Irati e Região / Notícias

14/05/14 - 15h45 - atualizada em 15/05/14 às 09h57

Curto circuito é a principal causa de incêndios

Em entrevista à equipe da Najuá, a Tenente Carla Spak, do Corpo de Bombeiros de Irati, repassou dicas de como evitar incêndios na rede elétrica
Sassá Oliveira

Uma prática muito comum acontece com frequência nas residências brasileiras, os próprios moradores, muitas vezes inabilitados, fazem os reparos na infraestrutura elétrica. Essa atitude que parece simples pode expor a residência e os moradores que vivem nela a um perigo eminente, o incêndio provocado por curto circuito.

A reportagem da Najuá procurou a Tenente Carla Spak, do Corpo de Bombeiros de Irati, para orientar a população sobre o assunto. 

Segundo a Tenente Carla Spak, a orientação é sempre procurar um profissional para revisar as instalações elétricas

Segundo ela, boa parte dos incêndios ocorre em função de curto circuito nas instalações elétricas. Na maioria das vezes as instalações são antigas e acabam se deteriorando com a ação do tempo ou até mesmo em função de roedores, que mordem os fios deixando-os desencapados o que pode causar um acidente.

Outra situação apontada pela Tenente, ocorre quando uma residência possui uma projeção elétrica para atender a uma determinada demanda e com o tempo a casa passa por modificações, ampliações e não acontece a revisão elétrica. Como a residência não foi projetada para suportar uma carga excessiva pode ocorrer o curto circuito.

Carla também orienta quanto a utilização de ramificações elétricas, o chamado “t”. De acordo com ela, as pessoas acabam ligando vários equipamentos elétricos na mesma ramificação, o que pode provocar uma sobrecarga que também resulta no curto circuito.

A orientação é sempre procurar um profissional para revisar as instalações elétricas. Carla diz que é preferível gastar um pouco mais na prevenção para evitar acidentes graves depois. Ela também chama a atenção para que as pessoas leiam atentamente as informações técnicas dos equipamentos elétricos antes de ligarem, pois muitas vezes a tomada da residência não está preparada para receber a carga elétrica que consome aquele determinado equipamento.

Carla ainda alerta que o perigo aumenta nesta época do ano com a chegada do outono e inverno. Para se protegerem do frio as pessoas costumam ligar aquecedores, o banho é mais demorado e ocorre também a sobrecarga de energia devido à utilização de vários eletrodomésticos em conjunto.

Orientações básicas

A sobrecarga na instalação é uma das principais causas de incêndios. Se a corrente elétrica está acima do que a fiação suporta, ocorre superaquecimento dos fios, podendo dar início a um incêndio. 

Por isso:

Não ligue mais de um aparelho por tomada. Esta é uma das causas de sobrecarga na instalação elétrica;

Não faça ligações provisórias. 

Tome sempre cuidado com as instalações elétricas. 

Fios descascados quando encostam um no outro, provocam curto-circuito e faíscas. 

Chame um técnico qualificado para executar ou reparar as instalações elétricas ou quando encontrar um dos seguintes problemas:

Constante abertura dos dispositivos de proteção (disjuntores)

Queimas freqüentes de fusíveis;

Aquecimento da fiação e/ou disjuntores;

Quadros de distribuição com dispositivos de proteção do tipo chave-faca com fusíveis cartucho ou rolha. Substitua-os por disjuntores ou fusíveis do tipo Diazed ou NH;

Fiações expostas (a fiação deve estar sempre embutida em eletrodutos)

Lâmpadas incandescentes instaladas diretamente em torno de material combustível, pois, elas liberam grande quantidade de calor;

Inexistência de aterramento adequado para as instalações e equipamentos elétricos, tais como: torneiras e chuveiros elétricos, ar condicionado, etc.;

Evite aterrá-los em canos d'água.

ATENÇÃO: toda a instalação elétrica tem que estar de acordo com a Norma Brasileira NBR 5410 da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas)

Equipamentos Elétricos.

Antes de instalar um novo aparelho, verifique se não vai sobrecarregar o circuito. Utilize os aparelhos elétricos somente de modo especificado pelo fabricante.


Comentários

Enquete

Reforma da Previdência

  • Nenhuma das respostas
  • Não deve mexer nos que ganham menos
  • Não é necessária
  • Deve ser ampla
Resultados