Irati e Região / Notícias

01/11/11 - 04h23 - atualizada em 08/11/11 às 21h11

PR-364 é interditada na comunidade de Marmeleiro

A interdição da rodovia na altura do km 59 ocorreu na manhã de ontem depois que dois caminhões que haviam encalhado não puderam ser retirados; moradores cobram pavimentação do trecho de 48 km que liga os municípios de Irati a São Mateus do Sul
A rodovia PR-364 é uma estrada importante no contexto do Estado, a final de contas é a principal ligação entre Irati e São Mateus do Sul, municípios que somam perto de 100 mil habitantes.

No entanto, devido às condições precárias do local, o que se vê diariamente é um cenário triste e desolador. {album} Da Redação

Rodovia só foi liberada pelos manifestantes por volta das 15 h, quando o DER providenciou a retirada dos caminhões e iniciou obras emergencias na rodovia
Trafegar pela PR-364 há muito tempo se tornou um grande desafio para “super herói” nenhum botar defeito. A estrada que liga Irati a São Mateus do Sul é prometida por políticos há mais de 20 anos. No último final de semana um caminhão e uma carreta (carregados) encalharam em um trecho cascalhado pelo DER. Como forma de protesto, ontem (31) a rodovia foi fechada na altura do km 59, na comunidade de Marmeleiro, em Rebouças, por pessoas que moram ou passam pelo local todos os dias. Uma fila de carros e caminhões se formou nos dois sentidos da via que só foi liberada para o tráfego normal por volta das 15 h.

Promessas

Vale lembrar que a  pavimentação do trecho de aproximadamente 48 km da PR-364 que liga Irati a São Mateus do Sul, está em discussão há mais de duas décadas. Em junho do ano passado, em visita à Irati, o então governador do Paraná, Orlando Pessuti afirmou que no máximo em dois meses as obras já seriam licitadas e teriam início, fato que acabou não se confirmando.

Esta não foi a única vez que Pessuti prometeu que a pavimentação da rodovia seria realizada. Em 2003, em entrevista à equipe da Najuá quando era vice-governador, Pessuti já havia mencionado que uma das prioridades do governo estadual era disponibilizar recursos para a conclusão das obras da PR-364.

|Outro fato que chamou atenção ocorreu durante o Congresso da Indústria, realizado em junho em Curitiba. A comitiva que representou a regional de Irati constatou que as obras de pavimentação desta rodovia não constavam na lista apresentada pelo secretário de Infraestrutura, José Richa Filho, mais conhecido como Pepe Richa, irmão do governador Beto Richa e uma reunião foi solicitada para pedir apoio do governo.

O descaso das autoridades causa medo e espanto da população que reclama incessantemente sobre a trafegabilidade da rodovia. São Pedro manda chuva e com ela o desespero toma conta dos usuários do local.

A falta de segurança para caminhoneiros e principalmente aos agricultores que precisam escoar sua produção rural é constante. A equipe da Najuá esteve no local acompanhando a manifestação pacífica dos moradores que relataram suas reivindicações e fizeram vários pedidos as autoridades.

“Estamos bloqueando a rodovia para reivindicar a melhoria da estrada por parte do DER. A gente não quer briga nem nada, só quer fazer com que os políticos ou alguém desse setor tome providências. A gente está a dois dias tentando puxar os caminhões com o trator e não conseguimos. Eu mesmo já puxei uns 200 caminhões nos últimos anos. Eu estou ajudando, mas quando ele estragar quem vai pagar o conserto do meu trator para usar lá na lavoura”, questiona o morador Nelson que ficou na linha de frente da manifestação.

Caos

A rodovia PR-364 é uma estrada importante no contexto do Estado, a final de contas é a principal ligação entre Irati e São Mateus do Sul, municípios que somam perto de 100 mil habitantes. No entanto, devido às condições precárias do local, o que se vê diariamente é um cenário triste e desolador.

Durante o protesto toda a população pôde se manifestar e mostrar um pouco da realidade e das dificuldades que os usuários enfrentam diariamente. “Já passei uma quatro vezes por essa rodovia. Anteriomente, estava mais ou menos bom agora estraguei quatro pneus novos. Não posso forçar o caminhão, pois posso estourar uma ponta de eixo ter um problema mais grave. Cada pneu desse aí custa na faixa de R$ 1.500. É um prejuízo muito grande”, relata o caminhoneiro, José Luis.

Os agricultores defendem uma melhor aplicação dos recursos e dos impostos arrecadados para que eles sejam revertidos em prol da conservação da rodovia. “A polícia vem fazer blitz cada passo. Se tiver com o documento atrasado vai preso, mas daí nós pagamos imposto para andar numa estrada dessas. O povo também é culpado, pois tem que olhar os caras que fazem alguma coisa. As eleições estão chegando e devemos saber em quem votamos”, orienta o morador Marcelo Padilha de Oliveira.

Novos protestos

Outros manifestantes cobraram soluções imediatas por parte de deputados e de políticos das duas cidades. Alguns disseram que se a situação persistir prometem realizar um novo protesto até o final do mês de novembro.

“Essa manifestação tem que ser a primeira para ver se os políticos de São Mateus ou Irati tomam frente e param de conversa. Qualquer um que não tenha uma formação de engenheiro sabe que não se joga barro em uma subida. Espero que não seja a primeira e que haja outras porque se não resolver, sou a favor de fazer outras manifestações”, defende Nelson.

Não é difícil trafegar pela rodovia e observar veículos com problemas mecânicos ou com pneus furados. Os dias passam e as obras de recapeamento asfáltico prometidas pelo governo estadual não são providenciadas causando ainda mais medo e insegurança aos usuários.

Através do protesto, a comunidade fez a solicitação para que a pavimentação do trecho de aproximadamente 48 km da PR-364 que liga os municípios de Irati e São Mateus do Sul seja concluída como forma de garantir mais seguranças aos usuários.

Obra emergencial
 
Após negociação com a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), os manifestantes decidiram liberar o tráfego na rodovia por volta das 15 h, depois que os caminhões foram retirados com a ajuda de máquinas e tratores do DER. Além disso, foram realizadas obras emergenciais para providenciar, provisoriamente, que motoristas transitem pelo local. Foi retirado o barro e o cascalho inadequado e colocado pedra brita em alguns trechos.


Comentários

Enquete

Qual sua avaliação sobre a administração do prefeito Jorge Derbli?

  • Ruim
  • Razoável
  • Boa
  • Ótima
Resultados