Irati e Região / Notícias

19/03/19 - 17h46 - atualizada em 19/03/19 às 17h52

Conselho de Desenvolvimento Rural terá reunião nesta quarta

Reunião começa às 9h, na sede da ACIAI. Presidência do Conselho espera que mais comunidades definam seus representantes

Da Redação, com reportagem de Rodrigo Zub e Paulo Henrique Sava 

Em participação no programa Meio Dia em Notícias, engenheiro agrônomo Bruno Krevoruczka, presidente do CMDR, João Bonki, e secretário de Agricultura Raimundo Gnatkowski (Mundio) explicaram a função do Conselho de Desenvolvimento Rural

O Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural (CMDR) de Irati convida os agricultores das associações de produtores para que participem da reunião que ocorre na manhã desta quarta (20), às 9h da manhã, na sede da Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Irati (ACIAI).

O CMDR é uma organização independente, que congrega, de um lado, órgãos municipais e estaduais, como a Secretaria Municipal de Agricultura; a Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento (SEAB) e o Instituto Emater e, de outro lado, entidades de classe, como as associações de produtores rurais e o Sindicato de Trabalhadores Rurais, por exemplo, além dos bancos que financiam os investimentos na agricultura. De acordo com o presidente do Conselho, João Bonki, cabe ao órgão atuar em favor do agricultor para melhorar seu dia a dia no campo.

“Temos, dentro do Conselho, os representantes das comunidades, que trazemas indicações, para que seja dado o andamento necessário”, comenta Bonki. O município tem mais de 50 comunidades rurais, entretanto, nem todas estão representadas no Conselho. O presidente conclama às comunidades rurais para que definam seus representantes e passem a participar ativamente do CMDR.

PUBLICIDADE

De acordo com o secretário do CMDR e também engenheiro agrônomo da Emater, Bruno Krevoruczka, o Conselho possui hoje 18 titulares, que representam 11 comunidades rurais de Irati. “Quanto mais comunidades participarem do Conselho, melhor. Pois aí teremos mais demandas e tanto Emater, quanto a Prefeitura, a Unicentro – que também é uma instituição parceira, o IFPR, o Colégio Florestal – que hoje tem uma cadeira no CMDR. Eles podem pautar seus trabalhos em cima dessas comunidades representadas lá, das demandas que elas nos trazem. Quero fazer um apelo a todas as comunidades rurais, para que mandem pelo menos um representante para participar dessa reunião e se inteirar dos assuntos do Conselho Municipal e saber o que precisa para participar, trazer suas demandas, suas preocupações, suas dúvidas para podermos melhorar, cada vez mais, a representatividade do município”, diz.

Ainda conforme Krevoruczka, cabe ao Emater mobilizar as comunidades do interior para que se envolvam no Conselho e organizar a parte documental e legal do CMDR, por exemplo. “A função do Emater, dentro do Conselho, é ajudar aos agricultores, auxiliar a diretoria para que o trabalho aconteça da melhor maneira possível”, complementa o secretário do Conselho.

PUBLICIDADE

“O Conselho tem uma força muito grande na aprovação das coisas dentro do município, dentro dessa área, e é preciso”, ressalta o secretário municipal de Agricultura, Raimundo Gnatkowski (Mundio). Para ele, o sinal de alerta sobre a necessidade de estimular a participação no CMDR veio de uma reunião no início de sua gestão, da qual apenas dois conselheiros participaram. A partir daí, iniciou o trabalho de mobilização do Emater.

Hoje, já são 18 conselheiros e seus respectivos suplentes. Além disso, o Conselho, que antes funcionava sob força de decreto, agora é uma lei municipal. “Estamos fechando, nessa próxima reunião da quarta-feira (20), para que todas as pessoas que fazem parte das comunidades, que venham e tragam a indicação da comunidade para ficarem como titular e suplente. Depois, o prefeito publica um decreto dizendo quem são e quais são todos os conselheiros”, ressalta.

Para essa indicação de representantes no Conselho, cada comunidade deve organizar uma reunião e definir o representante em ata. Esse documento deve ser apresentado ao CMDR e, assim, ficam constituídos o conselheiro titular e o suplente da comunidade rural. Bonki destaca que a importância de cada comunidade possua um conselheiro está justamente na mediação que ele representa entre a comunidade e o poder público para apresentar as demandas por melhorias, a exemplo das intervenções nas estradas.

PUBLICIDADE

Mundio frisa que não é necessário que a comunidade tenha uma associação de agricultores formalizada para eleger um conselheiro. Pode, também, indicar alguma liderança comunitária para exercer essa função no CMDR. “A associação é importantíssima dentro da comunidade, pois quando vem uma máquina, um equipamento, precisa ser entregue no CNPJ da associação. É importante a associação, mas não ter uma na sua comunidade não impede de ela fazer parte do Conselho”, explica.

Os conselheiros também são multiplicadores de conteúdo, ao trazer para suas respectivas comunidades o que discutem nas reuniões e o que aprendem em palestras, exposições e dias de campo, por exemplo. Na quinta da próxima semana (28), os conselheiros viajam para Ponta Grossa, onde participam do Encontro de Sementes. No evento, o IAPAR vai apresentar novas variedades de sementes.

PUBLICIDADE

Bonki observa que o CMDR já chegou a ter 43 conselheiros, sob a gestão do ex-presidente José Jair Pereira, o “Jairzão”. “Por alguns motivos, o pessoal acabou se afastando, principalmente porque solicitava e não era atendido. Como o Conselho é, hoje, um parceiro definitivo junto à Prefeitura e ela nos incumbiu de ser um dos órgãos a comandar o Porteira Adentro, para nós é de grande valia. Com o Conselho tomando o comando, vai ficar melhor ainda”, afirma o presidente do CMDR.

As reuniões do CMDR devem ocorrer a cada dois meses, sempre na primeira quarta-feira do bimestre. Excepcionalmente, em março, a reunião acabou adiada para o dia 20 em função da prioridade dos agricultores em relação à colheita. Portanto, são seis reuniões durante o ano.

Diversificação do tabaco e demais pautas

Outra importante pauta da reunião de quarta (20) diz respeito à apresentação do plano de trabalho de um projeto a ser desenvolvido pelo Emater para a diversificação de culturas nas propriedades que plantam tabaco. A aplicação do projeto nas comunidades rurais depende da aprovação do CMDR.

PUBLICIDADE

“Para se ter ideia da importância do Conselho, temos que apresentar a proposta de trabalho para o Conselho e ele aprovar esse plano de trabalho. Aí, sim, vamos para campo fazer o trabalho. Preciso de meia hora dessa reunião só para falar sobre isso”, pontua Krevoruczka.

Ainda na reunião do Conselho, o Banco do Brasil vai abordar o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura (PRONAF); o Conselho de Saúde vai explanar algo sobre a Conferência Municipal de Saúde.

O secretário municipal de Viação e Serviços Rurais, Jair Bispo Cantuário, vai dar um panorama do andamento das melhorias nas estradas das comunidades rurais. Bonki comentou que, na segunda (18), teve uma reunião com o prefeito Jorge Derbli (PSDB) a respeito do projeto Porteira Adentro, que vai continuar a ser executado pelo município, mas que terá coordenação do CMDR.

Conquistas

Bonki relata que a mediação do Conselho junto à Prefeitura, no ano passado, foi importante para a obtenção de algumas conquistas para o interior de Irati, a exemplo do asfalto do Pinho, as pedras irregulares em Governador Ribas e uma caminhonete nova para a Secretaria de Agricultura, além de duas lâminas que foram entregues para as comunidades de Faxinal do Rio do Couro e Pedra Preta.

Quer receber notícias de Irati e região? Envie SIM NOTICIAS para o WhatsApp 42991135618 ou simplesmente clique no link a seguir http://bit.ly/CliqueAquiWhatsSuperNajua

Por e-mail: http://bit.ly/2BiE4tC


Comentários