Irati e Região / Notícias

03/12/13 - 00h02 - atualizada em 03/12/13 às 00h19

Audiência pública irá debater situação da estrada Irati/São Mateus do Sul

Encontro acontece na quarta-feira, 4, às 19 h, no Clube Ideal Sãomateuense

Rodrigo Zub

Cinquenta anos de promessas e marketing político. Essa é a história resumida da pavimentação asfáltica da PR-364, no trecho de 47 km entre Irati e São Mateus do Sul. Para os usuários parece difícil acreditar que a obra sairá do papel em um curto espaço de tempo. Com a finalidade de mudar essa realidade, representantes de diversos segmentos da sociedade irão realizar uma audiência pública nesta quarta-feira, 4. O evento acontece às 19 h, no Clube Ideal Sãomateuense, na Rua Paulino Vaz da Silva, 477.

Estrada Irati/São Mateus do Sul

A rodovia PR-364 é uma estrada pertencente ao governo do Paraná que liga as cidades de São Mateus do Sul e Guaíra. A rodovia possui uma extensão total de aproximadamente 587,4 km e pode ser dividida em 30 trechos. Apenas dois km que compreende o trecho entre Irati a São Mateus do Sul foram asfaltados.

A conclusão da obra que no mapa é asfaltada, mas que na realidade é uma estrada com diversos problemas estruturais, irá proporcionar um novo acesso rodoviário para os municípios das regiões Centro-Sul e Sul do Estado.

A possibilidade de facilitar o escoamento da safra de grãos, fumo e produtos hortifrutigranjeiros criando um novo corredor viário são fatores justificados para a conclusão das obras. Diminuir o trânsito na PR-151, que cruza o Paraná em direção ao Estado de São Paulo, também é outro pedido dos motoristas que utilizam a rodovia diariamente. “A pavimentação desta rodovia cria uma ligação entre os dois corredores rodoviários que o Estado está programando para as BR- 153 e BR-476 e que vão cruzar o Paraná, ligando São Paulo a Santa Catarina”, avalia o secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho.

Pesquisa feita em 2008 mostra que 55% do movimento da PR-151 é de tráfego pesado.

Segundo os organizadores do movimento, a ideia é identificar as perspectivas da pavimentação da PR-364. Durante o encontro será assinado um Termo de Compromisso pelos governantes e criada uma comissão de acompanhamento dos trâmites da obra. Integrantes do Movimento Asfalto Irati Já, que ganhou vários adeptos e seguidores nas redes sociais, do Sindicato do Petróleo (Sindipetro) dos Estados do Paraná e Santa Catarina, e das prefeituras de São Mateus do Sul e Irati deverão participar da audiência. Entre as autoridades que confirmaram presença estão o deputado estadual Professor Lemos (PT), o presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Valdir Rossoni (PSDB), e os prefeitos de São Mateus do Sul, Clóvis Ledur (PT), e de Irati, Odilon Burgath (PT).  

A legenda de um antigo mapa do Paraná mostra que a PR-364 é pavimentada, mas o asfalto nunca existiu. Os moradores chegaram a fazer vários abaixo-assinados e manifestações no ano passado pedindo para que a rodovia seja pavimentada. O último movimento aconteceu em outubro e coletou mais de duas mil assinaturas.

O vereador de São Mateus do Sul, Luiz Cesar Pabis (PT), nasceu e residiu em Irati durante 24 anos e diz que entende a necessidade da conclusão da pavimentação, que foi providenciada somente em um trecho de quase dois quilômetros, nas proximidades do trevo de acesso à Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (Unicentro). 

Situação financeira do Estado

Questionado se o governo estadual teria condições financeiras de realizar a obra, pois recentemente apresentou dificuldades para honrar os pagamentos com fornecedores, o que ocasionou até mesmo o corte do telefone da Polícia Militar, Tadico como é conhecido fez questão de ressaltar a importância da audiência. O vereador lembrou que a população já se manifestou e protestou contra a passividade dos governantes que não concluíram a obra, mas destacou que a audiência possui um peso maior no sentido de fazer com que as reivindicações sejam atendidas.  

“Nunca foi feita uma audiência pública. Sabemos que muitas obras só foram feitas com a participação e pressão popular, além da organização. A sociedade que tem a força, poder de voto. Somente dessa forma podemos atender essa demanda tão antiga e tão necessária para essa região”, entende.

O petista observa que a região Norte do Estado é quase toda pavimentada, fator que ajuda no escoamento da safra, do transporte escolar e o tráfego de veículos. Por esse motivo, Tadico espera que a população compareça a audiência para criticar, esclarecer dúvidas e apresentar propostas e ideias que possam identificar os principais problemas da rodovia. “Essa obra sempre foi falada e está presente em campanhas eleitorais. Ela só vai sair quando acontecer à organização dos segmentos e da população cobrando. A pressão popular é essencial. Sem pressão, o governo não funciona. Tem que se mobilizar para conquistar”, solicita.

Projeto

A empresa Concredolo Engenharia Ltda, irá realizar o projeto pelo valor de R$ 1.561.346,04, conforme publicado no Diário Oficial do Estado do dia 1º de outubro de 2012. A empresa tem até o dia 3 de julho de 2014 para entregar o documento. Só depois disso, será aberto o processo licitatório para asfaltar a rodovia. A estimativa de investimento para a pavimentação do trecho de 47 km entre São Mateus do Sul e Irati é de R$ 130 milhões.

Tadico diz que não sabe como está o andamento do projeto topográfico da PR-364, iniciado neste ano pela Secretaria de Infraestrutura e Logística do Paraná. De acordo com a agência oficial do governo do estado, os técnicos vão realizar estudos dos locais onde serão construídas pontes, terceiras faixas e necessidade de acessos rodoviários. “Na audiência precisamos tirar a limpo o que está sendo feito”, afirma Tadico.

Estudantes, agricultores e trabalhadores serão beneficiados

Se asfaltado o trecho pode ser uma boa alternativa para os motoristas da região, que precisam seguir para Santa Catarina. A estrada também dá acesso a outras importantes rodovias, como a BR-153 e a BR-476. Atualmente, o que se vê no trecho de 47 km entre Irati e São Mateus do Sul são vários buracos e a sinalização precária. O vereador Sãomateuense indica que a pavimentação da estrada de chão será uma importante ligação para os estudantes que pretendem ingressar na Unicentro, para os trabalhadores da unidade da Petrobras, em São Mateus do Sul, e para os agricultores de Rebouças que terão mais uma alternativa para escoar a produção.

“Os alunos das cidades de Antonio Olinto, São Mateus do Sul e São João do Triunfo, que precisam estudar vão para União da Vitória. Eles poderiam estudar na Unicentro que é mais próxima. Os trabalhadores da Petrobras têm que ir e voltar na estrada de chão em péssimas condições. Já os agricultores precisam de boas estradas para retirar os produtos. Esperamos objetividade e efetividade dessa audiência. Caso contrário, nós não conseguiremos o objetivo que é pavimentar a rodovia”, analisa.

Situação precária da estrada já foi estopim para diversas manifestações



Comentários

Enquete

Qual sua avaliação sobre a administração do prefeito Jorge Derbli?

  • Ruim
  • Razoável
  • Boa
  • Ótima
Resultados