Irati e Região / Notícias

31/03/17 - 19h39 - atualizada em 31/03/17 às 20h34

Autoridades e moradores debatem readequação da PR-281

Governo estadual repassou recurso de R$ 1,95 milhão para executar a obra, aguardada há anos pelos moradores de Mallet

Da Redação, com reportagem do Jornal Hoje Centro-Sul 

Deputado Hussein Bakri, prefeito Moacir Szinvelski e vice-prefeito Thibério de Oliveira Moura exibem ordem de serviço para início das obras no trecho de 33,7 km
A luta contra o pó e os atoleiros pode estar com os dias contados para os moradores do distrito de Rio Claro do Sul, na área rural de Mallet. Uma reunião na quarta-feira (29) debateu a readequação do trecho da PR-281, que liga o município ao distrito. A obra será executada através de repasse do governo estadual estimado em R$ 1,95 milhão, sem contrapartida municipal.

OBS: Confira mais fotos da reunião no fim desta matéria

De acordo com o prefeito Moacir Szinvelski (PSC), serão readequados 33,7 km da rodovia. No entanto, em vez de massa asfáltica (CBUQ), o trecho será coberto de uma camada de pedra brita. O prefeito avalia que essa readequação representa um impacto positivo para o município de Mallet, tendo em vista que, pelas condições atuais da estrada, os moradores têm preferido fazer suas compras em São Mateus do Sul e, de agora em diante, vão poder também investir em Mallet.

A posição do prefeito foi reforçada pelo vereador Edinei Rogulski (PPS), que também participou da reunião. Ele frisa que a intervenção é muito importante para a população de Rio Claro do Sul e Fluviópolis porque a rodovia precisava, há anos, passar por essas melhorias. “O comércio local do município de Mallet vai ganhar muito com isso porque, geralmente, em épocas de inverno, principalmente, essa estrada não dá condições de tráfego. O pessoal ia muito a São Mateus do Sul; então nosso comércio de Mallet vai ganhar muito com isso”, diz. Rogulski acrescenta que a obra é um grande presente para os distritos de Rio Claro do Sul e Fluviópolis.

Prefeito de Mallet Moacir Szinvelski debateu a readequação da PR-281 durante reunião na quarta-feira (29)
O vice-líder do governo estadual na ALEP, deputado Hussein Bakri (PSD), ressalta sua parceria com o chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni (PSDB) e que, numa de suas conversas, concluíram que não há mais condições de manter as estradas estaduais sem pavimentação. Porém, o equipamento do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR), segundo ele, é defasado.

“Convencemos o governador a licitar e é um modelo que deu certo. Foi feito de um trecho de Bituruna a Porto Vitória. A mesma empresa que ganhou lá, ganhou aqui também”, afirma Bakri. A empresa licitada para readequar o trecho de 33,7 km é a Ramo Construtora, que tem o prazo de 90 dias para executar os serviços. A ordem de serviço foi assinada no dia 21 de março. A obra foi orçada em R$ 1,95 milhão, pelos engenheiros do setor técnico do DER-PR, que incluíram nessa readequação da estrada o alargamento da via e drenagem.

A secretária municipal de Agropecuária e Abastecimento, Margareth Maksemovicz, reforça a importância da obra para o escoamento da produção agrícola do município. “Grande parte da safra de Rio Claro é escoada por essa rodovia. Vínhamos sofrendo, há vários anos, com vários locais de encalhe, problemas de tráfego, acidentes, ocorrências que vinham acontecendo, devido aos maus cuidados com a estrada. Essa reforma vem a somar para o município, no geral, não só para Rio Claro do Sul, como para outras localidades que se ligam a essa estrada para fazer o destino da safra”, afirma.

Szinvelski agradece ao deputado estadual Hussein Bakri (PSD), ao secretário-chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni (PSDB) e ao governador Beto Richa (PSDB) pela melhoria proporcionada. 

Outras estradas

Margareth destaca, ainda, a interação da Secretaria Municipal de Agropecuária de Mallet com a Secretaria de Obras na época de safra para dar conta de atender aos pedidos e reclamações dos agricultores. “A grande reclamação é dos produtores justamente nessa época de escoamento de safra. Nossa interação é contínua, pelo fato de que as outras estradas, que também estão bastante degradadas. Estamos indo até outras comunidades e fazendo mutirões”, declara a secretária.

Problema antigo

No final de 2015, depois de quatro meses sem respostas do DER-PR em busca de um solução para os constantes atoleiros, moradores de Rio Claro do Sul apelaram ao Ministério Público para cobrar providências. Na época, a lama era tanta que os alunos estavam sem condições de ir para a escola e os moradores, que estavam praticamente “ilhados”, ficaram sem condições de acessar serviços de saúde.

Os moradores adotaram desvios por estradas vicinais, que também já haviam começado a apresentar problemas, em função do fluxo para o qual não estavam preparadas. Há um ano, o próprio MP-PR convocou os moradores para uma audiência pública na Câmara Municipal para discutir a questão.

Fotos: Ciro Ivatiuk/Hoje Centro-Sul


Comentários