Irati e Região / Notícias

05/11/11 - 01h33 - atualizada em 11/11/11 às 12h08

Educação no trânsito: tema deve ser debatido nas escolas, apontam estudiosos

Jefferson Dittrich, assessor de imprensa da Caminhos do Paraná e Talita Moretto, jornalista do Jornal da Manhã de Ponta Grossa falaram sobre esse assunto em entrevista à equipe da Najuá
Rodrigo Zub

Hoje, os acidentes nas estradas já são a décima maior causa de mortes no mundo. O Brasil ocupa a quinta colocação nesse ranking. São 18 mortes para cada 100 mil habitantes, número três vezes maior em comparação com os países desenvolvidos. Os dados revelam que o número de vítimas fatais no trânsito supera até as mortes por homicídio.

Para diminuir esses índices, medidas devem ser tomadas, entre elas a prevenção e a conscientização dos motoristas. Temas bastante discutidos durante a Semana Nacional do Trânsito, comemorada no País, entre os dias 18 e 25 de setembro. Durante esse período, a empresa Caminhos do Paraná promoveu atividades específicas com alunos da rede municipal de Irati, enfocando a educação, paz e a responsabilidade no trânsito.

Uma das ações foi a realização de um Concurso Cultural de Educação no Trânsito, projeto desenvolvido em cinco escolas estaduais de Irati: Colégio Estadual Antônio Xavier da Silveira, São Vicente de Paulo, Nossa Senhora das Graças, Pio XII e Centro Estadual de Educação Básica para Jovens e Adultos de Irati (Cebeja), Ensino Fundamental e Médio.

Segundo Dittrich, Caminhos do Paraná pretende aumentar as atividades de conscientização sobre a Violência no Trânsito
Durante a cerimônia de entrega dos prêmios aos vencedores do Concurso, que foi realizada ontem, 4, na sede da Caminhos do Paraná, Jefferson Dittrich, assessor de imprensa da empresa, comentou sobre a importância de enfocar a segurança no trânsito nas escolas. Ele também aproveitou o espaço para falar sobre o Concurso realizado em parceria com o Jornal da Manhã de Ponta Grossa.

“Para a Caminhos do Paraná é muito natural trabalhar a temática do trânsito. Não só em Irati, mas nos outros 14 municípios que compõe nossa área de abrangência. Esse ano promovemos de forma inedita esse concurso tendo por base essa década mundial, lançada pela ONU [Organização das Nações Unidas] de prevenção há acidentes de trânsito. Por isso realizamos uma atividade mais aprofundada.  A participação e o envolvimento foram muito positivos”, comemora Dittrich.

De acordo com ele, ações de conscientização e sensibilização no trânsito são de fundamental importância para diminuir o índice de mortes no trânsito.

Ampliação das atividades de prevenção

Para contribuir com essa questão, Dittrich diz que a diretoria da Caminhos do Paraná está pensando em transformar a educação no trânsito em uma prática mais presente no dia a dia da empresa. Segundo ele, uma forma de mudar essa realidade é estendendo os trabalhos de conscientização, além da Semana Nacional do Trânsito.

“Nós tradicionalmente trabalhamos o tema trânsito de forma concentrada durante a Semana Nacional do Trânsito, mas tendo em vista esse momento que o mundo inteiro está passando pensamos em ampliar nossas atividades. Hoje, o trânsito é a primeira causa de mortes em determinadas faixas etárias superando muitas doenças que poderíamos imaginar que matam mais. É inegável que no mínimo é um momento inspirador para nós como empresa que temos essa relação intima com o trânsito trabalhar de uma forma mais conceituada  esse tema dentro das escolas”, indica Dittrich.

Como trabalhar a educação no trânsito em sala de aula?

Para a jornalista Talita Moretto, coordenadora do Projeto Vamos Ler, que neste ano promoveu o Concurso Cultural Educação no Trânsito entre alunos de escolas iratienses em parceria com a Caminhos do Paraná, a prevenção dos acidentes deve começar com os jovens, os motoristas de amanhã. Por isso, a preocupação dela e de muitas pessoas é para que a educação no trânsito seja uma atividade pedagógica nas escolas e que ela não se torne somente um projeto extracurricular.

Talita diz que tema deve ser debatido entre jovens, pois eles serão os motoristas do futuro
“Trabalhar isso em sala de aula, já mostra o quanto você é prudente e responsável”, destaca Moretto.

De acordo com a jornalista, no final do mês de outubro durante o congresso brasileiro de rodovias, um dos temas discutidos foi justamente a possibilidade de ser aprovado um projeto para inserir esse conteúdo nas escolas.

“Existe a possibilidade de ser uma atividade pedagógica ou até mesmo uma disciplina escolar. Porque todas as concessionárias estão percebendo essa necessidade de mediar, ou seja, de você prevenir os acidentes e não só remediar depois que eles acontecem”, enfatiza Moretto.

Comentários

Enquete

Você acha que existe um grande número de pessoas que recebem aposentadoria sem ter contribuído o suficiente?

  • Não
  • Sim
Resultados