Ouvinte Repórter / Notícias

23/12/16 - 10h08 - atualizada em 23/12/16 às 10h43

Pedestres devem ficar atentos e respeitar os sinais de trânsito

Existem reclamações tanto da parte dos pedestres quanto dos motoristas na travessia das ruas. Polícia recomenda bom senso a ambas as partes

Da Redação, com reportagem de Tadeu Stefaniak

PUBLICIDADE
Nos últimos anos, Irati tem adotado algumas mudanças que visam melhorar a sinalização no trânsito e a segurança para motoristas e pedestres: rotatórias, faixas elevadas, sinalização vertical e horizontal e sinalização luminosa (semáforos com temporizador). Ainda assim, há conflito entre ambas as partes: seja do motorista que desrespeita a faixa elevada ou a faixa de segurança, seja do pedestre que atravessa fora delas. A Polícia Militar recomenda bom senso a ambas as partes.

“A legislação de trânsito prevê uma hierarquia em relação aos veículos e pedestres e a preferência. Da mesma forma, a sinalização horizontal, sinalização vertical, sinalização luminosa e a sinalização por parte do agente de trânsito. Todos na sua sequência. Sobrepõe a todas as sinalizações o agente de trânsito, quando ele está devidamente sinalizando, trabalhando ali, sobrepõe o semáforo que está vermelho, a sinalização horizontal e vertical”, explica o Major Joas Marcos Carneiro Lins, Comandante da 8ª Cia.

Dentro do Código de Trânsito Brasileiro, o pedestre também tem sua parcela de responsabilidade: onde não há sinalização nem horizontal nem vertical, ele deve procurar atravessar a rua o mais próximo possível do cruzamento, em linha reta e não na diagonal, para diminuir o tempo de travessia. Para o Major, deve prevalecer a educação e a cortesia no trânsito, a fim de se evitar brigas e discussões que já chegaram a ocasionar tragédias Brasil afora.

Condução segura

Pedestres devem atravessar a rua somente na faixa
Joas destaca que, hoje, a tensão do dia a dia, com rotina mais corrida, tem agravado a violência no trânsito, com motoristas dirigindo em velocidade acima do permitido, fazendo manobras bruscas, cruzando preferenciais, “fechando” outros carros e com ultrapassagens forçadas. “Tudo por uma questão de impaciência.

Uma condução segura é aquela em que você respeita a velocidade da via, respeita a sinalização da via, é cortês, sinaliza para ultrapassar, dá a vez. É essa a filosofia do Código de Trânsito, mas que não ocorre no nosso dia a dia por conta do estresse, dos momentos de tensão que passamos”, comenta.

Faixas elevadas

Onde existe semáforo para pedestre, este deve ficar atento à sinalização e transpor a via sobre a faixa. “Se não tem, a preferência é do veículo. Enquanto estiver verde o sinal, a transposição é do veículo. Aí, sim, uma questão de educação seria o ‘pé na faixa’: o motorista reduz a velocidade e deixa transpor”, ressalta.

Faixas elevadas são uma alternativa nas vias onde não há semáforo
Implantadas como alternativa economicamente viável aos semáforos, as faixas elevadas contribuem para a melhoria do trânsito, segundo o Major. “Elas, por si só, já forçam o condutor a reduzir a velocidade. No momento que ele reduz a velocidade, e existe aquela faixa de pedestre, ele acaba dando a preferência. Irati nesta questão está muito bem sinalizada. Nós observamos que onde há essa travessia elevada é respeitado”, complementa.

Formação de condutores

Outro aspecto destacado pelo Major diz respeito à formação de condutores. No estresse do dia a dia, muitos motoristas acabam buzinando para o carro de autoescola à sua frente, que deve transitar dentro de um limite de velocidade. Algumas cidades maiores costumam delimitar espaços para a circulação dos carros dos Centros de Formação de Condutores. Segundo Joas, o motorista não pode perder de vista que ele já foi, um dia, um condutor em formação e, portanto, deve dar o exemplo e respeitar quem está aprendendo a dirigir.

“Temos maior experiência que aquele candidato à primeira habilitação, que está começando, que está ‘engatinhando’ na condução de um veículo e não temos paciência. Será que nós, quando não tínhamos veículos, compramos um, entramos e saímos dirigindo? Não”, compara.

O Major recomenda manter distância do veículo onde está o aluno de autoescola e evitar ficar buzinando atrás dele, o que pode deixá-lo nervoso e até causar um acidente.

Ciclistas

Sobre as frequentes reclamações quanto a ciclistas transitando na contramão nas ruas Trajano Grácia, 19 de Dezembro e XV de Novembro, o Major Joas pontua que as bicicletas são, também, veículos de transporte e, assim, estão igualmente sujeitas às regras do Código de Trânsito. Nesses casos, porém, cabe ao policial apenas orientar o ciclista a andar no sentido de fluxo da via ou desembarcar e empurrar a bicicleta. Apreender a bicicleta seria abuso de autoridade, explica Joas.

“A legislação prevê, inclusive, que o condutor de bicicleta tem que transitar no sentido da via, o mais próximo do bordo da calçada. É a primeira regra de circulação e segurança voltada para o pedestre. Em contrapartida, a legislação prevê que o condutor do veículo tem que passar a 1,5 metro de distância desse ciclista”, ressalta o Major.

Ciclistas também devem utilizar locais apropriados para evitar acidentes de trânsito
Travessas elevadas foram colocadas em locais de grande circulação de carros e pessoas em Irati

    


Comentários

Enquete

Supermercados abertos em domingos e feriados é uma boa ideia?

  • não
  • sim
Resultados