Irati e Região / Notícias

04/06/18 - 17h37 - atualizada em 04/06/18 às 19h46

Jovens do ensino médio repercutem paralisação dos caminhoneiros

Estudantes participaram ao vivo de programa de rádio na semana passada

Da Redação

As alunas do ensino médio do Colégio Sesi, Camylle Letícia da Silva, 15 anos e Maria Fernanda Antunes Ferraz de Jesus, 16 anos, procuraram a Najuá para expor suas opiniões sobre a paralisação dos caminhoneiros que aconteceu na última semana. Elas vieram acompanhadas do diretor do colégio Sesi em Irati, Rafael Ruteski e participaram ao vivo com os apresentadores do programa "In Pauta", Juarez Oliveira e Vânia Andrade, na última sexta-feira, dia 1.

A direção da Najuá parabeniza as jovens pela exposição e destaca que não há outro caminho que não o da democracia e educação para melhorar o país. "Ainda no começo da vida, Camylle e Maria Fernanda dão exemplo para sociedade de hoje em dia, onde muitos se escondem em redes sociais e atacam-se mutuamente, ou evitam falar de suas opiniões em público. Preocupadas com os acontecimentos, trouxeram a discussão para fora do ambiente estudantil, ampliando o debate baseado em informações, abertas para ouvir sem temer o contraditório", diz a diretora Jussara Harmuch. 

PUBLICIDADE

Confira agora o que rolou no programa

Para Camyle é preciso entender que houve no Brasil um investimento grande de logística no modal rodoviário e por isso as consequências do movimento foram tão extensas. Apesar disso, o resultado não foi o que esperava e atribui a causa à falta de compreensão e comprometimento da população que não agiu para o bem comum. “As pessoas disseram ‘agora vai, tem que parar o Brasil’. A greve é boa porque permite a manifestação só que as pessoas começaram a estocar alimentos e combustível, cada um pensou em si mesmo, não no coletivo”, aponta Camylle.

Em alguns postos a gasolina subiu pelo menos 40 centavos. Maria Fernanda acha que a população não pode reclamar agora. “Tinha gente na fila para abastecer que dizia ser a favor da greve e reclamou do preço, mas não deixou de abastecer. As pessoas não saíram do conforto, não pegaram uma bicicleta para ir trabalhar ou ir a pé”. Ela critica, em parte, o uso das redes sociais. “As pessoas na internet postam e fazem comentários, mas na vida real não fazem nada”.

PUBLICIDADE

Outras questões como intervenção militar, ditadura e o uso das forças armadas pelo presidente Temer também foram abordados.

Para encerrar, as estudantes foram bem otimistas. Elas acreditam que o futuro do país depende dos jovens que precisam ocupar a política. “O futuro do país, depende só de nós. Espero ver políticos que não pensem em proveito próprio e eleitores que não vendam o seu voto, que prestem atenção em quem vai votar”, pontuou Maria Fernanda.

O papel da educação também foi lembrado. “As escolas têm de estimular os alunos a pensar, a ter senso crítico e não adianta só falar lá dentro da escola. Os jovens têm de ter consciência, pensar e fazer as coisas acontecerem. Além de tudo, união para não derrubar os que estão lutando”.

O "In Pauta" vai ao ar de segunda a sexta pela Najuá FM 106,9, das 12h às 13h com uma programação de notícias e músicas. Em 2017 um projeto em conjunto com o colégio Sesi proporcionou aos estudantes um espaço semanal ao vivo no rádio para discutir alguns temas que eram fundamentados em sala de aula.

Você acompanha a gravação com a abordagem completa dos assuntos acessando o áudio que segue.

PUBLICIDADE

Comentários

Enquete

Você acredita que o Brasil vai melhorar depois das eleições?

  • Não
  • Sim
Resultados