Irati e Região / Notícias

20/02/12 - 10h04 - atualizada em 20/02/12 às 10h36

Equipe da Najuá acompanha experiência de duas crianças em seu 1º dia de aula

O repórter Sassá Oliveira e o jornalista Rodrigo Zub acompanharam os momentos que antecederam a ida de Mateus Batista da Luz e Bruna Vieira, até o seu primeiro contato com um mundo desconhecido, a temível sala de aula. Acompanhe os detalhes

Sassá Oliveira e Rodrigo Zub

O primeiro dia de aula na vida da criança é um marco importante que com certeza será lembrado pelo resto da vida. Expectativa, medo, euforia, receio, um turbilhão de sentimentos fervilham na cabeça das crianças nos dias que antecedem o grande momento. O repórter Luis Fabiano Oliveira e o jornalista Rodrigo Zub acompanharam os momentos que antecederam a ida de dois pequeninos até o seu primeiro contato com um mundo desconhecido, a temível sala de aula.

{album}

A apreensão não é só pelo lado das crianças, os pais também ficam tensos e muitas vezes até atrapalham essa adaptação dos filhos.

Essa situação de ficar longe da criança amada e entregá-la por algumas horas do dia a uma pessoa desconhecida despertam sentimentos de insegurança, angústia e o receio de que o filho não receba o mesmo carinho que encontra no lar.
Rodrigo Zub esteve na Rua Athis Fernandes da Silva, na Vila São João, onde acompanhou o pequeno Mateus Batista da Luz, de cinco anos, até a chegada ao Colégio Amaral Gruber, no bairro São Francisco.

Desde a chegada a residência da família Batista da Luz já se notava a alegria estampada no rosto do pai, da mãe e do irmão de Mateus. Todos estavam radiantes ao ver o sonho do menino se concretizar.

Jeferson, pai de Mateus disse que o filho estava bastante ansioso e animado para ir à escola, diferentemente de outras crianças de sua idade que tem medo de frequentar a sala de aula.

Para os pais, o filho sempre é o bebezinho da casa que deve ser tratado com muito amor e carinho. Por isso, Jeferson diz que não há emoção maior para ele do que ver o crescimento e o amadurecimento do menino, que agora entra em uma nova fase na vida. Uma fase de apreender a conviver em sociedade e a respeitar os ensinamentos e a disciplina dos bancos escolares. “Pra mim é uma alegria muito grande porque todos os anos que o irmão dele o Vinicius tem ido a escola ele tem ficado ansioso, animado e nos últimos dias, inclusive ele tem contado nos dedos para ir à escola. Eu lembro quando eu ia a escola é uma alegria muito grande”, descreve Jeferson.

Separação da mãe

Para a mãe muitas vezes a separação se torna traumática. Marina, mãe de Mateus, não é diferente. De acordo com ela, o sentimento de angústia é comum a todas as mães, que não conseguem se desgrudar do filho em nenhum momento, nem que seja por apenas algumas horas. “A gente acha que eles vão estranhar, mas é algo natural toda criança tem que enfrentar este obstáculo. Por outro lado é muito bom, porque a partir desta fase eles mudam o comportamento e ficam mais maduros para enfrentar as dificuldades da vida”, destacou Marina.

Experiência do irmão mais velho

Já Vinicius irmão mais velho de Mateus fez questão de seguir todos os passos do caçula da casa. Tentando passar tranquilidade ao irmão ele procurou ajudar em tudo, desde a procura pela mala até a escolha pelo lanche que Mateus iria degustar durante o intervalo da aula.

Com oito anos Vinicius está na 4ª série do Ensino Fundamental. Por isso, procuramos saber do pai dos meninos qual foi o comportamento do filho mais velho ao encarar a temível sala de aula. “O Vinicius tem um comportamento um pouco diferente, ele é um pouco mais tímido. Mesmo assim, ele também bastante feliz e não demonstrou medo ao enfrentar o temível primeiro dia de aula”, lembra Jeferson.

Ansiedade

Se os pais estavam ansiosos imagine o que estava sentido Mateus. O relógio apontava 12h50, faltavam poucos minutos para o sonho se concretizar.  Nos olhos do menino era nítido o semblante de alegria e felicidade. Perguntado se teria medo ou poderia chorar, Mateus limitou-se a dizer que não, enquanto corria com pressa até o carro que o pai utilizaria para levá-lo a escola.

Depois de um percurso de cinco minutos de carro finalmente o sonho se concretizou. Mateus entrou na escola e logo se dirigiu a fila de entrada a sala de aula. Lá dentro, tudo tranquilo. O menino escolheu uma cadeira e logo fez amizade com os coleguinhas. Sempre atento ele ouviu pacientemente todos os recados de sua professora. Ao final tudo virou festa. As brincadeiras com os novos amiguinhos foi só o ensejo de um momento único e inesquecível que certamente será guardado por todos os dias da vida de Mateus. 

Brenda: orgulho do pai Jorge e da irmã Bruna

Sassá Oliveira foi até o Jardim Orquídea, no Bairro Lagoa, visitar a menina Brenda Vieira de cinco anos.

Na Rua Pedro Menon Sobrinho, reside a Brenda que mora com sua irmã Bruna e seu pai Jorge. Já sua mãe trabalha em Santa Catarina. Já na chegada ela nos mostrou orgulhosa seus materiais arrumadinhos, organizados na mala.  Brenda já tinha almoçado, e aguardava ansiosa pelo grande momento. Bruna e Jorge, ajudavam ela com os preparativos, uma nova fase da vida estava prestes a começar.

Seu Jorge estava muito feliz, ele nos contou que Brenda é muito inteligente e com certeza se dará bem nos estudos a exemplo de sua irmã mais velha Bruna. “A cada momento que passávamos em frente à escola ela falava com expectativa sobre sua vontade de ir estudar. Então ela está muito ansiosa mesmo”, revelou Jorge.

Ele também relatou que a menina estava eufórica e contando as horas para começar a estudar, os olhinhos brilhando denunciavam a expectativa que Brenda estava sentindo.

Ela entrou no carro de seu Jorge e em poucos momentos chegou à escola que fica próximo a sua casa.

O pátio lotado, crianças correndo, pais eufóricos, clima típico de volta as aulas. Logo em seguida a coordenadora começou a chamada para composição das salas, e por coincidência o primeiro nome chamado foi dela, Brenda Vieira. Seu Jorge acompanhou ela até a fila, e a partir dali começava a vida escolar da pequena garotinha.

Comentários