Irati e Região / Notícias

11/05/17 - 10h46 - atualizada em 11/05/17 às 13h13

Início das atividades do Erasto depende de liberação da Prefeitura de Curitiba, diz Leandre

Até o momento, inauguração da unidade iratiense da instituição, que estava marcada para março, foi adiada pelo menos duas vezes

Paulo Henrique Sava

PUBLICIDADE
A unidade avançada iratiense do Hospital Erasto Gaertner ainda está sem data definida para sua inauguração. Foi o que afirmou a Deputada Federal Leandre Dal Ponte (PV), em visita a Irati na última segunda-feira, 08.

De acordo com a deputada, por ser um projeto regional, alguns entraves precisaram ser superados desde o anúncio oficial da instalação da unidade em Irati. Um dos principais era encontrar um local apropriado para receber a instituição. Na época, a Prefeitura Municipal ofereceu alguns prédios que estavam sendo construídos, mas estes foram rejeitados pelo Ministério da Saúde, após uma consulta que durou aproximadamente 03 meses. Outras possibilidades foram levantadas, até que a diretoria da ANAPCI cedeu a sede da Casa de Apoio para funcionar como sede provisória do Hospital. No futuro, a instituição deve ser instalada em um novo prédio, de propriedade do prefeito Jorge Derbli (PSDB), que está sendo construído no Riozinho. Ainda em 2016, o prefeito se comprometeu a doar as instalações para o Erasto. 

“O Erasto vem para cá com esta expectativa de hoje ser uma unidade avançada, mas, daqui a alguns dias, podendo ser um hospital de referência, podendo se instalar no Riozinho”, comentou a deputada. 

No entanto, a inauguração do hospital, que estava prevista para março, foi adiada pelo menos duas vezes. Na primeira ocasião, a ANAPCI demorou para conseguir encontrar outro imóvel adequado para suas instalações, o que só ocorreu no mês de fevereiro. Com isto, as obras de adaptação do prédio da instituição tiveram que ser adiadas.  

“A partir do momento em que o Erasto concluir totalmente a adequação que está sendo feita, que eu acredito que esteja nos finalmentes, no processo de pintura e que os móveis já foram encomendados para serem instalados, aí sim a 4ª Regional de Saúde vai poder liberar a licença sanitária. A partir do momento em que nós tivermos a licença sanitária, com o endereço do Erasto e toda a burocracia que existe com a Prefeitura de Curitiba, que é quem administra o hospital perante o SUS e passou por uma mudança de prefeito neste período. Enfrentamos alguns entraves, pois queremos que seja uma coisa bem feita. Não adianta começar um atendimento e dali a pouco sofrer por não ter mais recursos. Este é um processo que tem que ser feito junto à Prefeitura de Curitiba e ao Governo do Estado, para depois termos uma habilitação futura pelo Ministério da Saúde”, frisou. 

Leandre destacou que início das atividades do Erasto em Irati depende apenas da Prefeitura de Curitiba

A deputada não quis dar um palpite sobre uma possível data de inauguração da unidade. Ela ressaltou que o Secretário de Estado da Saúde, Michele Caputo Neto, está empolgado com a instalação da unidade do Erasto na região. “Se o Estado não estiver de acordo, as coisas não acontecem. Então, o secretário Michele é um grande companheiro nesta luta de Irati, ele tem se esforçado muito para que, junto com a gente, este projeto possa se viabilizar”, comentou.  

De acordo com a deputada, uma pesquisa realizada pela instituição em todos os municípios próximos a Irati mostrou que 85% dos pacientes que procuram tratamento em outras cidades poderão ser atendidas no próprio hospital. Além disso, o município de Prudentópolis solicitou desligamento da 5ª Regional de Saúde de Guarapuava, para se associar à 4ª Regional de Irati, com o objetivo de enviar seus pacientes com câncer para tratamento no Erasto. “É um processo que demora um pouquinho, mas é bom porque viabiliza cada vez mais o projeto em Irati. Prudentópolis é uma cidade com quase 50 mil habitantes, e tudo isto vai se somando para que possamos ter uma estrutura adequada, com qualidade e aquilo que a gente sonha para as pessoas de Irati e aquilo que elas merecem”, pontuou.  

Entre outros projetos, a deputada conta que destinou uma emenda no valor de R$500mil para auxiliar no custeio da unidade do Hospital Erasto Gaertner a partir da sua inauguração.  

PUBLICIDADE


Comentários

Enquete

Qual sua avaliação sobre a administração do prefeito Jorge Derbli?

  • Ruim
  • Razoável
  • Boa
  • Ótima
Resultados