Rádio Najuá

Iraty empata com Cianorte e chega à marca de 343 dias sem vitória

29/02/12 - 18h38 - Atualizado em 29/02/12 - 18h38
Rodrigo Zub
 
Empate foi ruim para o Azulão que permanece na lanterna da competição
O Iraty tentou, foi aguerrido, neutralizou as principais jogadas do Cianorte, porém mais uma vez saiu de campo sem conseguir um resultado positivo.  As oportunidades surgiram, mas faltou pontaria aos atacantes do Azulão. Sendo assim, o time de Edson Paulista teve que se contentar com o empate em 0 a 0, diante do Leão do Vale, na tarde desta quarta-feira, 29, no estádio Emílio Gomes.  Desta forma, o Iraty mantém o jejum de vitórias que chega a 12 partidas na competição. Contando as duas últimas edições do Paranaense já são 18 jogos ou 343 dias sem triunfo.

Durante os 90 minutos, o desempenho dos dois clubes em nada lembrou a classificação das equipes na competição. O lanterna Iraty surpreendeu os visitantes e durante boa parte da partida encurralou o Leão do Vale, em sua “jaula”.  Na melhor chance, Marcelo estreante do Azulão, acertou a trave de Fabrício, no primeiro tempo.  Com dificuldades para chegar ao campo ofensivo, o Cianorte levou perigo somente em uma cabeçada de Pablo, que acertou a trave de Doni, na etapa inicial.

Com o resultado o Iraty permanece na última posição com cinco pontos. Já o Cianorte manteve a invencibilidade e chegou aos 26 pontos na classificação acumulada dos dois turnos.

No próximo domingo, os dois clubes voltam a campo. O Azulão viaja até Arapongas, onde enfrenta a equipe local. Já o Leão do Vale terá como adversário, o Roma Apucarana, em partida que acontece no estádio Albino Turbay. Os dois jogos acontecem no domingo, às 16 h.

Iraty e Cianorte param na trave no 1º tempo

A partida entre Iraty e Cianorte pode ser dividida em duas etapas. Com boa movimentação e troca de passes, os visitantes dominaram os primeiros 15 minutos, tanto no primeiro como no segundo tempo. Depois disso, só deu Azulão que só não saiu de campo com um resultado melhor, em função da má pontaria de seus atacantes.

Na etapa inicial, Jovane teve a primeira chance do jogo. O volante avançou pela intermediária e chutou sobre o gol de Doni, aos 4 minutos. Instantes depois, o Cianorte chegou novamente com perigo. Felipe Pinto fez o desarme em cima de Caio e avançou até finalizar nas mãos de Doni.

Quando o goleiro não salvava eram os companheiros que evitavam o gol dos visitantes. Aos 8 minutos, Paulinho faz boa jogada pela direita e cruzou para Henrique, mas Luis Guilherme se esforçou e mandou pela linha de fundo.
Recuado o Iraty conseguiu finalmente sair do campo de defesa, aos 9 minutos. Clayton lançou o estreante Marcelo Campagnolo que ajeitou para Denis. Ele soltou a bomba, mas mandou longe do gol de Fabrício.

O lance acordou o Azulão que passou a prender a bola no campo de ataque. As bolas paradas eram umas das principais jogadas de ataque da equipe de Edson Paulista. Foi assim, que Caio quase marcou ao desviar de cabeça escanteio cobrado por Clayton.

Porém, a melhor do Iraty na partida saiu dos pés de um estreante.  Fumaça recuperou a bola no lado esquerdo do ataque e fez o passe para Marcelo Campagnolo, ele girou e chutou forte de perna esquerda. Caprichosamente a bola tocou a trave, antes da defesa do Cianorte afastar.

Ao contrário dos últimos jogos, o Azulão mostrava um bom futebol diante do melhor time do interior e ainda invicto na competição. Acreditando que poderia surpreender o adversário, o Iraty se mandou para o ataque. Aos 24, Fumaça perdeu uma ótima oportunidade ao finalizar fraquinho para a defesa de Fabrício. Outro atleta que esteve perto de marcar foi Marcelo Campagnolo. O camisa 9 tentou o arremate de fora da área e quase surpreendeu Fabrício, aos 33 minutos.

Quatro minutos depois, o Leão do Vale voltou a dar o ar de sua graça. Por muito pouco, Pablo não fez o primeiro dos visitantes, mas ele acertou a trave de Doni, após cobrança de escanteio de Felipe Pinto.

Quem também tentou de cabeça foi Henrique, mas Doni segurou firme no meio do gol.

No final da primeira etapa Azulão e Leão do Vale ainda tiveram mais uma chance de ir para o vestiário em vantagem. O Iraty foi quem assustou primeiro. Aos 42, Paraíba depois de jogada individual chutou para defesa fácil de Fabrício.

A resposta do Cianorte veio logo depois. Felipe Pinto tentou o cruzamento para Pablo, porém o goleiro iratiense estava atento e praticou boa defesa ao dar um leve desvio antes da chegada do centroavante. Pablo ainda tentou no rebote, mas mandou a esquerda de Doni.

Iraty pressiona e perde várias chances

O segundo tempo foi de poucas emoções no Emílio Gomes. Muitos erros de passes e a instabilidade das duas equipes, que alternaram bons e maus momentos, fizeram com que o jogo tivesse poucos lances de perigo nos 45 minutos finais. A partida só esquentou a partir dos 30 minutos, quando o Iraty abusou do direito de perder gols.

Antes disso, porém, o Cianorte como no primeiro tempo comandou as ações do jogo. Mesmo assim, a falta de objetividade do setor ofensivo fazia com que o goleiro Doni não tivesse que trabalhar. Em dois lances seguidos, Henrique tentou de cabeça, mas sem levar perigo para o camisa 1 iratiense.

O jogo que já era ruim tecnicamente passou a ficar pior a partir dos 15 minutos. O clima esquentou com várias entradas ríspidas dos atletas das duas equipes. A violência dos atletas precisou ser contida pelo árbitro Selmo Pedro dos Anjos Neto, que aplicou três cartões amarelos num espaço de cinco minutos.

Chances de gols eram raras no Emílio Gomes. Felipe Pinto ainda tentou um arremate de fora da área, mas mandou longe do gol, aos 27 minutos.
A monotonia do jogo chegava a arrancar bocejos de sono do torcedor iratiense, que despertou a partir dos 30 minutos, quando o Iraty finalmente acordou. Precisando da vitória os donos da casa começaram a pressionar a saída de bola, impondo dificuldades aos defensores do Cianorte.

Aos poucos as chances de gol foram surgindo com naturalidade. Primeiro Anderson tentou o chute de fora da área, mas a bola saiu torta a esquerda de Fabrício.
No lance seguinte, Quirino fez grande jogada e cruzou para Paraíba. O artilheiro do Iraty no Paranaense teve a bola do jogo em seus pés, mas desperdiçou ao chutar sobre o gol de Fabrício.

Outro que estava com o pé descalibrado foi Denis. Ele fez boa jogada, passou pela marcação de dois defensores e finalizou sem perigo para Fabrício.
Aos 34 minutos, foi à vez de Paraíba tentar, mas ele ficou novamente no quase depois de defesa do goleiro do Leão do Vale.

Quatro minutos depois, o treinador Edson Paulista foi para o chuveiro mais cedo. Paulista foi expulso após reclamar de uma falta cometida por Quirino em um defensor do Cianorte.

Dos vestiários, o treinador acompanhou o calvário de sua equipe que perdeu boas chances de sair de campo com a vitória. Aos 42 minutos, Clayton lançou Paraíba que foi individualista e optou em chutar ao gol. Fabrício agarrou firme no meio do gol.

No último lance de perigo, Clayton teve a oportunidade em lance de bola parada. O camisa 10 arrematou e a bola foi desviada pela linha de fundo.

Ao final do jogo as duas equipes saíram satisfeitas com o empate. Mesmo sem vencer na competição, o Azulão saiu fortalecido de campo após a boa apresentação contra o Cianorte. Por sua vez, o Leão do Vale comemorou mais um pontinho importante na briga por uma vaga na final do Interior e também na Série D do Brasileirão.

IRATY 0 X 0 CIANORTE
Local: Coronel Emílio Gomes - Irati
Árbitro: Selmo Pedro dos Anjos Neto
Assistentes: Antônio Marcos Camargo de Andrade e Sidmar dos Santos Meurer
Público Pagante: 207; Público total: 239; Renda: R$ 2.180

IRATY: Doni; Nilson (Jessé), Caio, Luis Henrique e Denis; Luis Guilherme(Marcondes), Cleyton, Anderson e Anderson Fumaça; Marcelo(Quirino) e Paraíba. Técnico: Edson Paulista

CIANORTE: Fabricio; Elvis, Ligger, Alexandre e Fabinho; Cleiton, Jovane, Paulinho (João Paulo) e Felipe Pinto (Washington); Henrique e Pablo (Marquinhos)
Técnico: Paulo Turra