Área de Clientes Registro Contatos

login

Rádio Najuá - Irati Paraná

Irati-PR

Qui, 20/11 - Min: 19ºC Máx: 25ºC
fonte: Inpe - Inst. Nac. de Pesquisas Espaciais
fonte UOL Economia compra venda
Dólar Comercial R$ 2,5718 R$ 2,5743
Dólar Turismo R$ 2,5100 R$ 2,6700
Euro R$ 3,2266 R$ 3,2300
Libra R$ 4,0357 R$ 4,0406

AM - Programa no ar

Conexão com a Rádio Banda B de Curitiba

Equipe de jornalismo e esportes da Rádio Banda B

20:00 às 23:59 - informações
  • Programação
  • Najuá / Informações
  • Equipe
  • Álbuns
  • Classificados
  • Blogs
  • Colunas
  • Cultural
  • Esportes
  • Fatos e Frases
  • Irati de Todos Nós
  • Musical
  • Notícias
  • Notícias Bizarras
  • Obituário
  • Política
  • Promoções
  • Variedades
  • Quinta, 20 de Novembro de 2014
    publicidade

    Secretário visita centro de zoonose e aterro sanitário de Foz do Iguaçu

    14/09/13 - 11h25 atualizada em 14/09/13 às 11h33
    Informe publicitário da Prefeitura de Irati
     

    O secretário municipal de Ecologia e Meio Ambiente de Irati, Osvaldo Zaboroski, realizou visita ao aterro sanitário e ao centro de zoonoses de Foz do Iguaçu, nos dias 5 e 6 de setembro, quando esteve na cidade por ocasião da 4ª Conferência Estadual de Meio Ambiente. Ele foi recebido pelo diretor de Meio Ambiente de Foz do Iguaçu, Carlo Alberto Milioli.


    Zaboroski decidiu visitar o aterro sanitário para verificar como é sua estrutura. “Como a cidade de Foz do Iguaçu já vem atuando desde 1986 com seu aterro com licenças ambientais totais, a visita nos deu plena condição para reafirmar o que deve ser feito no aterro de Irati”, relata o secretário. 

    Apesar de ter todas as licenças ambientais necessárias, Zaboroski destaca que em uma reportagem televisiva exibida nos dias em que estava na cidade, apontou-se que mesmo tendo nove cooperativas e vários catadores, 40% do material reciclável ainda vai para o aterro de Foz do Iguaçu. “Em Irati estamos com um patamar de 15% a 20% de material reciclável indo para o aterro municipal, necessitando assim melhorarmos para chegar ao mais baixo índice possível”, observa Zaboroski.

    O secretário destaca a estrutura do aterro. “O aterro é para a realidade de uma cidade grande, com os tanques de chorume muito bem elaborados e direcionados para captação do excesso do chorume, através de bomba, que o incorpora no próprio aterro. No setor de resíduos sólidos é feita uma triagem de todos os componentes, bem como no setor de compostagem. A triagem é realizada dando uma condição plena para utilização do composto orgânico em praças, bosques e áreas degradadas”, descreve. 

    Todos os ambientes descritos pelo secretário ficam na mesma área do aterro, coligados para facilitar a utilização das máquinas, que são coordenadas pelo Setor de Meio Ambiente e Setor de Obras. A prefeitura mantém também uma oficina mecânica no local, bem como um posto de lavagem para retirar os resíduos dos veículos que transitam na cidade. O trabalho é coordenado pela prefeitura de Foz do Iguaçu, mas os equipamentos são terceirizados. “A prefeitura controla o uso dos equipamentos e também  existe o controle de todo o material coletado na cidade, que passa por pesagem em balança no local”, explica o secretário. 

    “Em nome da Prefeitura Municipal de Irati agradecemos o secretário de Meio Ambiente, João Matkievicz, e o diretor de Meio Ambiente e sua equipe, Carlo Alberto Milioli, que nos recebeu no aterro e nos levou também ao centro de zoonoses da cidade, aonde pudemos conhecer as dificuldades e as necessidades de ter um centro de zoonoses para o controle dos animais no município”, finaliza Zaboroski. 



    comentários

    mais

    Enquete

    Você concorda com a medida tomada por algumas prefeituras de distribuir uniformes para alunos da rede pública de ensino?