Matérias / Irati de Todos Nós

05/06/12 - 09h37 - atualizada em 05/06/12 às 11h13

Nenhum povo evolui desconhecendo a sua própria história - Parte III

                                
Os primeiros povoadores de Irati, vindos de Campo Largo, acamparam nas cabeceiras do Rio das Antas, em vasta planície; posteriormente, os interesses políticos deslocaram a estação ferroviária para o sopé da Serra da Floresta, e a cidade se desenvolveu em terras pantanosas e acidentadas. O Irati Velho se transformou, desde então, em “Relíquia Histórica”. Esta citação esta contida em um antigo relato de Emilio Baptista Gomes. 

O meu Boa Tarde a todos vocês, prezados ouvintes, que nos acompanham em todos estes sábados em que lhes oferecemos, com muito amor e carinho, um pouquinho da maravilhosa história do nosso querido Rio de Mel – Irati. Que a paz, a compreensão e o amor estejam bem lá dentro de seus lares e de seus corações.

Neste sábado, dia 26 de maio de 2012, estarei apresentando a vocês, nosso ouvintes, a terceira parte do tema que convencionei intitular de “NENHUM POVO PODERA EVOLUIR DESCONHECENDO A SUA PROPRIA HISTORIA”. Como enfoque principal deste assunto estou apresentando uma pequena biografia de alguns dos principais pioneiros da história do nosso município. Para o programa de hoje teremos a apresentação de mais algumas importantes mini-biografias, extraídas do Livro IRATI – volume II de autoria do professor e historiador José Maria Orreda, intercaladas por estrofes de poesias do nosso poeta-maior Virgilio Moreira. Então vamos lá:

IRATI VELHO – ATUAL VILA SÃO JOÃO

IRATI VELHO QUANDO ENTARDECE
E A BRISA FOGE LIGEIRA E FRIA,
CURVANDO A FRONTE, NA ÚLTIMA PRECE,
QUANTA SAUDADE QUE TE CRUCIA;


Helena Olek nasceu na Polônia em 1894. Tornou-se irmã de caridade, ingressando na Congregação de São Vicente de Paulo. Trabalhou em diversos educandários da congregação, no Paraná. Em agosto de 1930 chegou a Irati com a missão de construir um colégio. Já, em fevereiro do ano seguinte, 1931, instalado em dependências provisórias, o Colégio Nossa Senhora das Graças começou a funcionar. Em 1945 iniciou-se o curso ginasial e em 1947 a Escola Normal. Com espírito empreendedor, muito dinamismo e perseverança, a Irmã Helena Holek tornou-se um nome de destaque na educação iratiense. Figura venerável na Congregação e respeitadíssima pelo trabalho desenvolvido em prol da formação da infância e juventude de Irati e do Paraná. Juma religiosa na galeria de celebridades do nosso passado histórico. 


IRATI VELHO:

GRANDE SAUDADE DOS ANOS IDOS,
DAS MANHÃS CLARAS, QUANDO A FLORESTA,
CHEIA DE AROMAS, FRUTOR E RUIDOS,
ERA REFÚGIO DE ENCANTO E FESTA;


Ana do Amaral Gruber começou a lecionar em Itapará, no ano de 1927. Exerceu o magistério em Rio Corrente e depois no Grupo Escolar de Gonçalves Júnior, onde desempenhou com dedicação e entusiasmo a direção do estabelecimento educacional. Aposentou-se em 1965, com 34 anos de serviços prestados a educação no interior do nosso Município. Atendeu com dedicação e sacrifício os encargos do Posto de Poericultura de Gonçalves Júnior, de 1952 à 1970. Cedeu dependências de sua própria para os serviços do posto e nunca deixou faltar remédios para os mais necessitados, ou leite para as crianças e gestantes. Exerceu as funções de Juiz de Paz. Com respeito a sua direção da Grupo Escolar de Gonçalves Júnior, certa vez Dona Ana Amaral Gruber, afirmou: “Nunca tive alunos ruins, Meus alunos sempre foram bons, pois eu os mantinha sempre ocupados com alguma coisa útil para eles e para a comunidade.” Com grande espírito público colocou sempre os interesses da comunidade acima dos seus e estava sempre pronta para trabalhar pelos outros. Mais uma cidadã iratiense na nossa galeria de notáveis da nossa história, cultura e educação. 

IRATI VELHO:

DA CAPELINHA QUE FOI ERGUIDA
ALÉM, NO MORRO, COM TANTO ARDOR,
SANTO COMEÇO DA TUA VIDA,
RÉGIO PRESENTE DE TEU LABOR;


Olga Grechinski Zeni editou seu primeiro livro em 1960, denominado Poesias. Em 1968 lançou Escrínio. Em 1969, para registro dos primeiros passos da literatura em Irati, editou ABC da Literatura iratiense, na abertura do Salão de Arte promovido pelo Clube Soroptimista de Irati. Em 1971, editou Fragmentos. Em 1972, lançou em segunda edição, Poesias Escrínio Azul, Símbolos e Fragmentos. Nos anos subseqüentes muitos outros títulos foram lançados. Sua obra engrandece o patrimônio cultural de Irati, ao procurar cumprir o processo da literatura e da arte voltado para o psicológico. Com atuação destacada em diversos setores da comunidade, Dona Olga tem uma folha de relevantes serviços prestados à nossa cultura. Eleita para o Centro de Letras José de Alencar, Olga Grechinski Zeni é mais uma mulher iratiense inscrita nos anais da nossa historia. 

IRATI VELHO:

DAQUELES FÉRVIDOS BANDEIRANTES
QUE ABRIRAM TRILHAS PELO SERTÃO,
E, AO PÉ DO FOGO, RINDO TRIUNFANTES,
CONTAVAM CAUSOS, NUM CHIMARRÃO.

IRATI VELHO:

MAS TUDO PASSA NO MUNDO, CORRE
O TEMPO, O ORGULHO SE ESVAI E ESFRIA;
SOZINHO, SABES QUE SÓ NÃO MORRE
ESSA LEMBRANÇA QUE TE CRUCIA!


Gumercindo Esculápio fundou o Jornal de maior duração na imprensa de Irati. Fundado em 1935, o Correio do Sul circulou por mais de 30 anos se interrupção, chegando a ter impressora própria e ser editado duas vezes por semana. Em 1919, Gumercindo já havia fundado um dos primeiros jornais que circulou em nosso Município, chamado A Luz dos Acontecimentos. Em 1923, com a instalação da primeira gráfica em Irati, fundou e dirigiu o jornal A Semana, até 1928. Em 1925 fundou o jornal O Iraty, em 1926 o Jornal Alerta e Espalha Braza, de cunho critico e humorístico. Gumercindo foi prefeito interino em diferentes ocasiões, quando houveram transições de mandatos. Foi, também, Secretário e Contador da Administração Municipal e logo após a instalação da Comarca, em 1927, foi procurador de Justiça. Gumercindo Esculapio possui uma relevante folha de serviços prestados a comunidade iratiense. Mais uma celebridade, política e cultural da historia de Irati. 

AO EXPEDICIONARIO BRASILEIRO

ATRAVÉS DO SANHUDO ATLÂNTICO PARTISTE,
IRMÃO, PARA DEFENDER IRMÃOS, EM LONGE TERRA,
E NESSA FRONTE AUDAZ, QUE NUNCA FICOU TRISTE,
LEVASTE O SOBERANO IDEAL QUE A PÁTRIA ENCERRA.


Emilio Scheidt, participou da II Grande Guerra Mundial, integrando a Força Expedicionária Brasileira/FEB. Foi agraciado com diversas medalhas de mérito pela sua elevada bravura. Em 27 de abril de 1945, na batalha de Collechio na Itália, Emílio Scheidt, por iniciativa própria avançou para uma posição, abrindo fogo sobre um ninho de metralhadoras, reduzindo ao silêncio a maior parte delas, abrindo caminho para o restante de sua tropa. Apesar de fortemente hostilizado pelo fogo inimigo, com sua bravura, permitiu o avanço de dois grupos do seu pelotão, movimento esse que culminou com a conquista da base inimiga, graças a sua bravura, desprendimento, ardor combativo e sangue frio. Por esse ato de bravura, recebeu a Medalha Cruz de Combate de Primeira Classe. Emilio Scheidt foi um exemplo de coragem e patriotismo iratiense a serviço da pátria brasileira. 

ENTRE A LAMA E O ROCHEDO, ENTRE A BAIXADA E A SERRA,
O INIMIGO BUSCANDO, INTRÉPIDO, INVESTISTE,
E A VITORIA MOSTROU, NO FIM DA MAIOR GUERRA,
QUE EM SOLO BRASILEIRO A LIBERDADE EXISTE.



Virginia Leite foi a primeira mulher paranaense a se alistar como enfermeira na FEB - Força Expedicionária Brasil.eira. Após freqüentar um curso realizado em Irati pela Cruz Vermelha Internacional, e fazer outros estágios em hospitais brasileiros, embarcou para a Itália integrando as forças militares do nosso país. Virginia Leite recebeu inúmeras condecorações de guerra, dentre elas: A Cruz de Campanha, Medalha da Cruz Vermelha e Medalha do 1º Congresso de Medicina Militar. Após a II Guerra Mundial foi promovida ao posto de 1º Tenente da Reserva. Representou com galhardia a mulher iratiense nos campos de batalha da Itália. AO REGRESSAR AO Brasil, recebeu homenagens do povo de Irati, admiração, respeito e gratidão pelo desempenho em sua sublime missão de combate na Itália. Mais uma mulher fazendo parte da galeria de personalidades da nossa querida Irati. 

SOBRE A NEVE, COM SANGUE, ESCREVESTE, SUPONHO,
DOIS NOMES QUE, SUBINDO AOS PÍCAROS DA GLÓRIA,
DESAFICARÃO DO TEMPO O TRANSCORRER MEDONHO:
AO NOME DO BRASIL, QUE VIBRA EM TUA MEMORIA,
JUNTASTE O DA MULHER QUE ILUMINA O SONHO,
E, ASSIM, FUNDISTE O AMOR NO CORAÇÃO DA HISTORIA!


Manoel Alves do Amaral, tenente da Força Militar do Estado, Engenheiro Agrônomo, foi nomeado prefeito de Iraty em agosto de 1938. Função que desempenhou até agosto de 1944. Duplicou a renda do município e triplicou o seu patrimônio econômico e cultural. Iniciou o calçamento da cidade e o revestimento de ruas com macadame. Eram seis e ele elevou para 17 o número de escolas municipais. Incentivou a agricultura e a pecuária, realizando exposições de Animais e produtos derivados. Abriu 100 km de novas estradas, construiu a Praça da Bandeira, dotou Irati de bueiros de pedras e concreto e mandou executar o mapa da cidade. No seu período de governo inaugurou-se a rede de água e esgoto, telefone urbano e interurbano, pista de corridas do Jóquei Club, Grupo Escolar Duque de Caxias e muitos outros grandes melhoramentos para o município. Com organização, disciplina e austeridade Manoel Alves do Amaral, Tenente Amaral, como era mais conhecido, é mais uma importante personalidade da nossa história. 

RECORDANDO

HÁ POUCO TEMPO EU ERA UMA CRIANÇA
QUE EM IRATI, LIBERTO EU VIVIA
OS LAMPEJOS DA INFÂNCIA E DA ESPERANÇA
NAS CURVAS DO CAMINHO DA ALEGRIA.


João de Mattos Pessoa, em Irati foi o “Médico dos Humildes”. De espírito humanitário e lúcido, exerceu a função de Provedor do Hospital de Caridade São Vicente de Paulo em sua fase de construção e posteriormente quando já em funcionamento. Foi eleito Camarista para o período de 1928 à 1932 e assumiu a Presidência da Câmara de 1929 à 1930. Voltou a ser eleito vereador em 1935. Foi prefeito entre 1947 e 1948 e voltou a se eleger vereador para o período de 1951 à 1955. Construiu o Grupo Escolar de Guamirim assim como foi responsável por muitos outros melhoramentos públicos. Foi um grande líder empresarial de grande iniciativa e ampla visão jornalística, participando da equipe de redatores do Correio do Sul. Figura humana que dignificou a nossa comunidade, tendo por isso um lugar de honra na galeria dos grandes vultos da história de Irati. 

PELAS MATAS DE IRATI, FUI SERTANEJO,
E, IGUAL AOS ÍNDIOS, MEUS IRMÃOS AMADOS
SENTI NA BOCA A LIMPIDEZ E O BEIJO
DA AGUA DOS ARROIOS TRANQUILOS E GELADOS.


João Mansur nasceu no Pirapó, distrito de Guamirim em 1924. Filho de Abib Mansur e Nazle Kiffuri Mansur. Foi vereador no período de 1947 à 1951 e 1952 Á 1955. Elegeu-se prefeito para o período de 1955 à 1958 e Deputado Estadual em 1958, 1962, 1966 e 1970, tendo sido Presidente da Assembléia Legislativa do Paraná em 1967 e 1973 Quando assumiu, interinamente, as funções de Governador do Estado nos períodos de 02.03 à 02.04.1973 e 04.07.1973 à 11.08.1973. Uma das grandes personalidades da nossa história. 


DESCANSEI, À TARDINHA, ENTRE OS VERDORES,
SOB A CÓPA VASTA DAS IMBUIAS
QUE ABAFAVAM OS GRITOS E OS RUMORES
DAS ENFEITADAS FILHAS DOS TAPUIAS.


Emilio Hoffmann Gomes, filho de Ezequiel Gomes e Maria Hoffmann Gomes, neto do Coronel Emilio Batista Gomes, primeiro prefeito de Irati. Emilio foi eleito Deputado federal em 1962, 1966 e 1970 e foi o primeiro paranaense a presidir a Câmara Federal no exercício da quarta-secretaria da Câmara dos Deputados. Engenheiro formado pela Universidade Federal do Paraná, foi indicado pelo Governo Revolucionário à assumir o Governo do Estado do Paraná em 11 de agosto de 1973. Mais um iratiense ilustre na galeria da nossa história. 

REVERENCIEI ESSAS ÁRVORES FRONDOSAS,
CATEDRAIS SECULARES DA FLORESTA,
ONDE, À ALVORADA, EM ÁRIAS HARMONIOSAS,
DA NATUREZA SE REALIZA A FESTA.


Carlos Thoms, natural da Alemanha, foi em Irati pioneiro da fundição de bronze e ferro. Já, 1930, possuía uma oficina na Rua dos Operários, onde de início á uma das maiores metalúrgicas do sul do Paraná. Thons & Benato, empresa que desde, então, produz máquinas para o mercado nacional e internacional. Apaixonado por Irati, mesmo com excelente convite, não concordou em instalar, em outro município, a Thomsplac. Participou de muitos movimentos em benefício da comunidade iratiense, foi amigo da juventude, reconhecendo o esporte como uma atividade importante para a formação da nossa juventude. Espírito forte, esclarecido, amigos dos seus funcionários e exemplo de empresário, fez de Irati a sua terra de coração. Contribuindo com destaque para o desenvolvimento do Município merece o seu lugar de destaque no rol das personalidades da história de Irati. 

ENROSCADO NAS LONGAS TREPADEIRAS,
CORTEI AS PARASITAS E FIZ DELAS
UM ROSÁRIO DE CONTAS FEITICEIRAS,
COM FLORES BRANCAS, RUBRAS E AMARELAS.


Joana Custodio, assistiu em Irati o nascimento de várias gerações, desenvolvendo, entre 1925 e 1968, intensa atividade em auxilio de parturientes, quer na área urbana ou nas comunidades do interior do município. Assistiu durante 43 anos, em média, dez nascimentos por mês. Mais de 5000 bebes nasceram por suas mãos. Exerceu a tarefa de zeladora do primeiro Grupo Escolar de Irati, de 1925 á 1935. Com grande devoção, espírito de sacrifício e de coração aberto para atender e ajudar a todos, desempenhou inúmeras tarefas de relevância social na comunidade. Joana Custódio, mais um nome de relevância da historia do nosso município. 

FUI MALFEITOR QUANDO ARRANQUEI OS NINHOS
DOS BURACOS DOS TRONCOS, QUANDO LIGEIRO,
IA ARMAR ALÇAPÃO PARA APANHAR PASSARINHOS
QUE CANTAVAM NAS CERCAS DO TERREIRO.

ARREPENDO-ME AGORA DAS LOUCURAS
QUE COMETI NO VIGOR DA MOCIDADE;
SÃO, ENTRETANTO, AS ÚNICAS VENTURAS
QUE AINDA RECORDO COM IMENSA SAUDADE!...

Recordar é viver duplamente. Recordar é valorizar tudo aquilo que nos foi muito grato e relevante. Recordar a nossa infância, adolescência e juventude. Recordar nossos antepassados e vultos da nossa história nos faz compreender e valorizar o caminho que trilhamos no passado, que estamos trilhando no presente e nos indica o melhor rumo que devemos tomar em nosso futuro, pois: NENHUM POVO EVOLUI SE DESCONHECER A SUA PRÓPRIA HISTÓRIA.
Até o próximo sábado, meus prezados ouvintes, que aqui estarei sempre lhes oferecendo um pouquinho mais da maravilhosa história do nosso caudaloso RIO DE MEL – IRATI. Até lá.

                                                                 
                                   

Comentários