Irati e Região / Notícias

11/09/18 - 15h52 - atualizada em 11/09/18 às 21h07

CMEI dá lição de meio ambiente e economia

Com a venda de latinhas de alumínio retiradas do meio ambiente as crianças pagaram viagem ao Jardim Botânico, em Curitiba, e também estão organizando um viveiro de plantas

Paulo Henrique Sava


O que era para ser apenas uma reportagem sobre um furto de latinhas de alumínio acabou por registrar a solidariedade da comunidade e um projeto de conscientização ambiental e de economia. O Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Alexandre Iarema, localizado no bairro Rio Bonito, em Irati, lançou o projeto “Explorando os Seres Vivos além dos muros da escola” e, você leitor, já vai entender aonde entram as latinhas.

PUBLICIDADE

Inicialmente, as professoras Flávia Salateski, Silvana Vidal de Góes e Dilcéia Gonçalves Kanarski levaram uma galinha chocadeira com seus ovos para a escola, para que as crianças pudessem acompanhar e entender como ocorre o processo até o nascimento dos pintinhos. As próprias crianças, com o auxílio das professoras, estão cuidando dos recém-nascidos que depois serão doados. 

*Assista crianças amassando latinhas no final
Como parte do projeto, as crianças farão uma visita ao Jardim Botânico, em Curitiba, nesta quarta-feira, 12. Para custear os lanches, foi arrecadada uma grande quantidade de *latinhas de alumínio que seriam vendidas para um ferro-velho. Porém, quando chegaram ao CMEI na segunda-feira, 10, professoras, funcionárias e os alunos tiveram uma surpresa: o material havia sido furtado.

A diretora Avani Zanlorenzi fez um apelo nas redes sociais e no quadro “A Voz do Povão” do Meio Dia em Notícias para que a população colaborasse novamente com a doação de latinhas para venda. A nova arrecadação superou a anterior. “Foi aí que começou toda esta nossa correria e através das redes sociais, do WhatsApp e da Rádio Najuá, conseguimos resgatar o dobro ou mais do que havia sido furtado. Eram pais de alunos ligando, indo buscar e trazendo para a gente, crianças doando dinheirinho de ‘porquinho’ para a gente, é uma coisa que nos comove, criança ajudando criança", contou a diretora emocionada e agradecida pelas doações.

PUBLICIDADE

Para Flávia, trabalhar questões como o meio ambiente e a solidariedade em sala de aula é gratificante. “No mundo em que vivemos hoje, percebemos coisas muito erradas acontecendo. Trabalhamos este tema dentro de sala de aula com eles, e vamos explorar este tema além dos muros da escola". As crianças ficaram decepcionadas ao verificarem que o material arrecadado havia sido furtado. “Foi o trabalho de um mês inteiro, em que elas e os pais traziam material e tiravam fotos e contavam para os colegas que estavam trazendo latinhas. Para elas, foi muito triste quando chegaram e perceberam que o material não estava mais lá", comenta.

A lição foi dada quando as latinhas foram retiradas do meio ambiente para reciclagem e o dinheiro da venda do material, usado para custear a viagem sonhada além de outras benfeitorias na escola. 

PUBLICIDADE

O projeto conta também com o apoio dos pais e da coordenadora pedagógica do CMEI, Elisângela Bianco. Mudas de árvores serão plantadas e será dado início a uma horta. As crianças ficaram tão animas que outras atividades já estão sendo planejadas como uma 'parada ambiental' com distribuição de mudas e visita à Floresta Nacional de Irati.

“O projeto se estende porque a conscientização que a gente deixa para as crianças vai além dos muros da escola. Elas vão aprender em casa, dando continuidade a tudo o que aprendem na escola. O nosso papel não é só trabalhar o conteúdo aqui dentro, mas é tornar eles cidadãos críticos e conscientes dentro da sociedade, capazes de mudar o mundo em que vivem”, finalizou Flávia.

Quer receber notícias locais? Envie whats para 42 991135618 SIM NOTICIAS ou cadastre seu e-mail na newsletter pelo site da Najuá

Comentários

Enquete

Em relação aos candidatos à presidência da república, você está?

  • Confuso (a)
  • Definido (a)
  • Indeciso (a)
Resultados