Futebol / Esportes

27/12/11 - 08h58 - atualizada em 27/12/11 às 09h03

"Derby do Malucelli" preocupa Federação

Londrina e Iraty, embora presididos por pessoas diferentes, na prática tem a mesma gestão, da SM Sports, de Sérgio Malucelli

Gazeta do Povo

 


A exemplo do Campeonato Brasileiro deste ano, o Paranaense de 2012 teve direcionamento em sua tabela de jogos, divulgada em novembro. No Nacional, a CBF decidiu colocar todos os grandes clássicos na última rodada, para evitar suspeita de manipulação de resultados. No Estadual, a situação é uma pouco mais complexa, sutil – a manobra da Fede­­ração Paranaense de Futebol foi aplicada para, especificamente, um confronto: Londrina x Iraty.

As duas equipes, embora sejam presididas por pessoas diferentes, na prática tem a mesma gestão, da SM Sports, de propriedade do empresário Sérgio Malucelli.

Por esse risco de “conflitos”, o encontro dos times – que têm a maioria de seus jogadores vinculados ao grupo SM – foi marcado exatamente para a metade dos dois turnos do Estadual, na 5.ª rodada.

Malucelli terá duas franquias no Paranaense 2012: Londrina e Iraty
“Tecnicamente está tudo certo. Os presidentes são diferentes, mas todo mundo sabe [que as equipes são geridas por Sérgio Malucelli]. Por precaução marcamos as partidas para a metade dos turnos, quando a importância delas será, teoricamente, menor”, afirma o diretor-técnico da FPF, Amilton Stival.

Embora afirme não acreditar em algum tipo de orquestração, o dirigente da entidade tomou a decisão para evitar suspeitas ou leviandades.

O direcionamento do calendário, contudo, é uma medida paliativa. Dependendo do desenrolar da competição, os confrontos de Iraty e Londrina poderão se tornar decisivos e de interesse de um deles – mesmo não se enfrentando nas rodadas finais, supostamente decisivas.

“Não acredito nisso [manipulação], nunca vi acontecer. Pois se um empresário pede para o jogador amolecer, perde a credibilidade. E essas coisas se espalham. Fizemos a mudança mais para não nos incomodarmos. A­­­fi­­nal, caldo de galinha não faz mal a ninguém”, completa Sti­­val.

A preocupação com o falatório também ocorreu ao empresário Sérgio Malucelli, o gestor do Londrina (o presidente é Cláudio Canuto) e até metade de dezembro também presidente do Iraty. O Azulão agora é presidido por Ge­­­raldo Cam­­pa­­nholi, que era o ex-diretor de futebol de Ma­­lu­­celli.

“Eu tenho o Londrina. Do Iraty não sou mais presidente. É para evitar isso aí mesmo [...] Precisei sair, pois depois iam ficar falando. Então o Geraldo vai assumir lá”, afirma o dirigente, que não vê problema na situação de estar por trás de dois clubes que disputam o mesmo campeonato.

“Problema no quê? Todo clube tem isso. Veja o Luís Alberto [da L.A. Sports]... Ele tem um monte de parceria no Co­­­­­­ritiba, no Paraná”, compara.

Malucelli está residindo em Londrina desde o meio do ano. Lá a SM Sports construiu um CT de treinamento onde cuida de seus jovens atletas – o local, desde o ano passado, é utilizado pelo Flamengo na pré-temporada. O Iraty faz parte do projeto de revelação de jogadores de Malucelli. Já o Londrina receberá a atenção principal do empresário.

“A base vai para o Iraty, com mais uns seis ou sete atle­­tas mais experientes”, a­­fir­­ma, sem fazer muita ex­­pectativa para o clube. O contrário vale para o Lon­­drina. “Acho que vai fazer boa campanha, viu...”


 

Comentários

Enquete

Reforma da Previdência

  • Nenhuma das respostas
  • Não deve mexer nos que ganham menos
  • Não é necessária
  • Deve ser ampla
Resultados