Irati e Região / Notícias

20/04/19 - 14h05 - atualizada em 20/04/19 às 14h38

Líder do governo na ALEP se compromete a intermediar continuidade de obras

Hussein Bakri (PSD) foi recebido pelo prefeito Derbli (PSDB) na quinta (18). Deputado se comprometeu a ajudar nos entraves que impedem continuidade de obras paradas

Edilson Kernicki, com reportagem de Sidnei Jorge 

Prefeito Jorge Derbli recebeu deputado Hussein Bakri em seu gabinete e solicitou que ele possa intermediar negociações para retomada de algumas obras em Irati

O deputado estadual Hussein Bakri (PSD), líder do governo na Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP), foi recebido pelo prefeito Jorge Derbli (PSDB), em seu gabinete, na quinta-feira (18). O parlamentar se comprometeu a intermediar, junto ao governador Ratinho Júnior (PSD), a continuidade de quatro obras paradas que, juntas, representam investimento de quase R$ 4.996.325,00 em pavimentação e segurança pública.

Ouça a entrevista completa com o deputado no fim do texto

Duas obras ainda aguardam homologação na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano (SEDU) e duas tiveram seus convênios cancelados: uma na SEDU e outra na Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (SEIL) e Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Paraná (DER).

Designado para representar o município de Irati na ALEP, o deputado marcou, para a próxima semana, reuniões com os secretários estaduais de Desenvolvimento Urbano, João Carlos Ortega, e de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, a fim de “destravar” quatro projetos. “Alguns casos de convênios assinados no governo passado não tinham o respectivo recurso guardado. Estamos agora validando esses projetos e se eles estiverem, do ponto de vista legal, corretos, e aqui é o caso de um, que está correto, vamos lutar para arrumar o dinheiro. Tenho todo o otimismo possível de que vai ser positiva nossa investida no sentido de liberar recursos para a pavimentação em diversos pontos do município de Irati”, diz.

PUBLICIDADE

O líder do governo afirma que não há queixas quanto aos governos anteriores, no que diz respeito a trabalhar com o orçamento definido no ano passado. “Mas não temos os R$ 5 bilhões em caixa que eles disseram que nos deixaram. Recebemos o Estado com R$ 190 milhões em caixa, o que, na verdade, é um recurso pequeno diante das demandas que o Estado necessita”, destaca. Nesse sentido, Ratinho Júnior tenta compensar a “falta de recursos” com o enxugamento da máquina pública, inclusive com a proposta de reduzir a folha de pagamento e redução do secretariado, de 28 para 15 pastas.

“O Estado vai começar a andar, do ponto de vista dos convênios e apoio aos municípios, em relação a novos projetos, em junho ou julho desse ano. O que temos é um passivo de R$ 450 milhões a serem pagos, de convênios que foram assinados e que não tinham previsão de recursos. Esse é o foco do governo. Foram feitos alguns convênios, tiraram fotografias, soltaram foguete, mas não tinha dinheiro. A prioridade nesse momento é validar os R$ 450 milhões, o que deve ocorrer em pouco tempo e, a partir disso, liberar novos convênios”, enfatiza.

Câmeras de Vigilância

Um dos projetos que o deputado se comprometeu a ajudar a viabilizar, seja via recursos do Governo do Estado, seja através de emenda, é o da instalação de câmeras de vigilância. O convênio 676/18, assinado em 3 de abril de 2018, no valor de R$ 315.810,00, foi cancelado.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Envie SIM notícias http://bit.ly/CliqueAquiWhatsSuperNajua

Por e-mail: http://bit.ly/2BiE4tC

Texto continua após a publicidade

PUBLICIDADE

Pavimentação

Outros dois projetos parados envolvem pavimentação. Um deles aguarda homologação junto à SEDU: é o convênio 185/17, para a pavimentação da Rua Augusto Anciutti Sobrinho, na Vila Matilde, que liga a BR-153 ao Instituto Federal (IFPR). O investimento é de R$ 473.715,00. O outro convênio (811/18), assinado em 15 de abril de 2018, foi cancelado. O projeto, orçado em R$ 1.052.700,00, se destinava à pavimentação de ruas no bairro Riozinho.

Secretários de Segurança Pública, Luiz Carlos Ramos (Bola), de Saúde, Magali Salete de Camargo, e de Meio Ambiente, Magda Lozinski, também participaram do encontro na prefeitura de Irati e entregaram demandas ao deputado

Centro de Eventos

O parlamentar também se comprometeu a negociar com o governo do Estado para destravar a obra do Centro de Eventos no CT Willy Laars. Por enquanto, o convênio 274/18, de R$ 3.154.100,00, aguarda homologação na SEDU.

Colégio Militar

Além da continuidade das obras paradas, Bakri assumiu o compromisso de pleitear junto ao Estado a implantação de um Colégio Militar na cidade de Irati. A pauta foi apresentada pelos vereadores ao parlamentar, que acredita que já em 2020 abram as matrículas para essa instituição, basta que seja escolhido o colégio da rede estadual que vai adotar o sistema de educação militar.

PUBLICIDADE

Vale salientar que no mês de julho de 2018, o deputado federal Evandro Rogério Roman (PSD) declarou à Najuá que o governo federal já havia empenhado o recurso de R$ 4,3 milhões para construção de um colégio militar com 12 salas em Irati. Na ocasião, ele disse que a instituição deverá iniciar as atividades até o início de 2020. A obra foi anunciada em abril de 2018, quando os vereadores Hélio de Mello (MDB) e Edson Luiz Elias (PSDB) se reuniram com Roman, que intermediou a negociação para que a instituição fosse instalada no município. Na época, o prefeito Jorge Derbli entregou ofícios ao então comandante da PM/PR, coronel Maurício Tortato; à atual comandante da PM/PR, coronel Audilene Rosa de Paula Dias Rocha e ao responsável pela Diretoria de Ensino e Pesquisa da Polícia Militar, coronel Mauro Celso Monteiro. No documento, o prefeito solicitava o estudo de viabilidade técnica da instalação do Colégio Militar em Irati e sugeria duas áreas para receber a estrutura.

Subdivisão Policial e Bombeiros

Outra pauta apresentada pelos vereadores, Conselho de Segurança (Conseg) e agentes de segurança pública ao deputado, em reunião, foi a de tornar o município de Irati sede de uma Subdivisão Policial (SDP). As SDPs são as áreas de circunscrição em que atua a Polícia Civil. Hoje, Irati faz parte da 13ª Subdivisão Policial, com sede em Ponta Grossa, que abrange 19 municípios, dos quais três não possuem delegacia (Fernandes Pinheiro, Guamiranga e Porto Amazonas) e dois possuem, mas estão desativadas (Rio Azul e Ivaí).

“A partir do momento em que se tem a Subdivisão Policial, se tem todos os outros instrumentos de trabalho, além de Polícia Científica e mais investigadores. Vou trabalhar nesse sentido”, comprometeu-se.

PUBLICIDADE

Além disso, ele vai reivindicar a consolidação da elevação de status do Corpo de Bombeiros de Irati. A ex-governadora Cida Borghetti (PP) anunciou no dia 13 de dezembro de 2018, quando esteve em Irati, que o 3º Subgrupamento do 2º Grupamento de Bombeiros (3º SGB/2º GB) seria elevado para 10º Subgrupamento Independente do Corpo de Bombeiros (SGBI), com quatro Seções – Irati, São Mateus do Sul, União da Vitória e Prudentópolis – e quatro Postos de Bombeiros Comunitários – Mallet, Imbituva, Rebouças e General Carneiro. Porém, o processo não se concretizou e a designação voltou a ser 3º Subgrupamento e Irati responde ao 2º Grupamento, que fica em Ponta Grossa.

Deputado também se reuniu com integrantes do Corpo de Bombeiros, que solicitam elevação da corporação. Vereadores Rogério Kuhn e Edson Elias também estiveram presentes na reunião

Santa Casa

Bakri elogiou a atuação da Santa Casa como referência regional em atendimento e salienta a importância da entidade no serviço prestado ao Estado. O deputado afirma que sabe dos problemas de custeio do hospital e marcou, para a semana que vem, uma reunião com o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, a fim de expor a ele a necessidade da melhora de repasse de recursos para custeio.

“O hospital tem uma característica especial, pois atende a toda a região. Da minha parte, como líder do governo, vai merecer todo o apoio”, garante.

PR-364

O deputado acredita que, apesar dos entraves que atrasam o início das obras, a pavimentação da PR-364, que liga os municípios de Irati e São Mateus do Sul devem ser concluídos dentro do prazo previsto na licitação, ou seja, em até dois anos. Segundo ele, a questão financeira não é problema para executar a obra, que teve assegurado financiamento internacional através do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

PUBLICIDADE

Condomínio Industrial

O município de Irati tem pleiteado, junto ao Estado, a cessão de uso de uma área de cerca de dez alqueires, no terreno que pertence ao IAPAR, às margens da BR-277. “Essa possibilidade é muito grande. Em primeiro lugar, porque estamos falando de um terreno de 80 alqueires e o município reivindica apenas dez, por um motivo nobre: geração de emprego e renda. Vou tratar do tema com o governo do Estado”, afirma.

O deputado afirma que basta a Casa Civil redigir o termo de cessão e o projeto ser aprovado na ALEP, o que Bakri acredita que possivelmente ocorra com brevidade. “Evidentemente, a Prefeitura vai ter que cumprir com seu papel, o de destinar a área e fazer os movimentos para que seja utilizada para a finalidade que estamos aprovando”, afirma.

Universidades

Bakri aposta na presença do ex-reitor da Unicentro, Aldo Nelson Bona, no governo do Estado, como superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, para que surjam novos investimentos nas instituições de ensino superior. “Precisamos aproximar as universidades do governo. Estávamos, no passado, com o seguinte tema: as universidades pedem e o Estado diz ‘não’. Não é isso. Temos que aproximar, criar mecanismos para que as faculdades possam faturar, aproveitar a expertise para que as faculdades participem do dia a dia do cidadão, através de muito diálogo. Vamos acabar com essa briga que tinha. Esse nosso primeiro encontro [com os reitores] serviu para isso. O Aldo é muito competente, muito capaz e está trabalhando com muito dinamismo e vou ajudar muito nesse contexto”, assegura.

PUBLICIDADE

Quanto à criação do curso de Engenharia Civil, no campus de Irati da Unicentro, prometida no ano passado também pela ex-governadora, o deputado pondera que, ainda que o Paraná seja um dos Estados que mais investe no ensino superior, nesse momento é preciso “frear” a criação de novos cursos, para manter a condição dos já existentes e por não haver garantias de que os novos cursos funcionariam de maneira adequada. Mesmo assim, ele diz que a possibilidade não está extinta, apenas adiada. “O governador pediu ao Aldo para fazer um estudo, uma revisão. É possível que volte à tona. O governador pediu para suspender temporariamente [a criação de cursos] para fazer uma avaliação. Ele sabe da importância desse curso, mas o fato concreto é que temos que ter o cuidado de não lançar notícias sem o devido respaldo financeiro na concepção”, conclui.

Confira a entrevista completa com o deputado Hussein Bakri

Comentários

Enquete

Você acha que existe um grande número de pessoas que recebem aposentadoria sem ter contribuído o suficiente?

  • Não
  • Sim
Resultados