Paraná / Notícias

29/12/16 - 16h43 - atualizada em 29/12/16 às 16h48

Inspetor da PRF dá instruções de segurança para viagem tranquila no fim do ano

Precaução e paciência são cruciais para você e sua família chegarem ao destino sem preocupações

Da redação, com reportagem de Paulo Henrique Sava e Jussara Harmuch 

O movimento nas estradas da região tende a crescer nos próximos dias, com a chegada do Ano Novo e das férias. Muita gente pretende descer para as praias e festejar a virada de 2016 para 2017 à beira-mar. Com mais veículos em circulação nas rodovias, a atenção deve ser redobrada para evitar imprevistos. Além disso, nada de pressa: o aumento no fluxo deve provocar lentidão nas pistas, próximo às praças de pedágio e também do ferryboat de Guaratuba, um dos destinos mais procurados no Paraná. 

O inspetor Claudio Adão, da Polícia Rodoviária Federal, participou ao vivo do Meio Dia em Notícias desta quarta-feira (28) para falar sobre a Operação Rodovida, que está em vigor nas estradas federais de todo o Brasil desde o dia 16 de dezembro e vai perdurar até 31 de janeiro de 2017, abrangendo fim de ano e férias. A segunda etapa da Operação Rodovida vai se estender de 17 de fevereiro a 5 de março de 2017, compreendendo o período de Carnaval.

A Operação vai atender a 100 trechos críticos de rodovias federais de 17 estados. Dos 100 pontos críticos, 17 estão no Paraná, em trechos das BRs 277, 376, 476, 369 e 116. No período compreendido entre 18 de dezembro de 2015 e 14 de fevereiro de 2016 foram registrados 525 acidentes graves, que resultaram em 63 óbitos, de acordo com release da PRF.

Os dois principais cuidados que o inspetor aponta para garantir a segurança de condutor e dos passageiros é o uso do cinto para os adultos e da cadeirinha para as crianças, no tamanho adequado para altura, peso e idade delas. É comprovado que o uso do cinto diminui drasticamente o risco de lesões graves e de morte pelo fato de reduzir o impacto em colisões, ao mesmo tempo que impede que o corpo das vítimas seja ejetado dos assentos. “As pessoas dizem que a cadeirinha ocupa um espaço muito grande, mas é esse espaço que pode salvar a vida de seu filho”, observa Claudio Adão.

Nas rodoviárias está sendo intensificada uma campanha para que passageiros do transporte intermunicipal e interestadual utilizem o cinto de segurança. Os motoristas dos ônibus enfatizam, antes do início de cada viagem, as normas de segurança para o bom andamento da viagem. Entretanto, conforme o inspetor, os próprios motoristas reconhecem que não podem parar a viagem a cada instante para verificar se todos os passageiros estão usando o cinto. Daí a necessidade de priorizar esse tipo de campanha educativa.

Inspetor da PRF de Irati, Cláudio Adão, deu algumas dicas de segurança no programa Meio Dia em Notícias

PUBLICIDADE
Lei do farol baixo 

A lei federal 13.290/2016, conhecida como “Lei do Farol Baixo” gerou controvérsia desde que entrou em vigor, em 8 de julho deste ano. Tanto que foi suspensa a cobrança de multas com base nessa lei em 2 de setembro, sob o entendimento da Justiça de que, muitas vezes, motoristas confundiam rodovias com ruas e avenidas que compõem a malha urbana.

Em 20 de outubro, a fiscalização foi retomada. Na prática, os órgãos de trânsito de todo o país podem aplicar multa sempre que não houver ambiguidade sobre a necessidade do farol, em estradas rurais e em trechos urbanos devidamente sinalizados. O descumprimento é uma infração média, com multa de R$ 85,13. A lei exige que o motorista circule com o farol baixo, mesmo durante o dia, nas estradas. O correto é o farol baixo e não a lanterna acesa.

O inspetor Claudio Adão frisa que o projeto de lei que deu origem à nova norma é de autoria do deputado federal Rubens Bueno (PPS-PR), com base na conclusão de países desenvolvidos de que transitar pelas estradas com faróis baixos, mesmo durante o dia, aumentam a visibilidade para os motoristas. “Com o farol aceso, o objetivo é ver melhor o veículo que vem e ser melhor visto, porque muitas ocorrências acontecem porque, em alguns locais, as árvores causam sombra na rodovia. Se você manter a luz baixa, que é o obrigatório, isso com certeza vai te dar uma maior segurança”, explica. Claudio Adão complementa que o farol baixo amplia a visibilidade, principalmente, de veículos de cores neutras: preto, branco, cinza e prata.

Ainda nesse sentido, cumpre ressaltar que respeitar a sinalização nas estradas aumenta a segurança para você, para os passageiros e para os demais motoristas. Evite ultrapassagem em locais onde ela for proibida. Respeite os limites de velocidade.

Álcool ao volante 

A lei federal 12.760/2012 fez nova alteração ao Código de Trânsito Brasileiro e estabeleceu tolerância zero ao álcool na direção. Antes, a lei 11.705/2008 fixava limites de tolerância na concentração de álcool no sangue para motoristas. O valor da multa também aumentou.

Dados da PRF mostram uma ligeira queda no número de acidentes nas estradas provocadas por influência do álcool. De 7.594, em 2012, para 7.526, em 2013 e 7.391, em 2014. O inspetor lamenta que nem todos ainda tenham tomado consciência do quão importante é deixar de lado o hábito de pegar no volante após beber.

“Temos presenciado inclusive pais de família, viajando com a família, que é o bem mais precioso que nós temos. Você aborda ele no posto, vai fazer o teste do etilômetro (bafômetro) e dá positivo. Infelizmente, estive fazendo alguns levantamentos e verificações, e vimos que, muitas vezes, aquele motorista de final de semana – não o profissional – não se atenta para isso, não tem essa preocupação. Ele acha que porque vai viajar, pode tomar uma cerveja, que não vai ter problema”, afirma Claudio Adão.

O inspetor ressalta que a ingestão de álcool potencializa o risco de acidente, porque o motorista perde sua percepção e os reflexos ficam comprometidos.

Fiscalização 

Segundo Claudio Adão, além do trabalho para orientar os motoristas para evitar acidentes, a PRF mantém a fiscalização de veículos que trafegam nas estradas, a fim de coibir tráfico de drogas e contrabando. Na manhã desta quarta (28), às 10h40, um veículo oriundo de Foz do Iguaçu foi flagrado, no posto da PRF em Irati, transportando 48,7 quilos de substância análoga a maconha. Os envolvidos e a droga já foram encaminhos à Polícia Civil de Irati.

A apreensão ocorreu durante fiscalização no quilômetro 240 da BR-277, nas proximidades do trevo de acesso principal à cidade de Irati. Foi dada voz de parada a um Mercedes Classe A, placas BFO-2677, de Foz do Iguaçu. O condutor do veículo admitiu que trazia o entorpecente do Oeste do Estado para Curitiba.


Comentários

Enquete

Se não está bem de Saúde, aonde busca o primeiro atendimento:

  • Santa Casa de Irati
  • Pronto Atendimento Municipal - PA
Resultados