Irati e Região / Notícias

10/07/19 - 00h25 - atualizada em 10/07/19 às 00h42

Gestantes terão curso teórico-prático de preparação para o parto

Curso é voltado também aos pais que estão à espera de seus filhos e aos profissionais de saúde

Edilson Kernicki, com reportagem de Rodrigo Zub 

Curso teórico-prático de preparação para o parto será realizado em Irati

A fisioterapeuta e doula Marina Joice Keil, vai ministrar um curso teórico-prático de preparação para o parto, na sede do Instituto Equipe, em Irati, no sábado (13), a partir das 9h. O curso tem duração de seis horas e é destinado a gestantes e também aos pais, que estão à espera de seus filhos, e aos profissionais de saúde.

Segundo Marina, que cursa o Mestrado Interdisciplinar em Desenvolvimento Comunitário, na Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (Unicentro), a informação durante o período gestacional é de extrema importância para que mães e pais se preparem para a chegada do filho e ajuda a compreender as mudanças e adaptações que a mulher enfrenta durante a gravidez e a possível transformação do ambiente em que ela habita, tanto durante quanto após a gestação.

A finalidade do curso é também contribuir para que a gestante e seu companheiro tenham maior autonomia e participação na assistência que é oferecida a ela, capacitando-os e incentivando-os ao auto-cuidado, em prol de uma saúde de qualidade e construtivista. Nesse sentido, as equipes obstétricas, das quais fazem parte fisioterapeutas e doulas, têm procurado ocupar espaços de atenção básica para fazer o acompanhamento de gestantes e de seus familiares, a fim de orientar e esclarecer dúvidas sobre uma fase de profundas transformações na vida da mulher.

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS PELO WHATSAPP

PUBLICIDADE

Entre os temas a serem abordados no curso, estão os tipos e opções de parto (humanizado, natural, normal, cesariana); as fases do trabalho de parto e treino para o período expulsivo; as estratégias para diminuir a ansiedade e dor do parto e as técnicas e exercícios de relaxamento para o parto. O curso também vai dar instruções sobre métodos não farmacológicos de alívio da dor; a participação do pai no parto; os cuidados no pós-parto e puerpério; os primeiros cuidados com recém-nascido e amamentação.

Segundo Marina, o curso vai trazer relatos de partos e discutir, entre outras questões, a violência obstétrica e apresentar a alternativa do parto humanizado. “Se for a opção da mulher e ela tiver interesse, podemos explicar como funciona o parto domiciliar planejado, que não é qualquer coisa, não é qualquer uma que pode ter. Esse curso é todo baseado em evidências científicas atualizadas, para que não haja nenhuma negligência e para que haja um cuidado real com a mulher”, comenta.

Curso será ministrado pela fisioterapeuta e doula Marina Joice Keil (foto), que contou detalhes sobre a iniciativa em participação no programa "Meio Dia em Notícias"

Vagas limitadas

As vagas são restritas a 20 participantes no curso. “Tem um número limite, até porque, como é prático, gosto de ouvir as pessoas para saber quais as demandas”, frisa. Restam apenas dez vagas. “Em Irati, a demanda é muito grande e várias mães já vieram conversar comigo, curiosas para saber como funciona o parto humanizado”, observa a fisioterapeuta e doula, que já ministrou cursos similares no Sudoeste do Estado. Será o primeiro curso do tipo que Marina ministra em Irati, onde está há quatro meses para cursar mestrado na Unicentro.

PUBLICIDADE

Trabalho da doula

Marina explica que a doula trabalha, durante o pré-natal, fornecendo informações à gestante e ao pai, por meio de evidências científicas, a respeito de técnicas para preparar o corpo, através de exercícios físicos e com apoio de material didático (livros e vídeos) para a chegada do bebê. “Em todo o processo de parturição, desde o começo, até o final, ela vai acompanhar, utilizando técnicas de alívio de dor, como massagens. Como eu sou fisioterapeuta também, consigo ter acesso a outros mecanismos para aliviar a dor por meio do movimento. Por conhecer a anatomia, a cinesiologia, a biomecânica, consigo fazer outras coisas”, diz. No pós-parto, a doula orienta sobre os cuidados com a alimentação; se for o caso, com a cicatrização de cesárea ou do períneo.

“A institucionalização do parto o torna hospitalar. Antes, as mulheres tinham seus filhos em casa, num ambiente acolhedor. Agora, é colocado no hospital, um ambiente mais hostil, com relações mais frias. Consequentemente, foram mudando as condutas e foi se patologizando o parto, tirando o protagonismo [da mulher], muitas vezes, até pela pressa de querer que o bebê nasça logo. O trabalho de parto é demorado. Por várias consequências, tornou-se cada vez mais difícil parir no Brasil, desde o poder dos profissionais sobre a mulher, a questão da violência física e moral que alguns profissionais têm, infelizmente. Estamos trabalhando e fazendo movimentos sociais para desmistificar o parto e empoderar a mulher e torná-la protagonista de seu parto, do nascimento de seu filho, para que esse seja um momento bonito, cheio de amor e de receptividade, e não cheio de medo, choro e insegurança”, analisa a doula.

PUBLICIDADE

Custo do curso

O curso será ministrado no Instituto Equipe de Educadores Populares (Rua Espírito Santo, 255, Vila São João). As inscrições custam R$ 80 para as gestantes; R$ 120, para casais e R$ 100, para profissionais de saúde. O curso começa às 9 e termina às 16h, com intervalos para coffee break e almoço.

As inscrições podem ser feitas pela página do Instituto Equipe no Facebook, na página do evento ou pelo Whatsapp (46) 99941-5556 - Marina.


Comentários