas é o handebol, o basquete, o tênis de mesa, e nesta dificuldade, temos os nossos trabalhos, deveres e famílias, e sentimos a necessidade de dar um tempo. Paralisamos o projeto para 2018 e, no meio desta paralisação, recebemos o convite de PG para fazermos uma parceria”, frisou. 

De acordo com Dedé, o time pontagrossense vai jogar a Chave Prata com a vaga da Assifusa, porém houve o pedido para que a Associação se transferisse para Ponta Grossa. Dedé lembrou que a Assifusa tem um nome já reconhecido no futsal paranaense e também possui títulos de utilidade pública, além de tempo suficiente para conseguir utilidade pública estadual e federal, tendo condições para receber subvenções e investimentos do Poder Público.  

“Eles (Novo Futsal PG) têm uma força política muito grande lá. Tivemos reuniões com o prefeito, que é quem mais quer o futsal em Ponta Grossa, e isto é uma coisa que por aqui nós temos um sério problema, pois o prefeito (Jorge Derbli) não gosta de esportes. Então, nós vimos uma janela aberta para que o projeto continuasse. Já está tudo pronto, a assinatura do convênio foi feita na semana passada, em que o nosso presidente Cajão esteve presente em um evento muito legal, no qual o nosso trabalho foi muito elogiado, e ficamos muito contentes com a forma com que ele foi lembrado”, comentou Dedé. 

Ele ressaltou que toda a diretoria da associação será renovada. Porém, tanto Dedé quanto Cajão estarão prestando apoio para o Novo Futsal PG. Dedé será uma espécie de auxiliar técnico da equipe. Ele comentou que muitos empresários, secretários e estiveram também reunidos no dia da apresentação da nova parceria. Desta forma, Dedé acredita que o projeto do Novo Futsal PG poderá sair do papel. “A gente acredita que foi uma escolha certa e que vai ter tudo para que o projeto da Assifusa continue trilhando um caminho de sucesso no esporte do nosso estado”, pontuou. 

Parceria entre a Assifusa e a Fundação Municipal de Esportes de Ponta Grossa foi firmada na semana passada

Dedé chegou a receber o convite para ser o treinador da equipe, mas resolveu não aceitar por conta dos transtornos causados pelo deslocamento diário entre Irati e Ponta Grossa. Além disso, ele decidiu dedicar mais tempo para a família e os negócios que possui em Irati. “Convidaram também o Cajão para fazer parte, mas pelos mesmos motivos ele não vai. A gente vai ajudar, mas um pouco mais de trás, não estaremos à frente do projeto como estávamos aqui em Irati. O Antoninho (Antônio Martins de Albuquerque) também não vai ajudar, pois está no Iraty, e mais algumas pessoas que fazem parte estarão ajudando nos bastidores, mas um pouco mais afastadas neste ano”, destacou.  

O treinador da equipe será Carlos Malaquias, mais conhecido como “China”, que jogou na Assifusa entre 2004 e 2005 e comanda atualmente o time de futsal feminino de Ponta Grossa, que também disputará o campeonato estadual em 2018. No próximo dia 03 de fevereiro, a diretoria do Novo Futsal PG fará uma peneirada para selecionar atletas da região dos Campos Gerais que atuarão na equipe. Além disso, todos os atletas terão treinos diários, em dois períodos. “É uma estrutura boa e a gente acredita que vai dar frutos para frente”, comentou.

Dedé lamentou a falta de apoio empresarial e do poder público para a manutenção da Assifusa em Irati

Elenco 

Sobre o elenco, Dedé comenta que serão utilizados alguns jogadores das categorias de base de Ponta Grossa. Também estarão à disposição alguns atletas que já jogaram a Chave Ouro e a Chave Prata. Do elenco que disputou a Prata em 2017 pela Assifusa, apenas Fernando e Leandro serão aproveitados. “Existiam outras possibilidades, mas neste ano será montado um time que possa treinar os dois períodos com todos os jogadores, então acabou que alguns atletas não poderão estar presentes”, comentou. 

Entre os principais atletas, estão Claudinho, de Imbituva, que estava disputando a Liga Nacional, além de outros jogadores que devem chegar em breve. “A coisa está trilhando por um bom caminho. Vai ser uma equipe bem competitiva para buscar um acesso à Chave Ouro”, ressaltou.  

De acordo com Dedé, o corte de recursos do repasse que seria feito pelo Executivo municipal foi um dos fatores que mais pesou na decisão da Assifusa de se transferir para Ponta Grossa. “Tivemos uma promessa quando da eleição desta nova administração, tivemos várias reuniões e nos foi prometida a manutenção da subvenção que era vinda. No início do ano passado, ela caiu um pouco, o que nos foi avisado em cima da hora, e na hora de o projeto ir para a Câmara de Vereadores, ela caiu para menos da metade do valor inicial. Isto dificultou o nosso trabalho do ano passado”, desabafou. 

Conforme Dedé, o atraso no repasse da subvenção, que anualmente era feito no mês de março, também acabou causando dificuldades para a Assifusa. “No ano passado, chegamos ao mês de abril e ela (subvenção) não tinha sequer ido para a Câmara ainda. Não sabemos o motivo, não fomos procurados e não nos foi dado nenhum retorno do Poder Executivo em relação a isso, o que dificultou o nosso trabalho, pois tínhamos que comprar material, pagar professores, fazer outras situações e acabamos abrindo mão. Depois, veio a primeira parcela da subvenção para que pudéssemos pagar os materiais. Do restante da verba, abrimos mão, assim como do trabalho com as categorias de base”, frisou. 

Dedé destacou que o trabalho com as categorias de base em Irati foi repassado para a Associação Desportiva Iratiense, criada recentemente no município. “Acabou pesando porque hoje, infelizmente, a gente não pode confiar no Poder Público. Não temos nenhuma garantia, e colocarmos o nosso nome, o nosso trabalho dentro de uma cidade pequena e ser cobrado por tudo isto fica difícil. Abrimos mão no ano passado, e em 2018 abrimos mão do restante do projeto aqui na cidade, com muita tristeza e pesar, com o coração doído mesmo, pois foram quase 12 anos à frente deste projeto. Esperamos que ele continue, que pelo menos nas categorias de base a associação que assumiu não deixe de fazer o trabalho, e principalmente que, além de não deixar de fazer o trabalho, que pense naqueles que têm menos recursos, naquelas crianças que realmente não têm condições de pagar, de comprar um uniforme, que elas sejam atingidas mesmo”, comentou. 

Atualmente, a nova escolinha conta com aproximadamente 300 crianças em Irati. Em Ponta Grossa, o Novo Futsal PG irá realizar um trabalho com as categorias de base. Serão criados times com atletas sub-13, sub-15 e sub-17. “Aos poucos, vamos equilibrando isto. Estamos tentando repassar a nossa experiência daqui para eles, para que possa ser feito um projeto legal como tinha aqui. Acreditamos que ainda neste ano, estas escolinhas devem se estender pelo menos até o sub-11”, finalizou.  

Outro lado

Procurado pela reportagem, o secretário de esportes de Irati, Antônio Celso de Souza, o Xoxolo, não quis gravar entrevista. Ele disse que o valor prometido para a Assifusa, que segundo Dedé, inicialmente seria de R$70 mil, acabou sendo reduzido por conta das dificuldades financeiras enfrentadas pelo município. Além disso, o secretário explicou que as subvenções, desde o ano passado, devem ser feitas pelos municípios por chamamento público, segundo orientação do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR).

Xoxolo afirmou ainda que, no ano passado, foram repassadas duas parcelas da subvenção para a Assifusa, nos meses de abril e maio. No entanto, por conta da nova lei, os repasses foram interrompidos.

PUBLICIDADE

Comentários

Enquete

Você votaria em Lula para presidente em 2018?

  • Não
  • Sim
Resultados