Irati e Região / Notícias

30/11/17 - 21h13 - atualizada em 30/11/17 às 21h31

Derbli defende contratação de empresa para fornecer materiais utilizados em pavimentações

Prefeito defende idoneidade da empresa Boscardin e rebate acusação de direcionamento em licitação para aquisição de CBUQ, emulsão asfáltica e pedras de diversas bitolas

Da Redação

Através da licitação 001/2017 prefeitura de Irati contratou empresa para fornecimento de CBUQ, emulsão asfáltica e pedras de diversas bitolas (pedra brita e pedrisco
Procurado pela Rádio Najuá, o prefeito de Irati, Jorge Derbli, comentou sobre a suspensão dos contratos das empresas vencedoras do pregão 001/2017 da prefeitura de Irati. Na segunda-feira (27), o juiz Fernando Eugênio Martins de Paula Santos Lima considerou ilegítimas as contratações das empresas Boscardin & Cia. Ltda. e Arena Mineração e Asfaltos Ltda. devido à modalidade do certame. Por esse motivo, os contratos foram suspensos através de uma decisão liminar.  

“A empresa Boscardin foi fundada em 1964; faz 53 anos que ela vende pedra brita para a Prefeitura de Irati. Não foi exatamente o que esse cidadão [Dangui] falou na rádio, que eu trouxe a empresa Boscardin para vender pedra para a Prefeitura. É de conhecimento da população inteira de Irati e da região que a única pedreira que temos aqui é da Boscardin e que faz mais de 50 anos que ela vende pedra para a Prefeitura de Irati”, afirma Derbli.

Confira a entrevista com o prefeito no fim do texto

PUBLICIDADE
O prefeito explica que o valor aplicado na licitação (R$ 9.921.615,00) se destina à compra não só de pedra brita, mas de massa asfáltica e emulsão asfáltica. “No pregão, fazemos uma estimativa de gastos durante o ano, não necessariamente que gastemos o ano inteiro esse material. Desses R$ 9 milhões, o que foi gasto com a Pedreira Boscardin em 2017 está em torno de R$ 700 mil. Não chega nem a R$ 1 milhão”, acrescenta.

Derbli sugere que o autor da ação pública tenha sido parcial. “Fico sentido quando a pessoa usa um microfone e conta a história pela metade. Se vier aqui e contar a história como realmente funciona, não tem problema. As portas estão abertas não só para ele, mas para qualquer pessoa que queira investigar e saber o que está acontecendo. É transparência total nosso governo. Não temos nada a esconder de ninguém. Estamos trabalhando, comprando essas pedras e asfalto, tapando buracos nas ruas, enfim, usando o que se faz necessário para corrigir algumas ruas dos bairros”, desabafa.

Um dos pontos questionados na ação pública é a eventual dificuldade de confirmar a quantidade e qualidade do material adquirido pelo município nessa licitação. “Na entrega, é pesado cada caminhão. Cada caminhão tem um ticket quando sai da Pedreira e quando vem asfalto é da mesma forma. Quando se fala do asfalto, na verdade, engloba três licitações e é feito um controle”, explica. Ainda segundo o prefeito, também há um controle sobre onde foi aplicado o material.

Ainda sobre a qualidade do material, Derbli ressalta que a empresa é a mesma fornecedora de pedras para a Caminhos do Paraná, concessionária que administra o trecho da BR-277.

PUBLICIDADE
De acordo com Derbli, a qualidade das pedras é incontestável e tanto a concessionária quanto as outras prefeituras atestam essa qualidade. “A licitação foi aberta a todos; é uma licitação pública. As empresas vêm e participam. A Boscardin veio e ganhou porque o preço aqui é o melhor de todos e a distância é a menor. Hoje, se eu não comprar pedra em Irati, tenho que buscar em Guarapuava, Ponta Grossa, União da Vitória, Guamiranga. O frete vai acabar custando o dobro do preço que gastamos hoje. Seria mais dinheiro que a Prefeitura ia gastar, sendo que tem uma empresa aqui de Irati que vende”, defende o prefeito.

Jorge Derbli confirma o parentesco com o sócio proprietário da Boscardin, Luiz Augusto Boscardin, que é casado com sua mãe, Neiva Stelle Boscardin, há mais de 40 anos. “Ele tem parentesco comigo, como padrasto. Mas na questão de economia numa licitação pública, nunca direcionamos a licitação para que a Boscardin ganhasse. Veio empresa de fora também. A licitação é pública, ganha quem tem o melhor preço”, argumenta.

Jorge Derbli argumenta que empresa Boscardin vende pedra brita para a prefeitura desde sua fundação em 1964
O prefeito explica que os contratos suspensos possuem, originalmente, prazo estendido até 31 de janeiro de 2018. Somente depois desse prazo é que poderia ocorrer uma nova licitação. “Se eu quiser comprar pedra e asfalto para Prefeitura, tenho que esperar terminar o contrato, fazer uma nova licitação e só lá por fevereiro ou março que vou conseguir comprar de novo brita e asfalto para tapar os buracos das ruas da cidade”, lamenta.

Para o asfalto, foram três empresas concorrentes no certame, de acordo com o prefeito. A vencedora foi a ponta-grossense Arena, de propriedade de João Gualberto Boscardin, irmão do padrasto de Derbli, Luiz Augusto Boscardin. “Na ação, ele [o autor] diz que na primeira licitação eu já trouxe meus parentes para dentro da Prefeitura. Foi uma necessidade. Tanto que eu quisesse usar de má-fé, não faria a [licitação] 001/2017 [apenas], faria a 010, a 015... Fiz, porque, quando assumi essa Prefeitura, tínhamos ruas intransitáveis. Precisava, primeiramente, na primeira licitação, comprar pedra, massa asfáltica e asfalto de empresas de Curitiba, que participaram. Foram nove empresas que participaram [do pregão], mas eles [o autor da ação] tentam mudar a opinião pública e querer inverter a situação. Não é bem assim”, alega o prefeito.

Derbli diz não se opor à suspensão do contrato para averiguações que forem necessárias. “Já pediram minha inelegibilidade, já pediram minha cassação e [abertura de processo] por improbidade administrativa. Tudo isso já foi negado pelo juiz”, lembra.

Sobre a decisão judicial, o prefeito afirma que está “tranquilo, trabalhando pelo bem da cidade, tentando melhorar as ruas de bairros, o asfalto, os tapa-buracos, tudo dentro da maior legalidade. Não tenho nada a esconder de ninguém. Durmo tranquilo e trabalho. Essas pessoas que tentam mudar a opinião pública contra a nossa pessoa, podem tentar fazer o que quiser, porque a Prefeitura está de portas abertas para quem quiser fiscalizar. Vamos sempre trabalhar no sentido de melhor economia para o município. Volto a frisar: se eu tiver que fazer uma nova licitação e ganhar uma empresa de Guarapuava, Ponta Grossa ou União [da Vitória], teremos que buscar a pedra fora, o que vai custar o dobro do preço, o que vai onerar os cofres públicos. Em segundo lugar, contratamos uma empresa de Irati, tradicional, que dá muitos empregos, uma empresa ética, responsável, que há muito tempo contribui para a população. Deixamos de comprar em Irati para ir fora e pagar o dobro? Isso eu não acho justo”, conclui o prefeito.

Entrevista com o prefeito Jorge Derbli


Comentários

Enquete

Supermercados abertos em domingos e feriados é uma boa ideia?

  • não
  • sim
Resultados