Rádio Najuá

Estudante de Rebouças vence Olimpíada da Língua Portuguesa

11/01/20 - 11h29 - Atualizado em 11/01/20 - 11h29

Da redação, com reportagem de Paulo Henrique Sava

A estudante Fernanda de Souza Fagundes, de 17 anos, aluna do Colégio Estadual do Campo de Faxinal dos Francos, em Rebouças, venceu a Olimpíada da Língua Portuguesa. O texto de Fernanda, que é filha de agricultores, abordou os riscos do uso excessivo de agrotóxicos na produção de alimentos. O artigo “O pão nosso de cada dia pode estar envenenado” obteve a medalha de ouro e era um dos 20 finalistas entre mais de 40 mil textos inscritos.

Fernanda conta que, já no início de 2019, a professora Maria Silmara Hilgemberg avisou a turma sobre a Olimpíada e pediu que os alunos pesquisassem sobre temas atuais, polêmicos e de repercussão. “Comecei a pesquisar e descobri sobre essa placa que foi colocada entre as cidades de Rebouças e de Irati, que informava a quantidade de agrotóxicos que cada pessoa está consumindo”, conta a jovem.

A placa mencionada no texto que Fernanda traz a seguinte inscrição: “Região em perigo! Cada pessoa está consumindo o equivalente a 14 litros de agrotóxicos todo ano”. “Achei isso muito interessante, pelo fato de ser um assunto muito comentado nos dias de hoje e também por eu ser filha de agricultores e viver da agricultura. Isso me incentivou a escrever sobre o tema. Todos da minha turma escreveram textos maravilhosos e o meu foi o escolhido da escola e passou por várias etapas até chegar à etapa final”, relata Fernanda.

Para embasar o artigo, a estudante pesquisou textos sobre o tema nos periódicos da região, como o jornal Folha de Irati, e consultou a opinião de produtores rurais vizinhos à propriedade onde mora. “Minha professora que inscreveu meu texto na competição. Ela tinha até certa data para mandar. Depois disso, foi para a fase regional. Passou um bom tempo e minha professora me mandou uma mensagem, à noite, contando que, entre 500 textos, o meu tinha sido escolhido para a final. Fui para São Paulo para receber o bronze. Lá eu ia competir pela prata, com 65 [textos]. Lá consegui a prata e fiquei entre os 20 finalistas. Fui para São Paulo novamente e consegui ficar com um dos quatro ouros”, descreve.

“Foi incrível para mim. Uma experiência maravilhosa, que nunca vou esquecer. Fiquei muito feliz por poder representar minha cidade e o Paraná nessa competição de tão alto nível”, avalia a estudante.

Segundo Fernanda, o apoio dos professores e da família foi essencial em todo o processo. “Meus pais me apoiaram desde o momento em que comecei a escrever o texto. Eles sempre me apoiaram. Minha professora me ajudou, incentivou e me fez acreditar que eu era capaz de conseguir e também minha diretora [Silvia Belozupko], que me acompanhou até São Paulo, porque minha professora não pôde ir”, comenta.

PUBLICIDADE

A estudante conta que toda a família comemorava a cada avanço nas etapas da Olimpíada e a cada medalha conquistada, lotando seu celular com mensagens de apoio. “Quando voltei de São Paulo, que tinha recebido o ouro, minha família estava me esperando no portal da cidade e fizeram uma carreata. Foi incrível, uma emoção. Foi essencial o apoio deles para mim”, afirma. 

A professora Maria Silmara Hilgemberg explica que a Olimpíada da Língua Portuguesa é uma competição de âmbito nacional, que teve 170 mil textos inscritos, em todo o Brasil, e foram premiados os quatro melhores de cada gênero: artigo de opinião, memórias literárias, documentário, poema e crônica. “Estar entre os quatro melhores texto da categoria ‘artigo de opinião’ foi uma conquista histórica para nosso colégio, nosso município, nosso Núcleo Regional de Educação, que nunca havia chegado ao topo da Olimpíada”, destaca.


O tema da Olimpíada da Língua Portuguesa era “O lugar onde vivo”. “Desde que a Olimpíada foi implantada, o tema é esse. Dentro de cada gênero, o aluno tem que escolher algo de sua localidade, de sua cidade para falar sobre”, explica. “A aluna Fernanda optou por uma abordagem crítica. Era um assunto que a preocupava, como filha de agricultores, e ela decidiu escrever sobre o uso exagerado de agrotóxicos e também porque é uma polêmica”, diz.

“O trabalho realizado na escola, para a Olimpíada de Língua Portuguesa, não é de um dia, de uma semana. É bem trabalhoso, mas gera o resultado principal, que é a aprendizagem de todos os alunos do Colégio de Faxinal dos Francos, que realizaram as oficinas, estudaram muito, produziram. Foi um trabalho extenso, realizado desde o começo do ano, com trabalho de leitura e escrita constantes”, detalha a professora Maria Silmara.

A professora explica que o texto de Fernanda foi, primeiro, escolhido como o melhor da sala; depois, o do Colégio e, então, o do Núcleo Regional de Educação (NRE) de Irati. A primeira medalha, a de bronze, foi obtida quando Fernanda se classificou entre os 500 melhores textos. Desses 500, foram selecionados 65, para a medalha de prata. A estudante ganhou outros prêmios nessa etapa, como um leitor digital de livros (Kindle) e um vale para adquirir livros. O colégio recebeu uma placa de homenagem.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? 

“Então, veio o inesperado, que foi a medalha de ouro. O texto dela ficou entre os quatro melhores do Brasil no gênero que ela se inscreveu (artigo de opinião). Como eu não havia com ela [a São Paulo], assisti pela TV. Foi uma emoção tremenda. Foi realmente maravilhoso”, orgulha-se a professora de Fernanda.

Com a premiação da aluna, a professora Maria Silmara ganhou uma viagem para a Argentina, que ocorre em abril deste ano. Será uma viagem de capacitação, mas também para a realização de alguns passeios turísticos. Fernanda, por sua vez, ganha uma viagem para um destino dentro do Brasil, que a Comissão Organizadora ainda deve informar.

“A premiação mais valiosa foi o aprendizado de todos os alunos que participaram, porque é realmente um conhecimento que vai ficar para a vida deles. Foi um trabalho que nos estimula a continuar querendo sempre o melhor para nossos alunos e que eles consigam se superar a cada dia”, conclui.

Os textos vencedores serão logo publicados no site da Olimpíada da Língua Portuguesa: www.escrevendoofuturo.org.br.