Política e Eleição / Notícias

22/06/18 - 19h34 - atualizada em 22/06/18 às 19h53

Câmara de Rio Azul entregará títulos de Cidadão Honorário e Benemérito

Vereadores indicaram oito pessoas para receberem homenagem durante comemorações do aniversário de Rio Azul

Da Redação 

Vereadores indicaram oito pessoas para receberem título de Cidadão Honorário e Benemérito de Rio Azul

Os vereadores da Câmara de Rio Azul apresentaram as indicações de personalidades a serem homenageadas com a concessão do título de Cidadão Honorário e Benemérito durante a sessão ordinária de terça-feira (19). As proposições serão analisadas em primeira votação na próxima reunião, na terça que vem (26). Os títulos aprovados serão entregues em sessão solene durante o mês de julho, como parte do calendário de comemorações oficiais do Centenário de Rio Azul.

Os vereadores indicaram oito cidadãos a serem homenageados com os títulos. Jair Boni (PSB) indicou para o título de cidadão benemérito o agricultor João Cararo Neto, ex-presidente e ex-vice-presidente do Sindicato Rural de Rio Azul; membro do Conselho de Administração do Sicredi Centro-Sul PR/SC e Ministro Extraordinário da Eucaristia na Capela São Sebastião, na localidade de Faxinal de São Pedro. 

PUBLICIDADE

O vereador Valdir Siqueira (PR) propôs homenagear com o título de cidadão honorário o cirurgião-dentista André Armando Malojo, que desde 2009 assumiu o comando da emissora de rádio, Thalento FM, empreendimento idealizado pelo pai, Humberto Malojo, que não chegou a ver o sonho concretizado, por ter falecido pouco tempo antes num acidente. Malojo também é membro ativo dos CTGs Cavalo Preto e Laçando na Querência e fundador do CTG Alma de Campo, todos em Rio Azul.

PUBLICIDADE

Zerico José Nepomuceno (PP) indicou o pastor Joel Alving, co-fundador da Igreja Evangélica Assembleia de Deus – Ministério Missão, em Rio Azul, ao título de cidadão benemérito. O pastor, mais tarde, fundou também a Assembleia de Deus – Ministério Madureira.

O presidente da Câmara, Edson Paulo Klemba (PDT), propôs o título de cidadão benemérito ao ex-vereador, ex-presidente da Câmara de Rio Azul e ex-secretário de Saúde de Rio Azul, Quirino Alfredo Bucco. Ele foi também motorista de ambulância da Secretaria de Saúde; motorista de caminhão e hoje atua no transporte escolar. Desde jovem manifestou envolvimento comunitário, seja no esporte, quando integrou a diretoria do Esporte Clube Pinheiros, time de futebol de Barra da Cachoeira; na Igreja, como vice-presidente da Capela Santo Antônio, em 1986; no Tradicionalismo, como um dos fundadores e ex-patrão do CTG Cavalo Preto; no Serviço Social, como ex-presidente da APAE de Rio Azul e do Lar dos Velhinhos e primeiro presidente do Conselho Tutelar de Rio Azul.

Quirino é o fundador do Grupo Tropeiros da Paz, um grupo de cavaleiros que em duas oportunidades seguiram a cavalo, montados, de Rio Azul até o Santuário Nacional de Aparecida do Norte/SP. Na vida pública, Quirino foi vereador em duas legislaturas: 1993 a 1996 e depois entre os anos 2005 e 2008. Também foi presidente da Câmara nos biênios 1993-1994 e 2005-2006. 

PUBLICIDADE

O vereador Sérgio Mazur (PSD) indicou o título de cidadão honorário ao alfaiate e fotógrafo aposentado Antonio Maroski. Durante décadas, Maroski fez o registro fotográfico do cotidiano das famílias rio-azulenses, com sua arte e técnica. O alfaiate também virou referência regional na confecção de ternos para os noivos da cidade e da região. Contribuiu significativamente na construção da Igreja Matriz Sagrado Coração de Jesus na década de 1970. Cesar Martins dos Santos (PROS) indicou o radialista Pedrinho Martins ao título de cidadão honorário. Pedrinho Martins atuou muitos anos na Rádio Alvorada do Sul FM, de Rebouças, e por muito tempo apresentou o programa de rádio de maior audiência em Rio Azul. Foi também compositor e um dos primeiros artistas da região a gravar um disco. Ele gravou um compacto duplo, com quatro faixas, lançado pelo Selo Iguaçu da gravadora Continental. O maior sucesso dele é a música Saudade de Rio Azul, composta em 1977, período em que ele morou longe de sua querida cidade natal.

O vice-presidente da Câmara, o vereador Leandro Jasinski (PV), indicou a professora Sueli Surmacz Gapinski para o título de cidadã benemérita. Professora da rede municipal de ensino de Rio Azul há mais de 30 anos, dedicou a maior parte de sua carreira às crianças do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Pequeno Polegar II. A dedicação e liderança como professora durante tanto tempo renderam à Tia Sueli, como é carinhosamente chamada, o apreço e reconhecimento da comunidade.

PUBLICIDADE

A 1ª secretária da Mesa Diretora, a vereadora Maria da Conceição Burko (PSDB), indicou a ex-presidente da Associação Comercial e Empresarial de Rio Azul (ACIARA), Regina Maria Pegoraro, ao título de cidadã honorária. Nos anos 1980, Regina foi a idealizadora e coordenadora de uma ação entre amigos para levantar recursos para a construção do Lar dos Velhinhos de Rio Azul, entidade que presidiu por seis anos. Também fez parte da Agência de Desenvolvimento do Sul e Centro-Sul do Paraná (ADECSUL), entidade que presidiu por oito anos, de 2008 a 2016, trabalhando em prol do desenvolvimento do turismo local.

Regina Pegoraro também idealizou e realizou, em 2010, com patrocínio da Petrobras, e em conjunto com a comunidade, o filme “Dom de Deus”, curta-metragem biográfico sobre o artista plástico rio-azulense Antonio Petrek, obra que registra e divulga algumas das riquezas do município de Rio Azul, como as pinturas do artista na Capela Senhor Bom Jesus, na localidade de Cachoeira dos Paulistas.

Quem recebe título de Cidadão Honorário e Benemérito?

O título de Cidadão Honorário é concedido a uma pessoa importante, que recebe a homenagem por prestar relevantes favores, contribuições ou auxílios para o desenvolvimento da sociedade local. O Cidadão Honorário não necessariamente precisa ter nascido na cidade que propôs a homenagem, desde que tenha prestado a ela algum serviço de relevância. Através do título, o homenageado passa a ser considerado um cidadão rio-azulense de fato. O título de Cidadão Benemérito, por sua vez, é entregue a pessoas naturais do município de Rio Azul que tenham prestado relevante contribuição para o desenvolvimento social local.

PUBLICIDADE

HospSUS

Em explanação na Tribuna, o vereador Jair Boni falou sobre uma reunião ocorrida em Curitiba, em que ele e os vereadores Sérgio Mazur e Maria da Conceição Burko, o provedor do Hospital de Caridade São Francisco de Assis, Alexandre Burko, acompanharam o deputado federal Sandro Alex (PSD). O parlamentar intermediou a conversa com autoridades da Secretaria de Estado da Saúde (SESA) a fim de cobrar providências para colocar em dia o pagamento dos valores atrasados do HospSUS, cerca de R$ 150 mil, e a readequação do convênio referente aos 52 leitos hospitalares, a fim de que a entidade receba o valor real a que tem direito por essa condição. Na semana passada, o provedor pediu apoio dos vereadores para reparar a situação financeira da entidade, que atende pelo SUS.

Provedor do hospital de Rio Azul, Alexandre Burko, ao lado de sua esposa, a vereadora Maria da Conceição Burko, do deputado Sandro Alex, e dos vereadores Jair Boni e Sérgio Mazur. Comitiva de Rio Azul buscou apoio do parlamentar para que município receba recursos do HospSus

“Entramos em contato com o deputado federal Sandro Alex, que se dispôs a ir conosco à Secretaria de Estado da Saúde para tentar resolver o problema do HospSUS. Viemos de lá com uma grande alegria, que é uma promessa de que nessa semana já possamos ter grandes resultados, que pode amenizar bastante a situação do hospital. Foi cobrado que está sendo repassado somente R$ 30 mil e, pelos 52 leitos disponíveis, deveria ser R$ 60 mil. Foram cobrados também os R$ 150 mil que tem em atraso”, disse.

Sérgio Mazur, ao usar a Tribuna, relatou que esteve na manhã de terça-feira (19) no Hospital São Francisco de Assis para buscar um documento que faltava, depois que a secretária retornou de férias. “O Dr. Alexandre [Burko, provedor] me repassou toda a documentação que tem, protocolos, todas as vistorias que foram feitas, dizendo que está tudo ok. Não tenho dúvida nenhuma de que em poucos dias teremos boas notícias com respeito a essa situação”, disse.

Inadimplência do IPTU

Também na Tribuna, o vereador Valdir Siqueira resgatou o assunto da inadimplência de políticos que devem o IPTU, mencionado pelo presidente da Câmara numa sessão anterior, quando citou que o Executivo não teria repassado uma lista sobre quais seriam os políticos em débito com o município.

“Se eles devem, tem que pôr na Justiça. Se tem um tempo hábil, um prazo, e eles não pagam, é obrigatório eles fazerem essa cobrança. É improbidade administrativa, sim. Não importa se sou eu ou quem for. Se tem um meio de acertar [a dívida], tem um prazo para isso. Existe um prazo para esse pagamento e é obrigatório por lei. Também é crime, com certeza, não crime para quem está devendo, mas para quem não está cobrando. Quem tem que cobrar é o município”, afirmou.

Transporte escolar

Siqueira também cobrou alternativas para impedir que crianças percam dias letivos por causa da falta de transporte escolar. Ele mencionou uma manifestação do vereador André Dusanoski (PTB), feita em sessão anterior, que apontava que uma das comunidades do interior ficou, recentemente, cerca de 20 dias sem o transporte escolar. “É correto isso? Será que não tinha que ter sido tomada outra providência? Mesmo os ônibus chegarem mais perto da casa ou ter outro jeito de trazer essas crianças para poderem vir para essas aulas e não perder? Não pode acontecer”, disse.

Klemba cobrou dos vereadores que fiscalizem as oficinas sobre a manutenção dos ônibus da frota do transporte escolar. “Estamos sofrendo com os ônibus? Estamos. Tenho dó do Floripo [João Soares, chefe do transporte escolar], pois ele corre o dia inteiro, procurando soluções para colocar dentro desses ônibus. Foram comprados mais ônibus, mas volto a convidar os senhores para visitar essas oficinas. Já conversei com o prefeito e ele nos autorizou. Vamos ver o que está acontecendo? Está feito o convite aos senhores”, convidou.

O presidente da Câmara enfatizou que além de fiscalizar e fazer críticas, os vereadores podem também indicar as soluções ao Executivo. “Somos muito bem pagos para fazer o serviço. Convido os senhores a fazer essa fiscalização. Se os senhores quiserem, eu sou companheiro. O prefeito já nos autorizou. Vamos a todas as oficinas que fazem manutenção e ver o que está acontecendo com os ônibus, se é serviço mal feito, já que os ônibus não são tão velhos assim”, reiterou.

Requerimentos e indicações atendidas

Klemba agradeceu ao Executivo pelo atendimento a indicações e requerimentos apresentados pelos vereadores, como os de travessias elevadas. “Quero também agradecer ao prefeito Rodrigo [Solda], tem vários pedidos, de vários vereadores, mas especialmente as lombadas [travessias elevadas] na Rua XV de Novembro nesta semana, na frente do mercado Travinski. A tua sonhada lombada, Zerico, também saiu na tua rua. Aos pouquinhos, está aparecendo. O prefeito está pintando as ruas da cidade. É um serviço fácil de fazer, está dando mais cara à cidade. Como já falei aqui nessa Tribuna, existe 100% de um orçamento, mas somando tudo, 54% de funcionários, mais 40%, entre Saúde e Educação, sobram entre 6% e 7% de investimento. E Rio Azul não é [um município] pequeno . Façam as contas do quanto sobra para investimento. Mas está saindo bastante coisa. Não vamos tapar o sol com a peneira, porque está saindo bastante coisa”, afirmou.

Medicamentos

Klemba respondeu ao requerimento apresentado na semana anterior, pelo morador de Serro Azul, Márcio Irineu Kuas, que solicitava reposição de medicamentos de uso contínuo na Farmácia do Centro Municipal de Saúde. Segundo o morador, a mãe dele, uma idosa de 76 anos, faz uso de vários tipos de medicamentos controlados de uso contínuo, que estariam constantemente em falta.

O presidente da Câmara saiu em defesa da secretária de Saúde, Rosane Popovicz Schirlo. “O cidadão Márcio Irineu Kuas fez bem em mandar o requerimento, mas como é nosso trabalho, fui até lá ver a questão da distribuição dos medicamentos. Ela [a secretária] falou que não está 100%, porque nunca está 100% a distribuição de medicamentos. Como a própria farmacêutica passou. Mas o seu Márcio retirou medicamentos em 4 de junho; 3 de maio e 4 de abril”, demonstrou o vereador, que apresentou uma cópia da carteirinha de Márcio, da Farmácia Central, e de documentos comprobatórios de que ele retirou os medicamentos.

“É necessário que o povo vá lá ver. Peça o seu remédio. Se não tem, reclame. Mas reclame quando tem certeza da situação”, criticou.

Caminhão refrigerado

Valdir Siqueira comentou, ainda, a respeito do caminhão refrigerado entregue à Secretaria de Agricultura para o programa de diversificação de culturas, para o qual havia uma licitação aberta no ano passado, sem recursos alocados. Recentemente, o Executivo, com apoio parlamentar, obteve os recursos para a adquirir o veículo, segundo mencionado pelo vereador Edson Klemba na semana passada.

“Fui me informar e esse caminhão é de um projeto que não foi de nenhum deputado. Na verdade, era um projeto que existiu e eles fizeram um encaminhamento e quem ganhou a licitação não tinha para entregar. Acabaram, não sei se, perdendo ou tendo que fazer novamente a compra desse caminhão”, afirmou Siqueira. Ele também disse que ainda iria se informar melhor sobre o tema, pois a fonte é alguém que trabalha com a agricultura familiar, pelo Estado.

Klemba também falou sobre o assunto. “Tenho documentos aqui, que vou deixar nas mãos do secretário [José Augusto Gueltes] para quem quiser tirar cópia, com o termo aditivo que o ex-gestor [Sílvio Paulo Girardi] perdeu esse recurso. O prefeito Rodrigo [Solda] foi atrás com o deputado Francischini [deputado federal Fernando Francischini, do PSL], conseguiu esse recurso. Está aqui o termo aditivo e o dia que ele recebeu esse recurso: 29 de novembro de 2017. É uma benfeitoria que o prefeito Rodrigo conseguiu para o município de Rio Azul. Tem uma ata do programa, lá atrás, mas [o recurso] foi perdido”, respondeu.

Estradas rurais

O presidente da Câmara também parabenizou o secretário municipal de Obras, Nelson Kochinski, e seu auxiliar, Geraldo Moraes, pela fluidez na execução de serviços nas estradas. “Estou vendo fluir os serviços. Como o senhor André [Dusanoski] falou, este é o ano do acontecimento. Estou vendo muitas coisas serem feitas e refeitas. Estive com o vereador Jair [Boni] na estrada de Cachoeiras dos Paulistas, onde a firma fez um serviço de readequação com pedra brita. Não existe pedra brita lá. Já fomos fazer uma vistoria uma vez e agora estão fazendo o serviço novamente. E digo para vocês: serviço bem feito, cascalhamento bem feito. E está sendo feito no município em várias e várias comunidades”, destacou.

Boni citou requerimentos apresentados por ele no passado, com solicitações de melhorias na estrada rural que dá acesso à propriedade da família de Íria Cândido, moradora de Rio Azul de Cima. “Quando se fala na situação das estradas, muitas vezes se entende oposição e situação. No mandato passado, fiz cinco requerimentos pedindo, por escrito, para fazer um serviço na propriedade de uma família que tem três moradores, no Rio Azul de Cima. Nesse mandato, pedi três vezes. Naquela comunidade, de Rio Azul de Cima, foi feito para quase todas as famílias, foi dado uma melhorada que amenizou a situação”, disse.

O vereador relatou que, recentemente, visitou a moradora Íria, que desabafou que se sente isolada e excluída, pela falta de melhorias na estrada, que atrapalha o deslocamento. Segundo o vereador, é necessário refazer um bueiro no local e executar melhorias num trecho de 600 metros.

“A questão que o senhor colocou, vereador Jair, da família Cândido, tenho amigos de infância naquela situação, na comunidade do Rio Azul de Cima. Conversei com o Geraldo [Moraes] e, se não for amanhã ou quinta eles estarão resolvendo essa situação lá daquela família. O Edilson Kruk mora lá, é meu amigo de infância. Vamos resolver essa situação o mais breve possível”, garantiu Klemba.

Pontes

Boni (PSB) afirmou, ainda, que a comitiva de vereadores que foi até Curitiba esteve no gabinete do deputado estadual Luiz Claudio Romanelli (PSB), na Assembleia Legislativa (ALEP). O deputado assegurou uma emenda de R$ 100 mil para a execução de quatro pontes na cidade de Rio Azul.

Projetos aprovados

Durante a sessão foram aprovados quatro projetos em primeira discussão. Um deles foi apresentado pelo Executivo e dispõe sobre as diretrizes para a elaboração do Orçamento Geral do Município de Rio Azul para o exercício financeiro de 2019. Os outros três projetos foram apresentados pelo vereador Edson Paulo Klemba com denominação de ruas no loteamento Maristela Duda Kojunski.

Confira os detalhes dos projetos abaixo:

PL do vereador Edson Paulo Klemba, que denomina “Rua Ervino Duda” a via pública Projetada “A”, do loteamento Maristela Duda Kojunski, com traçado transversal à Rua Dr. Amílcar de Rezende Dias no sentido norte/sul, com aproximadamente 60,60m (sessenta metros e sessenta centímetros) de extensão, servindo aos lotes nº 02, 03, 04, 05, 06, 07, 08, 09, 10 e 11; 

PL do vereador Edson Paulo Klemba, que denomina “Rua Doutor Amílcar de Rezende Dias” a via pública com traçado transversal à Rua Adelermo Camargo e que tem início a partir desta seguindo depois na direção oeste/leste, com aproximadamente duzentos metros, cruzando as Ruas Presidente Tancredo Neves, Madalena Chornobai Duda e Ervino Duda;  

PL do vereador Edson Paulo Klemba, que denomina “Rua Madalena Chornobai Duda” a via pública Projetada “B” do loteamento Maristela Duda Kojunski, com traçado transversal à Rua Dr. Amílcar de Rezende Dias no sentido norte/sul, com aproximadamente 84,40m (oitenta e quatro metros e quarenta centímetros) de extensão, servindo aos lotes nº 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20, 21, 22, 23 e 24.  


Comentários

Enquete

Feriado N. S. Graças 27 de novembro em Irati

  • Não concordo
  • Concordo
Resultados