Irati e Região / Notícias

22/11/11 - 00h36 - atualizada em 22/11/11 às 12h43

Moradores do Marmeleiro interditam trecho da PR-364

Tráfego no km 58 da PR-364 foi interditado. Durante manifestação, moradores pediram melhorias na estrada que liga Rebouças ao Marmeleiro, e a pavimentação asfáltica no trecho entre as cidades de Irati a São Mateus do Sul
Rodrigo Zub, com fotos de Sassá Oliveira


Estradas de qualidade para poder escoar seus produtos com mais facilidade. Este foi o principal pedido dos moradores da comunidade de Marmeleiro, interior de Rebouças, durante manifestação realizada na manhã do dia 21, nas proximidades do km 58 da PR-364. Melhorias na estrada que liga Rebouças ao Marmeleiro e a pavimentação asfáltica no trecho entre as cidades de Irati a São Mateus do Sul, foram às principais reivindicações apresentadas pelos agricultores.

Desde as 7 h vários agricultores já aguardavam ansiosos para estacionar suas máquinas para bloquear a via e iniciar a manifestação, a segunda em menos de um mês.

{album}
A reportagem da Najuá se deslocou até a comunidade do Marmeleiro e pode constatar que a principal revolta dos produtores rurais é com o descaso das autoridades.

Há mais de duas décadas se discute a possibilidade do trecho de 48 de km entre as cidades de Irati e São Mateus do Sul ser asfaltado. No entanto, a pavimentação asfáltica deste trecho da PR 364 parece ser um sonho difícil de ser concretizado.

Na literatura a palavra novela se refere a uma narração, curta, ordenada e completa de fatos humanos fictícios, mas verdadeiros. No caso da PR-364, o mesmo termo pode ser aplicado em uma história que tem muitos capítulos, vários atores (governadores e políticos), mas por enquanto, sem o capítulo final. Uma novela sem final feliz para os agricultores locais e inúmeras pessoas que precisam utilizar a via.
Caminhão utilizado para bloquear o tráfego na rodovia


Moradores dizem que estão cansados de promessas

Sidnei Tussolino, morador da comunidade, diz que está cansado de promessas e lembra que os agricultores sofrem há muito tempo em função das condições ruins da rodovia. Segundo ele, de nada adianta os produtores batalharem durante meses em suas lavouras se a estrada não oferece condições de trafegabilidade para escoar a safra. 

Ele comenta que os caminhoneiros são os maiores prejudicados. Os proprietários dos veículos sofrem com a falta de manutenção da estrada que ocasiona, com frequência, problemas mecânicos, principalemnte nos caminhões que transportam a safra. “Hoje todo mundo tem maquinário, caminhão, o agricultor sofre muito e não tem estrada para levar a safra. A pessoa planta colhe e na hora de entregar sofre com a chuva que encalha os caminhões, muita poeira, pedra, buraco, pneu furado, molejo arrebentando. O que os agricultores sofrem para ganhar eles perdem na estrada”, lamenta.

Melhorias na estrada rural da comunidade

Tussolino revela que o transporte escolar também é comprometido, pois em dias de chuva a estrada se torna intransitável. A situação se agrava quando há uma emergência em que se precisa deslocar um paciente. Ele lembra que o pedido da população não é apenas para que PR-364 seja asfaltada, mas que também o trecho de 13 km entre a saída de Rebouças até a comunidade de Marmeleiro tenha alguma intervenção.

“O representante do DER [Departamento de Estradas de Rodagem] falou que com chuva não é para sair com os caminhões na estrada, mas como o pessoal da cidade vai fazer não vai comer? Com chuva ou sol queremos estrada para transitar”, solicita Tussolino.

Agricultores cobram atitude do governo estadual

Tussolino comentou a declaração do governador Beto Richa, que durante o lançamento do Programa Pró-rural, há duas semanas em Irati, reafirmou o compromisso de concluir as obras na PR-364. Durante sua explanação, Richa pediu a compreensão dos agricultores, dizendo que as intervenções na estrada fazem parte do seu plano de governo. O pronunciamento não convenceu os agricultores.

“O governador esteve em Irati e pediu paciência. Paciência não faz nós andar na estrada. Desde que eu sou criança já falavam deste asfalto. Não tem nem projeto. Por isso nós queremos projeto e asfalto”, argumenta Tussolino.

Outro morador local, Marcelo Oliveira, é ainda mais duro nas críticas. Para ele, não adianta o governador dizer que não há verba. Na sua opinião é inadmissível o governo estadual não ter dinheiro para conclusão desta obra. “Quantos mil km de estrada existem no Paraná? Será que é só aqui neste trecho de 48 km que não vai ter dinheiro para fazer”, questiona.

Manutenção

Como não existe previsão para o início das obras neste trecho, Marcelo pede ao DER- órgão responsável pela via- que providencie a manutenção da estrada. “Só porque vão fazer asfalto abandonam a estrada. Tem buraco no barranco esperando o lugar para entrar na estrada”, diz Marcelo.

Abaixo-assinado

Rodovia foi interditada na altura do km 58 da PR 364
Quem também conversou com a equipe da Najuá foi o vereador reboucense Laércio Cipriano (PT). Laércio comentou que um abaixo-assinado está circulando entre os moradores do Marmeleiro. O objetivo é sensibilizar os governantes para a necessidade de manutenção e sinalização tanto da PR-364 como do acesso até a cidade de Rebouças.

“Quem não é visto não é lembrado. Só reclamar não basta. Isto deve chegar aos ouvidos das autoridades. Então, estamos realizando esta reivindicação pacífica e justa por que todos os agricultores estão brigando pelos seus direitos”, destaca Laércio.

Vale lembrar que até o final da manhã desta segunda-feira, 21, em torno de 150 assinaturas já haviam sido coletadas.



Comentários

Enquete

Você acha que existe um grande número de pessoas que recebem aposentadoria sem ter contribuído o suficiente?

  • Não
  • Sim
Resultados