Matérias / Irati de Todos Nós

15/08/12 - 15h34 - atualizada em 15/08/12 às 16h07

O maravilhoso futebol de Irati - Parte VIII

Por José Maria Gracia Araújo

                                     
Já estava no fecho da matéria deste programa quando recebi o pedido do meu grande amigo Gaspar Valenga para incluir no seu conteúdo um texto de sua autoria, em homenagem a um grande e fraterno amigo. E é com extremo orgulho e satisfação que farei, neste momento, a leitura da expressiva e poética homenagem.

             “PRESADISSIMO E VENERÁVEL AMIGO GERMANO BISTON” 

Agradecemos a Deus por ter-nos proporcionado a oportunidade de sermos incluídos no círculo de seus amigos, pois o consideramos um facho de luz iluminando os horizontes das auroras do universo.

Podemos dizer com a mais absoluta convicção que a partir do seu nascimento ocorrido a 90 anos atrás, o mundo tornou-se bem melhor e mais agradável de ser habitado, pois basta alguns minutos em sua presença, para se aprender algo de útil para as nossas vidas.

Feliz o dia que nos conhecemos lá na Universidade Aberta Para a Terceira Idade, pois a partir daquele momento, comecei a conhecer um homem de caráter que dedica sua vida pensando no bem estar dos familiares e de seus amigos.

Preclaro amigo Germano se é verdade que a juventude é o alegre amanhecer e a espetacular partida em direção ao ápice da montanha, não é menos verdade que a idade avançada, que é a aspiração de todo o ser humano, é a idade na qual já se atingiu o mais alto da mesma, de onde se descortina o mais belo e deslumbrante por do sol, que se possa imaginar, espetáculo raro, reservado á poucos privilegiados e abençoados, entre os quais o senhor, eminente amigo, Germano, foi um dos selecionados.

Venerável amigo, a isso se chama viver, e não apenas passar pela vida.

Aceite nossos mais efusivos parabéns e pedimos a Deus que lhe conceda a mais completa felicidade, junto aos seus familiares, e a legião de amigos que o senhor soube conquistar. Feliz a família que tem por baluarte uma pessoa como o nonagenário GERMANO. 

                                                  Riozinho, 28 de julho de 2012
                                                            Abraços do amigo

                                                      Gaspar Valenga e família


Amigo Garpar Valenga, agradeço de coração ter sido eleito para transmitir em meu programa, tão singela e poética homenagem a seu grande amigo Germano Biston. Esta Emissora, eu e meu programa estamos honrados por tal deferência. 
                                     
O meu Boa Tarde a todos vocês, meus prezados ouvintes, desejando-lhes muita paz, harmonia e amor em seus lares e em seus corações.

Em 1938, no dia 09 de janeiro, o Iraty Sport Club jogou com o Palestra Itália, um dos grandes clubes paranaenses da época. Este foi o segundo jogo de uma série de melhor de três, em disputa da Taça A NOITE, oferecida pelo Jornal de mesmo nome. O Palestra que havia vencido a primeira partida por 3 x 0, tinha a seguinte equipe: Raphael, Andreata e Oscar; Mendes, Isak e Biguá; Marreca, Cardeal, Sardinha, Cunico e Jatyr.

Lembram, que no programa passado eu falei que no programa de hoje iria comentar sobre um dos mais famosos jogadores de futebol que Irati já produziu? Pois é, ele era conhecido como BIGUA. 

Outros dois atletas que aparecem na escalação do Palestra Itália, por ocasião deste torneio patrocinado pelo jornal A NOITE e que, também, tiveram sua passagem pelo nosso AZULÂO, eram o Isak e o Marreca. Interessante não é mesmo, prezados ouvintes. Coisas do futebol.

O Correio do Sul, em uma de suas edições de janeiro de 1938, noticiava o seguinte: “Em 23 de janeiro do corrente ano, o Iraty Sport Club foi a Curitiba jogar com o Palestra Itália. Depois de decorridos muitos anos, chegou finalmente a oportunidade dos desportistas do sul, pisarem nos gramados da Capital do Estado, medindo forças com um dos conjuntos da primeira divisão estadual e para isto muito concorreu a dedicação do Sr. Nicanor de Vasconcelos, que inegavelmente não só foi o reorganizador do Iraty Sport Club, como tem sido um verdadeiro baluarte do esporte iratyense”.
Os jornais O Dia, O Estado, a Gazeta e o Correio do Sul foram unânimes em affirmar o valor do nosso onze, dizendo mesmo que o resultado justo para o confronto seria o empate. 


Professor José Maria Orreda, quanta informação seu livro trás sobre o nosso AZULÃO que, tenho certeza, a maioria dos seus torcedores desconheciam por completo. Tudo isso, e muito mais detalhes poderão surgir, para que se possa produzir um material muito interessante para as comemorações do centenário do Iraty Sport Club, Não é mesmo, professor Orreda?

Acredito que sim, Zé Maria Araújo. A ocasião faz por merecer algo nesse sentido. Basta que os adeptos dos esportes e, principalmente, os torcedores mais antigos do Iraty, disponibilizem fotos, documentos ou mesmo depoimentos que possam a vir se somar ao que já temos, para que um maravilhoso documentário possa ser editado em homenagem aos 100 anos de existência do Iraty Sport Club. 

Pois é, amigo Orreda, ainda temos um bom tempo para que isso possa se concretizar. Más, não podemos esperar muito, senão o trem passa e nada será elaborado.

Mas, vamos em frente. Como vocês ouvintes já sabem, estamos em pleno ano de 1938 e me parece que este ano promete muito em termos de realizações esportivas em Iraty.

CAPEONATO ESTADUAL – Em reunião realizada dia 27 de janeiro, os mentores do futebol paranaense regulamentaram o certame estadual da seguinte forma: Primeira rodada – Iraty x Antonina e Paranaguá x Ponta Grossa. Segunda Rodada – Capital x Vencedor do segundo jogo (na Capital). Terceira Rodada – Capital x Vencedor do terceiro jogo (no interior ou no litoral). Eita, tabelinha complicada seu! Deu para entender alguma coisa, caros ouvintes? Antigamente era assim mesmo.

Mas uma coisa era certa, o CORREIO DO SUL não deixava nem um a notícia esportiva ou social ficar sem o conhecimento do público iratiense. Era só acontecer e o Correio esclarecer.

O IRATY MOVIMENTA-SE – “Dentro de alguns dias a direção technica do glorioso rubro-negro iratyense começará os seus treinos, fazendo seus pupilos exercitarem-se em conjunto e individualmente.” 
Para o certame estadual, o programa previa na semana, dois treinos coletivos e dois individuais. Ficaram curiosos com a citação “rubro-negro”? Pois é, conta-se que o nosso Iraty Sport Club, nem sempre desfraldou as cores azul e branco em sua bandeira e uniforme. Houve uma época em que o vermelho e preto eram as suas cores símbolo. Sabiam, caros ouvinte? Não? Pois nem eu sabia deste particular e foi no livro do professor Orreda que eu acabei obtendo essa importante informação. 


Pois é, Zeca Maria, eu também me surpreendi quando estava pesquisando sobre o assunto para coloca-lo no livro O ESPORTE EM IRATI. Agora todos os fanáticos pelo atual “azulão”, ficam sabendo que ele, também, já foi “rubro-negro”.

Cores a parte, vamos em frente, pois as atividades deste ano de 1938 foram muito intensas e temos muita coisa ainda para relatar aos nossos ouvintes.

No campeonato de 1938 o Iraty venceu o primeiro jogo da série de melhor de três contra o Guarany de Rebouças; entregou os pontos do segundo jogo ao não ir a Rebouças e o Guarany, não veio para Irati, para a terceira partida. Com isso o Iraty foi considerado campeão e o Guarany vice-campeão, da temporada. Viram, como as coisas eram difíceis por aqueles tempos. O tempo, as estradas, as dificuldades financeiras e outros percalços, fazia com que muitos jogos tivessem de ser cancelados e os campeonatos sofriam muito com isso. Mas, um acontecimento muito importante viria alegrar aos iratienses já no mês de fevereiro daquele ano de 1938. O atacante MARRECA, do Palestra Itália, se transferiu para Irati, vindo a jogar pelo azulão e com isso a sua diretoria resolveu disputar o campeonato da Liga Pontagrossense de futebol.

As noticias esportivas fervilhavam. Jogos de futebol, basquete, carreiras de cavalos e outros esportes estavam sempre nas manchetes dos jornais. Vejam que interessante esta noticia apresentada por um desses noticiosos: “Em 20 de fevereiro de 38, o BOM RETIRO, venceu a equipe da Estrada de Ferro Riozinho-Guarapuava por 4x2. O Bom Retiro jogou com – Bena, Julio e Adélio; Negro, Marinho e Gregório; Doca, Estefano, Dilo, Antonio e João. (deve ser um clube do atual Guamirim que no passado denominava-se de Bom Retiro). E aí, meus ouvintes do Guamirim, reconheceram o nome de algum dos atletas que compunham essa equipe do passado? 


Mas a bola-ao-cesto, também era um esporte muito disputado, aqui por Irati. No dia 05 e 06 de março a equipe de “basketball” do Ferroviário, de Curitiba, realizou dois jogo em nossa cidade, contra o JUNAK 8. Estes jogos aconteceram na sede da Sociedade União Alemã.

Zé Maria, eu estou aqui com a língua ardendo para falar sobre um outro acontecimento esportivo que sempre ocorria, lá pros lados do Riozinho, terra dos Anciutti’s, pais de minha esposa. Naquele mesmo mês de março de 1938, realizaram-se dois magníficos desafios na raia do Riozinho. O desafio principal foi entre os cavalos Argentino e Tatu, respectivamente, de propriedade de Francisco Perussolo e José Buva. A segunda carreira foi entre a égua zaina de Eduardo Rodrigues e o cavalo Bodoque do Waldomiro Weigert. Foi dois carreiraços, Zeca Maria, pena que não consegui descobrir quais foram os resultados das duas “peleias”. Mas se algum conhecido ou descendente dos dois proprietários puder nos dar alguma informação sobre o causo, nos agradeceremos muito.

Professor Orreda, você lembrou muito bem dessa possibilidade que nossos ouvintes têm de poder complementar as informações históricas que apresento em meu programa. Basta ter conhecimento de algum fato ou causo sobre os assuntos abordados ou sobre um outro qualquer que será muito bem vinda. Vamos colaborar meu povo de Irati. Isso é muito importante para nós.

UM TIME DE CRAQUES – No dia 13 de março de 1938 o Iraty jogou pelo Campeonato Paranaense, contra, nada mais-nada menos que o time do MATARAZZO Futebol Clube de Antonina e o venceu por 2x1, habilitando-se a jogar, então, contra o Operário de Ponta Grossa, que havia vencido o Rio Branco de Paranaguá. O Iraty venceu o MARARAZZO, jogando com: Floriano, Canoco e Nezinho; Geremias, Kurt e Tinoco; Abrahm, Nininho, Meneguello, Rosinha e Toniquinho. Toniquinho marcou os dois gols do Iraty e o Floriano defendeu um penalty.

Infelizmente, como quase sempre acontecia no passado, o Iraty perdeu a partida decisiva para o Operário de Ponta Grossa, que se sagrou Campeão do Interior Paranaense. Ai, então, o Operário teria de disputar com o Ferroviário, campeão da capital, o título Estadual de Campeão Paranaense. A vitória, novamente, foi do Operário que se sagrou Campeão Paranaense de 1938.

Em maio de 1938 o Iraty foi vice-campeão do torneio início da LESP, disputado em Ponta Grossa, no campo do União Campo Alegre. E neste mesmo ano de 1938 a seleção de futebol do Brasil, particupou do Campçeonado Mundial, na França, jogando com: Valter (Batatais), Domingos da Guia e Machado; Zezé Procópio, Martim e Afonsinho; Lopes I, Pelliciari, Leônidas da Silva, Perácio e Patesko.

Mas, voltando para a nossa região, no primeiro jogo do campeonato patrocinado pela AERP – Associação Esportiva Regional de Ponta Grossa, o Iraty venceu o Guarany. Participaram do certame as seguintes equipes: Caramuru de Castro, Operário, Guarany, União Campo Alegre e Olinda de Ponta Grossa, Iraty e Pinheiral de Palmeira. Em 28 de Agosto de 38 o Iraty jogou com o Pinheiral, aqui em nossa cidade e o resultado foi 2x2. Ao final do turno do campeonato, tanto o Iraty como o Pinheiral tinham o mesmo número de pontos e em 18 de setembro jogaram em Ponta Grossa pela decisão do título de campeão da primeira fase do certame, com a vitória do Iraty por 1x0, gol de Nininho.

O Correio do Sul, em sua edição de nº 146, de 03 de outubro daquele ano, noticiou o seguinte:

“Perdura ainda agradavelmente no cartaz dos assuntos esportivos a brilhante vitória conseguida pelo Iraty Sport Club frente ao valoroso Pinheiral de Palmeira, em disputa do título de campeão do turno da Associação Esportiva Regional de Ponta Grossa. Os jogadores iratienses que partiram de Iraty em “trem especial”, entraram em campo com a moral levantada pelo bafejo de uma torcida numerosa e souberam corresponder a tudo, portando-se na altura frente ao Pinheiral, conjunto invicto que era. Duplamente significativa a vitória iratienese, pois além de conquistar o título de campeão do turno, conseguiu quebrar a invencibilidade do Pinheiral. A chegada dos iratienses foi uma verdadeira consagração, embora o adiantado da hora, a gare (plataforma) ferroviária estava repleta, o povo iratienese ovacionou delirantemente a todos os jogadores.” Isso sim é que era um povo verdadeiramente apaixonado pelo esporte amador de Irati, não é mesmo, professor Orreda?

Caro Zéca Maria, gostaria muito de ter acompanhado esta maravilhosa fase dos nossos esportes amadores, porém, como todos sabem, só iniciei a minha participação, alguns anos depois. Mas tenho plena convicção de que, foi mesmo uma fase excepcional para a nossa comunidade esportiva. 

Professor Orreda, neste final de ano de 1938, aconteceu em Irati um fato esportivo muito importante. Isto esta registrado às paginas 99, 100 e 101, do seu livro. Com a sua permissão eu vou falar sobre isso aos meu ouvintes.

OLIMPICO ESPORTE CLUBE – Em outubro de 1938 fundou-se o Olímpico Esporte Clube, “cuja finalidade era excursionar pelas cidades vizinhas, disputando partidas amistosas de futebol, basquetebol, tênis e ping-pong”. Foi eleito como seu primeiro presidente o jovem Ercílio Slavieiro. Outros nomes de igual valor formaram, também, em sua primeira diretoria; Waldomiro Stadler, Mario Boese e Adhemar Araújo. No dia 5 de novembro, “a diretoria do Olímpico oferecerá a sociedade iratiense um retumbante sarau e para o qual convida para o evento os sócios do Clube União, Comercio, Iraty S.C. e Juventus S.C.”

E, o Correio do Sul, complementava noticiando mais o seguinte: O Grêmio Esportivo Feminino do Olímpico Esporte Clube, acaba de ser fundado nesta cidade. Constituído de gentis senhoritas da elite iratienese, já elegeu e empossou a sua primeira diretoria, que ficou assim constituída: Presidente – Alcina Brustolin; Vice-Presidente – Rosa Garzuze; 1ª Secretária – Vitória Chaibem; 2ª Secretária – Zoraide Bader; 1ª Tesoureira – Santa Leite; 2ª Tesoureira – Julieta Brustolin; Oradora – Dalcina Nogueira.

“O Gremio Esportivo Olímpico Feminino vai fazer a sua estréia no dia 15 de novembro, formando na concentração e no desfile pelas ruas da cidade.”

Quantas mulheres importantes da nossa sociedade do passado faziam parte desta diretoria, não é mesmo, professor Orreda?

Não vou nem nomear algumas delas, Zé Maria, pois todas, sem exceção, foram baluartes da nossa sociedade feminina do passado.

Bem, meus amigos ouvintes e nosso convidado “virtual” professor José Maria Orreda, nosso tempo de programa já esta esgotado e necessitamos encerrar os nossos comentários sobre este maravilhoso assunto referente aos esportes da nossa querida Irati do passado. Porém, desde já, os convidamos para que estejam conosco no próximo sábado, que aqui estaremos novamente, trazendo-lhes sempre um pouco mais da maravilhosa historia do nosso querido RIO DE MEL – Irati. Até lá.



Comentários