Irati e Região / Notícias

26/10/11 - 16h25

Desvio na Câmara de Guarapuava ultrapassa R$ 1 milhão

Além do presidente da Câmara, Ademir Strechar que foi preso em flagrante ontem, mais cinco vereadores são acusados de participar da fraude
Rodrigo Zub

17 funcionários fantasmas, seis vereadores possivelmente envolvidos e quatro assessores que eram obrigados a fazer o repasse mensal de parte do salário. As investigações iniciais mostram que o esquema de corrupção na Câmara de Guarapuava é bem maior do que se imagina. O prejuízo aos cofres públicos, de acordo com Grupo de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e o Ministério Público de Guarapuava, passa de R$ 1 milhão.

Na tarde de ontem, o presidente da Câmara, Ademir Strechar foi preso em flagrante dentro do próprio gabinete logo depois de ter recebido de um de seus assessores aproximadamente R$ 1 mil. Strechar continua preso em uma cela especial na 14ª Subdivisão de Guarapuava. Ele por enquanto, não se pronunciou sobre o caso.

Além do vereador preso, outros cinco edis são acusados de participar da fraude. Sadi Federle, João Napoleão, Thiago Córdova, Hamilton Carlos de Lima (Pé de Cana) e Fernando Alberto dos Santos (Fernando da Maçã). Este último que está licenciado do cargo, inclusive foi preso por posse ilegal de arma de fogo. Ele já pagou fiança e por isso foi liberado.

Hoje, às 5 da manhã teve início a Operação Fantasma para o cumprimento de 30 mandados de busca e apreensão. Participam da ação 65 agentes do Gaeco com apoio da Polícia Militar e Civil de Guarapuava. Até a sede da Ciretran da cidade teve que ser fechada para busca de documentos na manhã desta quarta-feira, pois ela é chefiada por Thiago Córdova um dos vereadores que está sendo investigado.

Segundo informações, a investigação está sendo feita a mais de um ano por agentes do Gaeco e também pela promotoria do Patrimônio Público de Guarapuava.

Comentários