Rádio Najuá

Irati tem 1º caso confirmado de dengue autóctone

11/04/19 - 16h58 - Atualizado em 11/04/19 - 16h58

Da redação, com reportagem de Sidnei Jorge

Fotos: SECOM/Prefeitura de Irati


A secretária de saúde, Magali Salete de Camargo, confirmou que Irati tem um caso de dengue autóctone, ou seja, o paciente contraiu a doença dentro do município. O anúncio foi feito na manhã desta quinta-feira, 11, durante entrevista à Najuá.

“Isto quer dizer que nós temos o mosquito (Aedes Aegypti) infectado em Irati, porque se ela contraiu em Irati, isto já aconteceu. Até agora nós falávamos em infestação de mosquitos, mas agora já temos um deles infectado”, frisou.

Magali já havia alertado sobre a suspeita de quatro casos autóctones durante entrevista concedida no programa Meio Dia em Notícias da Super Najuá no mês de fevereiro. 

Continua depois da publicidade

PUBLICIDADE

Conforme a secretária, outros 20 casos estão sendo investigados, sendo que outro paciente já havia sido diagnosticado com dengue contraída fora do município. “Certamente temos outros casos positivos de dengue. É uma questão de dias para os sintomas aparecerem, o diagnóstico está sendo feito e os exames confirmados”, comentou.

Os principais sintomas são parecidos com os de uma gripe: febre alta (acima de 39°), dor no corpo, dor atrás dos olhos e vermelhidão no corpo. Ao menor sinal destes sintomas, a pessoa deve procurar a Unidade de Saúde mais próxima e o mais rápido possível.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Envie SIM notícias http://bit.ly/CliqueAquiWhatsSuperNajua     

Por e-mail: http://bit.ly/2BiE4tC  

Continua depois da publicidade

PUBLICIDADE

Dia D

Magali faz um balanço positivo do Dia D de Combate à Dengue, realizado nesta quarta-feira, 10. Ela relata que todo o município se envolveu nesta campanha. Porém, a secretária destaca que os moradores do interior não têm costume de guardar entulhos, que são levados para o caminhão que faz a coleta rotineiramente. Por este motivo, a quantidade coletada nas comunidades não foi tão expressiva.

A secretária relatou que foi encontrado muito lixo reciclável entre o material coletado nas residências da área urbana. “Por que todo este acúmulo de lixo, se temos caminhão passando duas ou três vezes por semana em todos os bairros fazendo o recolhimento deste material reciclável? Por que as pessoas guardam isto? Não podemos ficar aguardando que seja feita uma campanha de recolhimento: apareceu, surgiu lixou ou móveis velhos, temos que procurar imediatamente dar um destino. Vamos, de agora em diante, procurar não acumular esta quantidade de lixo que a gente viu lá”, comentou.

Conforme Magali, cerca de 50 toneladas de material foram recolhidas e encaminhadas para o CT willy Laars. Além disso, na manhã desta quinta-feira, outros seis caminhões de lixo foram encaminhados para a cooperativa responsável pela reciclagem, que deve trabalhar com o material acumulado no CT. Os trabalhos devem continuar amanhã e na próxima semana. A secretária afirma que os caminhões não passarão novamente nos bairros já atendidos.

“Nós estamos pedindo que a população coloque para a coleta do reciclável durante a semana, como é de rotina fazer”, frisou.

Continua depois da publicidade

PUBLICIDADE

Magali garante que o lixo que está acumulado no CT não oferece risco para a população dos bairros próximos, uma vez que está seco. Ela informou que a cooperativa responsável está trabalhando no local para reciclagem do material. Os pneus estão sendo armazenados debaixo dos barracões e serão levados por uma empresa especializada.

A secretária acredita que o volume de lixo a ser recolhido é ainda maior. Apesar disso, ela comenta que a resposta da população aos apelos da pasta foi satisfatória. “Ainda sabemos que tem muitos terrenos e casas com entulhos. A partir de agora, estaremos aplicando a lei que permite a multa. Em todos os lugares, principalmente neste momento em que estamos vivendo hoje, com a campanha tão exitosa ontem, tivemos o nosso primeiro caso de dengue autóctone, contraído em Irati. Esta pessoa não viajou, não teve contato com pessoas de fora, e não saiu de Irati. Temos um caso importado e o primeiro caso autóctone”, frisou.

Além dos funcionários públicos municipais, contribuíram com a campanha o Departamento de Estradas e Rodagem do Paraná (DER-PR), a concessionária Caminhos do Paraná S.A., a loja Panka Materiais de Construção e a Construtora Derbli, que cederam caminhões e pessoal para participar da campanha. Magali pede que a população colabore para que outros casos de dengue não sejam notificados.

“Nós não podemos cruzar os braços: o Dia D foi ontem, mas dia de combate à dengue é todo dia. A população não pode achar que, se fez uma limpeza está resolvido. Copinho de água, tampinha de garrafa, não precisa ser lixo grande, um sofá ou uma máquina de lavar, a dengue dá também nos pequenos objetos, numa tampinha, numa garrafa pet, no potinho de água. Nós não podemos cruzar os braços, e este papel quem tem que fazer é cada um de nós, cidadãos de Irati”, finalizou.