Futebol / Esportes

23/08/12 - 08h31 - atualizada em 23/08/12 às 08h33

Coritiba vence, mas fica no quase, de novo

Coxa sofre gol no fim e é eliminado do torneio continental pelo Grêmio, desperdiçando mais um atalho para a Libertadores
Gazeta do Povo


Após o término da partida, os jogadores do Coritiba cercaram o bandeira Émerson Augusto de Carvalho: queriam um impedimento que não ocorreu



Foi uma daquelas “derrotas” que o torcedor demora – e muito – a esquecer. Derrota porque, mesmo vencendo o Grêmio, ontem, por 3 a 2, o Coritiba acabou eliminado da Copa Sul-Americana. Depois de sentir o gostinho da classificação até os últimos instantes, o Coxa viu o rival marcar aos 44 do segundo tempo o gol que, aliado ao triunfo dos gaúchos em Porto Alegre por 1 a 0 e ao regulamento, tirou o time de Marcelo Oliveira do torneio continental.

Ou seja, depois de dois vices seguidos na Copa do Brasil e de bater na trave no Brasileirão do ano passado, o Alviverde desperdiça mais um atalho para disputar a Libertadores. “É o regulamento. Era a oportunidade que tínhamos de passar adiante, mas descuidamos no final”, resumiu Oliveira.

Descuido que tem sido comum nesta temporada coxa-branca. A defesa – a pior do Brasileiro com 34 gols sofridos – vem ficando marcada por ser vazada nos minutos finais. Foi assim em duelos recentes contra Corinthians, Vasco e Fluminense, por exemplo. Foi assim ontem, quando Marcelo Moreno, oportunista, calou o Alto da Glória, tirando a utilidade dos gols de Éverton Ribeiro, Roberto e Pereira – Elano marcou o primeiro gremista.

O lance que abreviou a passagem do Coritiba pela Sul-Americana revoltou os jogadores, que queriam que o assistente Émerson Augusto de Carvalho tivesse marcado impedimento (inexistente) de Marcelo Moreno. O bandeira é o mesmo que foi suspenso pela CBF por errar três vezes na mesma jogada que originou um dos gols do Santos no clássico contra o Corinthians, domingo –atuou ontem por ter sido escalado “previamente”. O volante Chico era um dos mais revoltados. “Nós jogamos, buscamos o resultado, não foi por omissão”, lamentou o treinador, que criticou também a marcação do pênalti que resultou no gol de Elano.

Agora, o Coxa volta suas atenções para o Brasileiro, onde a equipe é apenas a 15.º colocada, com 19 pontos, perto da zona de rebaixamento. “Lamentamos, era uma chance grande [de classificação], mas estamos fortes. O foco é no Brasileiro e vencer é fundamental para encerrar bem o primeiro turno”, ressaltou Oliveira, falando da partida de domingo, contra o lanterna Figueirense, em Florianópolis.



Comentários