Irati e Região / Notícias

07/12/17 - 20h20 - atualizada em 08/12/17 às 10h56

Fruticultores comemoram sucesso da 39ª Festa do Pêssego

Em três dias de festa, foram comercializadas cerca de 15 toneladas de ameixa, pêssego e morango

Edilson Kernicki, com reportagem de Jussara Harmuch, Paulo Sava e Rodrigo Zub 

O gerente da Fazenda Rio Corrente, Rafael Petenucci, e o responsável pelos pomares da fazenda de fruticultura, Marco Aurélio Santos, comemoram o resultado obtido nas vendas durante a 39ª Festa do Pêssego, realizada em Irati, no último final de semana. Eles foram expositores durante o evento realizado no Parque Aquático que reuniu, em três dias, cerca de 37 mil pessoas, segundo estimativas da organização e da Polícia Militar.

“Fabricamos aqui embutidos, produzimos pêssego e ameixa, temos produção de carneiro e bastante variedade”, cita Petenucci sobre a produção da fazenda. O expositor avalia que o resultado da 39ª Festa do Pêssego, em termos de comercialização das frutas, superou as expectativas. Já em relação aos embutidos, os produtos foram apenas demonstrados, porque a licença para comercialização desses produtos da fazenda é válida apenas para o município de Rebouças.

Confira o áudio da entrevista completa com os fruticultores no fim do texto

15 toneladas de pêssego, ameixa e morango foram vendidas durante o evento
O produtor estima que as vendas durante o final de semana foram de uma tonelada de pêssego e meia tonelada de ameixa, o que corresponde a 10% de toda a venda registrada durante o evento. “O dia de maior procura foi o domingo (3)”, diz Petenucci.

A produção frutífera nesta safra, na Fazenda Rio Corrente, fica na casa entre 15 a 20 toneladas, de acordo com o gerente. As frutas são vendidas em supermercados de Rebouças e de Irati e a distribuição dos produtos fica em 50% para cada uma das duas cidades.

“Foi a primeira vez que expusemos e, para nós, foi um ano de aprendizado na Festa do Pêssego. Foi muito bom e acredito que nas próximas será melhor ainda”, avalia. Segundo o gerente da Fazenda Rio Corrente, o convite para expor durante a Festa do Pêssego foi feito através do secretário de Agricultura de Irati, Raimundo Gnatkowski (Mundio).

Petenucci salienta que a fazenda está na região de limite entre os municípios de Irati e Rebouças. “Nossa produção de embutidos obteve licença da parte de Rebouças, mas a propriedade pertence a Irati”, comenta.

PUBLICIDADE
No que tange à fruticultura, a fazenda iniciou o processo de diversificação da produção, com as chamadas “frutas vermelhas”, como a amora e a framboesa. “De framboesa, iniciamos agora, com algumas mudas. E amora não temos em grande quantidade, mas vendemos em algumas confeitarias e no mercado em Rebouças. Iniciamos também a produção de mirtilo (blueberry) com algumas mudas, mas isso é mais para o futuro”, relata o gerente da fazenda.

Variedades de cultivares de pêssego

A propriedade trabalha com cinco variedades de pêssego e duas de ameixa, de acordo com o responsável pelo pomar, Marco Aurélio Santos. “São elas: pêssego branco, pêssego amarelo, assim como as ameixas. Temos as variedades Charme, Fascínio, Chiripá, Eldorado e Eragil; e ameixas Rubimel e Fortune”, explica.

Conforme Santos, foram disponibilizadas duas variedades de pêssego na festa, que são as cultivares mais precoces e que estavam disponíveis para colheita na ocasião do evento. “Como a florada inicia no mês de agosto, as primeiras frutas começam a surgir em novembro. Para conseguirmos entregar na Festa do Pêssego, conseguimos a variedade Fascínio e a variedade Charme que já estavam prontas para serem comercializadas no começo de dezembro, na Festa do Pêssego.Iniciamos a comercialização da Fascínio e, subsequentemente, tem as outras variedades, como a Chiripá, a Eragil e a Eldorado”, acrescenta Santos.

Produção da Fazenda Rio Corrente é bem variada
Segundo o responsável pelo pomar da Fazenda Rio Corrente, o clima do inverno em 2017 foi favorável à produção, desde a florada. “Temos frutos bons, de boa qualidadeem nossa região, plantas carregadas. Tivemos uma boa produção e nossa colheita será de 50% a 60% maior que no ano passado e vamos colher de 15 a 20 toneladas na safra 2017-2018”, analisa.

O pomar da propriedade de cerca de cinco hectares possui quase 5 mil plantas e, hoje, prioriza, em nível comercial, frutas sem caroço. “Iniciamos um projeto, no ano passado, pensando em comercialização no ano inteiro, na linha de cítricos. Temos 200 plantas de laranja Bahia e fizemos mais um plantio de em torno de 160 mudas de bergamota, a tangerina fora de época, que tem maturação entre setembro e outubro, temos laranja pêra e a intenção, na nossa região, que consome o ano inteiro, o limão Taiti, iniciamos para ver como se adapta à nossa região, com 65 plantas mais ou menos, o que pode ser ampliado”, antecipa.

Entrevista com o gerente da Fazenda Rio Corrente, Rafael Petenucci, e o responsável pelos pomares da fazenda de fruticultura, Marco Aurélio Santos

Comentários