Irati e Região / Notícias

04/12/18 - 21h30 - atualizada em 04/12/18 às 21h55

Avenida Vicente Machado recebe rotatória-teste nesta semana

Simulações ocorrem entre as 8h e 17h, no cruzamento com a Pacífico Borges. Nesse período, os semáforos são desligados

Da Redação, com reportagem de Rodrigo Zub e Paulo Henrique Sava 

Espaço foi demarcado com pneus e cones

Ao longo desta semana está sendo testada a sinalização através de rotatória no cruzamento da Avenida Vicente Machado com a Rua Pacífico Borges, no bairro Rio Bonito, em Irati. As simulações ocorrem entre as 8 e as 17h, período durante o qual os semáforos são desligados. Depois desse horário, a rotatória-teste é removida e os sinaleiros novamente acionados. A Prefeitura de Irati pede atenção e paciência aos motoristas.

De acordo com o secretário municipal de Arquitetura, Engenharia e Urbanismo, Dagoberto Waydzik, ele e o chefe do Departamento de Trânsito de Irati, Lee Jhefferson Souza, estiveram em Curitiba em busca de recursos para a substituição dos semáforos daquele cruzamento, que estão em uso há pelo menos 20 anos. Eles estão obsoletos e não se encontram peças de reposição para consertá-los. Por isso, sua eficácia é questionada por Waydzik.

PUBLICIDADE

A rotatória-teste, que é um projeto-piloto aplicado naquele cruzamento, pode vir a ser adotado em outros locais da cidade. O engenheiro enfatiza que esta é uma “mini-rotatória”, pois tem um diâmetro menor que a convencional e, da mesma forma, custo reduzido. “Muitas vezes, é necessário avançar sobre o passeio ou sobre o terreno de terceiros para fazer a rotatória no diâmetro maior. O sinaleiro ali tem uma funcionalidade complicada, às vezes para e se forma uma fila até a rotatória de cima, perto da ferrovia”, diz.

Se os testes oferecerem resultados satisfatórios, será construída uma rotatória fixa, em paver ou em concreto, com diâmetro menor. “Também porque aumenta a segurança e reduz os acidentes no local onde está instalada a mini-rotatória. O principal benefício da rotatória é que ela obriga o motorista a diminuir a velocidade do veículo. Com o estreitamento da via e bastante sinalização horizontal e vertical, o condutor diminui a velocidade e respeita quem está na preferência da rotatória”, justifica.

PUBLICIDADE

Waydzik se inspirou nas mini-rotatórias adotadas em Francisco Beltrão e em algumas cidades da Itália. O secretário estuda implantá-las em outros pontos, como o cruzamento entre as avenidas Noé Rebesco e Getúlio Vargas. “É um ponto de conflito ali: vai para o bairro Fernando Gomes, sai para Inácio Martins, vai para o bairro Engenheiro Gutierrez, vem para a Trajano Grácia e da Getúlio Vargas para o Centro. Ali cabe uma rotatória”, diz.

Outro ponto onde se estuda implantar a mini-rotatória é no cruzamento entre as ruas Benjamin Constant e Edgar Távora, ao lado da Unidade de Saúde Ademar Vieira de Araújo. “Subindo ali tem um conflito nas ruas Duque de Caxias, Campo Largo e Edgar Távora. São várias ruas indo para o mesmo ponto. Para colocar um sinaleiro, precisa ser um de mais tempos e é muito difícil. Para os sinaleiros que temos hoje, não estamos encontrando peças de reposição. Onde pudermos reduzir a colocação de sinaleiros, que têm custo de manutenção, e colocar rotatórias, vamos partir para essa solução”, explica.

Semáforo é desligado entre 8 e 17 h para que sistema seja testado

O engenheiro ainda não estima o custo das novas mini-rotatórias, pois o projeto ainda não foi concretizado. Uma de diâmetro convencional custa, no mínimo, R$ 15 mil, conforme Waydzik, pela necessidade de mexer na fundação, asfalto, fazer meio-fio para o canteiro e plantar grama e até flores, conforme o caso. A mini-rotatória, em teste, tem seu espaço demarcado por pneus e cones. Se aprovada, ela deve ser construída em paver e pintura horizontal. A execução dessas rotatórias, em caso positivo, não deve demandar mais do que uma semana.

Mini-rotatória está em fase de testes até sexta-feira (7)

Custo de manutenção

“Cada placa de semáforo, de temporizador, custa em torno de R$ 20 mil cada um”, conta. O eletricista da Prefeitura fez uma minioficina a fim de recuperar algumas peças que não estão mais disponíveis para compra para uma eventual substituição. Quando as peças existem, elas vêm de Belo Horizonte (MG), devido aos processos licitatórios para sua compra, o que acarreta em demora na entrega.

“Se queima uma placa dessa num fim de semana, até chegar a pessoa de plantão responsável pela manutenção, demora, o que pode ocasionar um acidente nesse intervalo. Com a rotatória, não existe esse problema. Lógico que há locais onde é imprescindível o semáforo, mas nessa ida do prefeito [Jorge Derbli], a Curitiba, ao Detran, com a presença da governadora [Cida Borghetti], foi assinada uma verba para modificar e colocar novos semáforos em toda a nossa cidade”, enfatiza Waydzik.

Se os testes oferecerem resultados satisfatórios, será construída uma rotatória fixa, em paver ou em concreto, com diâmetro menor

Quer receber notícias locais? Envie whats para 42 991135618 SIM NOTICIAS ou cadastre seu e-mail na newsletter pelo site da Najuá

Comentários

Enquete

Considerando o ponto de vista da segurança pública, você concorda ou discorda da liberação da maconha?

  • Discordo
  • Concordo
Resultados