Comemorações / Colunas

10/10/11 - 20h03 - atualizada em 10/10/11 às 20h15

Eu vi um menino correndo, eu vi o tempo... Maurílio Lopes, 100 anos em 2011.

Por Marli Traple                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                              
Um século... 100 anos.

Parece muito quando avaliamos tudo o que houve nos últimos cem anos no Planeta. As revoluções civis, a tecnologia que voou contra o tempo, a medicina que avançou a passos rápidos, o progresso enfim, em todas as áreas.

Quando falamos de 100 anos de Maurílio Lopes, foge essa avaliação e dá lugar ao “tempo que não passa” (para ele, é claro).

Lembro-me do aniversário de 85 anos, em sua residência, festejado com os filhos, netos, bisnetos e amigos. Lembro-me que ao entregar um CD Especial de Tangos de Richard Claydermann, Maurílio dizia, muitas festas virão, e você será minha convidada para os meus 100 anos. Este comentário é comum quando se passa dos 80 no plano terreno, mas, nunca imaginávamos que seria tão certeiro.

A festa de 100 anos de Maurilio Lopes, foi comemorada dia 09 de outubro, no Restaurante Anila, na presença de pessoas mais que amigas.
Maurílio Lopes, o homem que depois da festa dos 85 ainda pegava o seu automóvel fusca, original, marrom cor de café com leite, que somente o mecânico Dionízio punha a mão para os consertos necessários, e no volante se dirigia a Santa Helena, com suas varas de pesca para seus momentos de relaxamento.

Maurílio Lopes, o homem que ficava até altas horas da noite, no Gen Gis Kan (Bar do Demétrio no Parque Aquático) para ouvir o samba, o sertanejo, o clássico, o que na verdade não fazia diferença o gênero musical, mas se destacava a vontade de prestigiar os músicos, que sempre eram amigos dos momentos de risos e alegrias.

Passaram-se 15 anos da sua confirmação que eu seria convidada para a Festa dos 100 Anos de Maurílio Lopes. E na última semana, na Rádio Najuá conferimos uma subida triunfal (pela escada da frente, e não pela rampa), de terno cinza, uma mistura de seriedade e descontração, de elegância e naturalidade. Maurilio Lopes visita a Najuá para trazer o convite dos seus 100 anos. Um almoço no dia 09 de outubro, no Restaurante Anila com a presença de pessoas mais que amigas, transformadas em eternas admiradoras da vida do Seu Maurilio.

Adentrou a Rádio Najuá como sempre fez na época de Nagib Harmuch, quando trazia crônicas, chocolates, vinhos para agradar ao amigo que sempre agradecia no Programa Meio dia em Notícias, na hora do povão, as lembrancinhas que Maurílio lhe trazia.

Maurílio Lopes, 100 anos. Quantos de nós gostaríamos de alcançar esta idade, com a mesma vitalidade, com o mesmo brilho e principalmente com a mesma vontade de viver mais um século, se assim for permitido.

Obrigada Maurílio Lopes.

O Planeta agradece a sua participação neste século, que além do avanço da medicina, da tecnologia, contou com a tua presença indispensável para a conquista da felicidade, algo que não se encontra perdido nem nas coisas, nem nas pessoas, mas conforme você provou se encontra dentro de nós mesmos.

 

Comentários

Enquete

Reforma da Previdência

  • Nenhuma das respostas
  • Não deve mexer nos que ganham menos
  • Não é necessária
  • Deve ser ampla
Resultados