Irati e Região / Notícias

21/11/19 - 20h50 - atualizada em 22/11/19 às 21h59

Emiliano deixa pasta do Desenvolvimento Econômico

Pedido de exoneração do ex-secretário foi publicado no Diário Oficial desta quarta (20)

Da Redação, com reportagem de Paulo Henrique Sava 

Emiliano Rocha Gomes durante entrevista no programa Meio Dia em Notícias da Super Najuá

Pouco mais de dez meses depois de aceitar o convite do prefeito Jorge Derbli para integrar o alto escalão do Executivo Municipal, Emiliano Rocha Gomes deixou a Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico. O pedido de exoneração foi publicado no Diário Oficial do Município nesta quarta (20), mas desde segunda (18), ele não fazia mais parte do secretariado. 

A decisão em deixar o governo municipal, segundo Emiliano, resultou do sentimento de ter concluído um ciclo e de ter cumprido com suas obrigações dentro da pasta. Para além disso, a decisão está ligada a um motivo familiar. “Meu avô [Sergio Gomes] está muito doente e, neste momento, a família precisa estar junto. Como a vida é feita de ciclos e o que importa são as pessoas que estão ao nosso lado, é importante que demos atenção neste momento ao meu avô, que está em cuidados paliativos”, relata.

Emiliano considera que foi um grande desafio assumir uma pasta pequena, com poucos recursos e que, por outro lado, conta com pessoas empenhadas e dedicadas. Esse desafio, segundo ele, incluía repensar um modelo de desenvolvimento econômico para o município. Na visão do ex-secretário, esse desenvolvimento “freou” desde o fim do ciclo madeireiro, a partir da década de 1980, e ganhou um novo impulso com a vinda da Yazaki, empresa que produz peças automotivas para montadoras de veículos, em 1998.

“As pessoas pensam que desenvolvimento econômico tem a ver apenas com grandes indústrias e grandes estruturas, mas precisamos entender que o desenvolvimento é extremamente mais profundo que isso. Por isso, pensei ‘devo falar com quem sabe’. E conversei com a Cris Alessi, que é presidente hoje da Agência Curitiba, fui para Maringá e Londrina e comecei a observar como essas cidades tiveram sua exponencialidade de crescimento num curto período. O que elas tiveram em comum foi o diálogo, a união, a cooperação e isso em Irati se perdeu ao longo do tempo”, diz.

CLIQUE AQUI E RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS PELO WHATSAPP

PUBLICIDADE

Entre os principais projetos desenvolvidos por Emiliano durante o período em que comandou a Secretaria de Desenvolvimento Econômico foi a campanha “Eu Amo Irati”. Baseada no exemplo de outros municípios próximos, a iniciativa visa estimular a autoestima do cidadão iratiense, para que a cidade seja percebida como um local em que vale a pena investir. Nesse sentido, por extensão, foi criado o Programa Municipal de Atração de Investimentos (PMAI). Outro importante projeto é o lançamento da plataforma “Compras Irati”, que objetiva não somente dar mais transparência a procedimentos licitatórios como também estimular o comerciante e o prestador de serviços iratiense a participar dos certames.

Para substituí-lo, Emiliano sugeriu que o novo secretário fosse uma indicação técnica e politicamente neutra, relacionado à Associação Comercial e Empresarial de Irati (ACIAI). Apesar disso, ele afirma que não possui qualquer influência nessa decisão, que cabe inteiramente ao Executivo definir o nome a ocupar a vaga. “A preocupação, realmente, é com a execução. Sabemos que, hoje, o empresariado não tem muito tempo para poder exercer uma função de responsabilidade com devoção, como essa. Mas, ao mesmo tempo, pessoas que sejam do núcleo duro da ACIAI, ou seja, da diretoria, que possam compor. Independente de quem seja, mas que tenha esse vínculo forte com a Associação Comercial”, analisa.

Quanto ao respaldo que teve do Executivo durante os meses em que comandou a Secretaria, Emiliano avalia que, de imediato, precisou “desacelerar” o ritmo que pretendia impor aos projetos a serem empreendidos na pasta, ao entender que é uma secretaria de poucos recursos. Na visão dele, a secretaria, que outrora foi denominada de Indústria e Comércio, representa, historicamente, uma “pasta de despacho”. “Temos o Progride [Programa Iratiense de Desenvolvimento Econômico] só despachando os trabalhos; mas nunca houve inserções de programas e de projetos para mobilizar a sociedade. Acredito que um grande ativo que deixei no período em que estive na Secretaria foi de reunir as pessoas. Temos uma cultura de não-participação. Fizemos muitos eventos, poucas pessoas participaram. Esse quadro de frequência baixa, precisamos reverter”, opina.

O número de atendimentos na Sala do Empreendedor em relação ao ano passado é outro destaque apontado por Emiliano na sua trajetória dentro da Secretaria. O estímulo à “cultura empreendedora” foi um dos aspectos de maior ênfase. “Temos uma frequência de em torno de 1.200 atendimentos ao mês e de cerca de 120 novos CNPJs por mês, pessoas que estão se aventurando no empreendedorismo, o que acaba sendo uma grande responsabilidade para o município, pois tem muita gente empreendendo. É fato que, no Brasil, 60% dessas empresas, já no primeiro ano, deixam de existir; então, a responsabilidade é de que permaneçam, que tenham uma base sólida e o SEBRAE tem um papel fundamental no município, de cooperação para incentivar os empreendedores”, diz.

Antes de deixar a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Emiliano anunciou que o município está em negociação avançada, “80% confirmada”, da instalação de uma empresa japonesa na cidade de Irati, que deve gerar entre 300 a 400 novos postos de trabalho, com investimento estimado em R$ 300 milhões. Entretanto, o ex-secretário mantém sigilo sobre o nome da empresa e que ramo de atividade ela exerce.

Futuro político

O ex-vereador Emiliano Gomes (2013-2016), que concorreu à Prefeitura de Irati em 2016, pelo Partido Verde (PV), acredita que ainda é muito cedo para afirmar se pretende ou não concorrer nas eleições municipais de 2020. Por enquanto, ele diz que pretende se aprimorar, através de cursos, como o que aborda a temática “Cidades Inteligentes” e em planejamentos estratégicos. Em 2016, Emiliano ficou em 3º lugar da disputa, com 14,6% dos votos (5.028 votos válidos).


Comentários