Rádio Najuá

🎧 Salas de vacinação estarão abertas neste sábado em Irati

18/10/19 - 22h27 - Atualizado em 18/10/19 - 22h27

Da Redação, com reportagem de Paulo Henrique Sava 

Chefe do Setor de Epidemiologia da Secretaria de Saúde de Irati, Denise Homiak Fernandes, falou sobre campanha de vacinação contra o sarampo durante entrevista à Najuá

Esse sábado, dia 18, é o Dia D da campanha de vacinação contra o sarampo. Todas as salas de vacinação em Irati estarão abertas, no horário das 8 às 17h, sem fechar para o almoço. 

A primeira etapa da campanha está em andamento desde o dia 7 e segue até 25 de outubro. Ela é direcionada para crianças de seis meses a menores de cinco anos (quatro anos, 11 meses e 29 dias). Já a segunda etapa será entre os dias 18 e 30 de novembro e se volta a adultos com idades entre 20 e 29 anos que não estejam com a caderneta de vacinação em dia. Em todo o País, a meta do Ministério da Saúde é vacinar 2 milhões e 600 mil crianças na faixa prioritária e 13,6 milhões de adultos.

“A vacina não é para todas as crianças. Só vai receber a dose da vacina quem está com esquema incompleto de vacinação”, alerta a chefe do Setor de Epidemiologia da Secretaria de Saúde de Irati, Denise Homiak Fernandes. O esquema de vacinação é completo quando a criança de seis meses a um ano recebe a dose “zero” – que não conta no calendário vacinal, mas protege a criança num quadro de surto, como o que ocorre agora. Com um ano de idade, a criança recebe a dose “um”, que já passa a ser contabilizada no calendário vacinal. Aos 15 meses (um ano e três meses), recebe a segunda dose, do reforço com a Tetraviral (contra sarampo, caxumba, rubéola e varicela).

Confira o áudio completo da entrevista com Denise no fim do texto

“Todas as pessoas entre um e 29 anos devem ter duas doses da vacina que contenham o componente sarampo. Com a evolução das vacinas, o nome variou bastante: anti-sarampo, dupla viral (sarampo e rubéola), MMR (fórmula que tinha o componente sarampo). Hoje existe a tríplice viral (caxumba, sarampo e rubéola). Como passou por várias alterações o nome da vacina, fica difícil para uma pessoa leiga no assunto identificar se ela está vacinada ou não. Por isso, é tão importante buscar a carteirinha de vacinação”, ressalta Denise. 

CLIQUE AQUI E RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS PELO WHATSAPP

PUBLICIDADE

Quem tem de 30 a 49 anos deve ter o registro de pelo menos uma dose e profissionais da saúde devem ter duas doses, independente da idade. Adultos com mais de 50 anos não estão contemplados no esquema de imunização porque, há 50 anos, o sarampo era um vírus circulante e quem contrai o vírus uma vez fica imune. 

Denise esclarece que a vacina contra o sarampo é contraindicada apenas para mulheres gestantes, imunodeprimidos e crianças com menos de seis meses. “As mulheres que pretendem engravidar, devem esperar por 30 dias depois de receber a vacina”, orienta. Para o restante da população, não há qualquer contraindicação, nem mesmo para os alérgicos a leite e a ovo, em relação à vacina Tríplice Viral – que protege contra o sarampo, a caxumba e a rubéola.

“A vacina é segura, eficaz e é a única forma de prevenção contra essas doenças tão avassaladoras. São doenças graves, com risco de óbito, risco de complicações muito sérias. Não podemos facilitar e deixar nossas crianças sem a vacina, sem proteção”, enfatiza Denise. 

A enfermeira explica que o sarampo é uma doença infecciosa viral, que se transmite de forma aguda, potencialmente grave, transmitida pelas vias aéreas. A pessoa infectada libera o vírus no ar pelo simples ato de falar, respirar e tossir. É uma doença extremamente contagiosa, com risco de complicações graves, com a panencefalite (uma complicação cerebral), meningite, problemas no coração, nos rins, infecção respiratória, pneumonia e, aliás, óbito, especialmente de crianças. 

PUBLICIDADE

Para quem já contraiu sarampo, o risco de ter novamente a doença “é mínimo, praticamente impossível. O sarampo confere imunidade permanente. Só vou transmitir o sarampo quando estou doente de sarampo, com transmissibilidade de seis dias antes e seis dias depois do aparecimento das manchinhas vermelhas pelo corpo (exantema)”, comenta. O sarampo começa com febre alta – de, no mínimo, 38,5°C – que vai persistir por três a quatro dias. Quando a febre começa a baixar, surgem as pintinhas vermelhas, características da doença. Até o surgimento das exantemas, o sarampo é facilmente confundido com outras doenças infecciosas, como a gripe, em função de sintomas como febre, coriza e quadros de conjuntivite. 

Quanto ao caso suspeito de sarampo que surgiu em Irati, Denise esclarece que se tratava de um paciente que mora em Curitiba, esteve em Irati, onde pernoitou, e procurou uma Unidade de Saúde com os sintomas da infecção. Conforme ela, foram adotados todos os procedimentos de bloqueio e não houve qualquer alarde sobre o caso na mídia em função de que poucas pessoas tiveram contato com o paciente. “Conseguimos identificá-las e fazer a vacina de bloqueio, imediatamente”, afirma.

A vacina é a única forma de prevenção, e na ocorrência de contato de pessoa não vacinada com caso suspeito de sarampo, esse deve receber a dose da vacina tríplice viral (sarampo/caxumba/rubéola), no prazo máximo de 72 horas após o contato, mediante avaliação do caso por um profissional de saúde qualificado.

PUBLICIDADE

Paraná tem 157 casos confirmados de sarampo

O Paraná tem 157 casos confirmados de sarampo, de acordo com boletim da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), divulgado ontem. São 54 casos confirmados a mais do que no boletim anterior da secretaria. Das confirmações no estado, 89 são de pessoas com idade entre 20 e 29 anos. Conforme o boletim, há 284 casos suspeitos de sarampo em investigação no Paraná. 

Curitiba concentra a maior parte das confirmações da doença no estado, com 123 casos neste ano. No boletim anterior, havia 80 casos. 

Municípios com casos confirmados de sarampo: 

  Almirante Tamandaré: 2 

  Campina Grande do Sul: 2 

  Campo do Tenente: 1 

  Campo Largo: 3 

  Colombo: 8 

  Curitiba: 123 

  Fazenda Rio Grande: 1 

  Pinhais: 5 

  São José dos Pinhais: 6 

  Ponta Grossa: 1 

  Maringá: 2 

  Londrina: 1 

  Rolândia: 1 

  Jacarezinho: 1