Futebol / Esportes

31/01/16 - 22h57 - atualizada em 01/02/16 às 11h13

CSA conquista título do Campeonato Varzeano de Irati

Após perder no tempo normal por 3 a 1, empatar a prorrogação sem gols, CSA derrotou Mais Brasil nos pênaltis
Rodrigo Zub

Ficha Técnica:

Tempo normal: Mais Brasil 3x1 CSA
Prorrogação: Mais Brasil 0x0 CSA
Pênaltis: Mais Brasil 2x4 CSA
Estádio: Municipal Abrahm Nagib Nejm, em Irati
Data: 31/01/2016
Cartões amarelos: João Célio e Spak (Mais Brasil); Hiorann, Mailson, Mário, Junior e Boca (CSA)
Cartão vermelho: Boca (CSA) aos 3 minutos do primeiro tempo da prorrogação
Árbitro: Marcos Fabiano Mendes
Assistentes: Ciro Policarpo Batista e Dirlei Abel Diniz
Representante: Holair Mattos

Mais Brasil: Neguinho, Toninho, João Célio, Osmar Marochi e Spak; Tchotcho (Marinho), Alex (Gustavo), Erick e Maycon (André) (Ricardinho); Diogo (Pascoal) e Diego Molinari (Fábio Bedin). Técnico: Sidnei Chaves.

CSA: Jay, Boca, Sapo, Rosinha e Elisandro (Diego); Peterson (Mário) (Zaroio), Junior (Zóio), Rafael (Juan) e Mohá; Bruninho (Daniel) e Hiorann (Mailson). Técnico: Tiago Vidal.

Assim como ocorreu na primeira edição do Campeonato Varzeano, o campeão de 2015 foi definido nas cobranças de pênaltis. Se há 38 anos, o goleiro Renato Quadros se consagrou ao defender duas penalidades e ajudar o Clube Parentes e Amigos (CPA) a levantar a taça, dessa vez coube ao camisa 1 do Conjunto Santo Antônio (CSA), Jay, se tornar o herói de um título inédito.

Os 120 minutos de bola rolando não foram suficientes para definir o campeão do Varzeano, na tarde de domingo, 31, no estádio Municipal Abrahm Nagib Nejm. No tempo normal, o Mais Brasil foi superior durante boa parte da partida e venceu por 3 a 1. Como o CSA havia derrotado o rival por 2 a 1, no jogo de ida, a decisão foi para a prorrogação. Como ninguém balançou as redes na prorrogação, a disputa foi para os pênaltis. O CSA teve 100% de aproveitamento e converteu as quatro cobranças. Já o Mais Brasil desperdiçou duas penalidades. Marinho chutou para fora, enquanto que Erick parou no goleiro Jay. Zaroio definiu a vitória do CSA por 4 a 2 nas cobranças de pênaltis.

Após a partida foi realizada a cerimônia de premiação, que contou com as presenças do professor Antonio Alceu Jacopetti, idealizador do Campeonato Varzeano em 1978, do ex-goleiro Renato Quadros, que levou o nome da competição em 2015, do prefeito de Irati, Odilon Burgath, do vereador de Irati, Hélio de Mello, do deputado federal Toninho Wandscheer, entre outras autoridades e desportistas do município.

Os quatro primeiros colocados do Campeonato Varzeano de 2015 receberam premiações. Quarto lugar, a equipe do Canarinho do Rio Corrente recebeu R$ 300. O Falcão/Nhapindazal terminou na terceira posição e foi contemplado com R$ 500. O vice-campeão, Mais Brasil, ganhou R$ 1 mil. Já o campeão, CSA, ficou com o prêmio de R$ 2 mil.

Nas premiações individuais, o Mais Brasil teve melhor a defesa com apenas seis gols sofridos. Neguinho, do Mais Brasil, foi o goleiro menos vazado (sofreu apenas seis gols). Já o atacante Hiorann, do CSA, foi o artilheiro da competição com nove gols.

CSA conquistou título do Varzeano pela primeira vez
Jogo: Mais Brasil domina partida e vence com tranquilidade

Precisando apenas de um empate para se sagrar campeão do Varzeano, o CSA tentou repetir a forma de atuar do primeiro jogo da final. Com isso, o time se fechou no campo de defesa tentando explorar os contra-ataques. Porém, a tática não deu certo. Diferentemente do primeiro confronto, o Mais Brasil foi mais incisivo e criou várias oportunidades de gol durante a partida. A superioridade em campo se refletiu no placar. No primeiro tempo, o atacante Diogo abriu o marcador para o Mais Brasil. Após o intervalo, Alex recuperou a bola no campo ofensivo e chutou no ângulo de Jay para ampliar a vantagem.

Além dos gols, o Mais Brasil mostrava mais determinação e força ofensiva que o adversário. Mesmo com a vantagem de 2 a 0, o time comandado por Sidnei Chaves ainda desperdiçou outras chances, principalmente em razão da boa atuação do goleiro Jay, que salvou o CSA, em pelo menos três ocasiões. 

O CSA só conseguiu reagir em um lance de bola parada. Rosinha cobrou falta com categoria e venceu o goleiro Neguinho, que ficou apenas olhando a bola entrar. O gol marcado aos 34 minutos do segundo tempo deu um alento ao CSA. Bastava marcar mais um gol para levantar a taça.

Entretanto, quem balançou as redes foi o Mais Brasil. Aos 45 minutos do segundo tempo, Pascoal em cobrança de falta definiu o placar de 3 a 1, no tempo normal. O resultado levou a decisão para a prorrogação.

Prorrogação com poucas emoções

Com as duas equipes demonstrando nervosismo e errando vários passes, a prorrogação foi amarrada e praticamente sem chances de gol. Logo aos 3 minutos, Boca, do CSA, cometeu falta e recebeu cartão amarelo. Como já havia sido punido no tempo normal, o lateral foi expulso e deixou sua equipe com um jogador a menos. Mesmo assim, o CSA conseguiu segurar o ímpeto do Mais Brasil, que teve apenas duas chances de balançar as redes na prorrogação. Pascoal quase marcou de cabeça no fim do primeiro tempo, enquanto que Ricardinho chutou rasteiro próximo a meta de Jay, na segunda etapa. Como a prorrogação terminou empatada, a disputa foi para os pênaltis.

Decisão nos pênaltis

O Mais Brasil começou batendo, mas desperdiçou com Marinho, que chutou para fora. Sapo colocou o CSA em vantagem. Gustavo também marcou e igualou para o Mais Brasil. Mohá converteu a segunda cobrança do CSA e manteve seu time na frente do placar. Na terceira penalidade do Mais Brasil, Erick parou no goleiro Jay. Rosinha fez o terceiro do CSA. Pascoal ainda deu esperança para o Mais Brasil ao marcar o segundo gol. Porém, Zoroio sacramentou o título com o placar de 4 a 2.

VARB continua sendo maior campeão do Varzeano

Com o vice-campeonato, o Mais Brasil perdeu a chance de se igualar ao VARB (Velhos Amigos do Rio Bonito) como maior campeão do Campeonato Varzeano. O VARB foi campeão nos anos de 1997, 1999, 2002, 2004, 2005 e 2008. Já o Mais Brasil se sagrou campeão em 2007, 2009, 2011, 2013 e 2014.

Fotos: Luiz Henrique (Pirapó) e Antonio Martins de Albuquerque

{album}

Comentários