Irati e Região / Notícias

25/03/16 - 20h03 - atualizada em 25/03/16 às 20h42

Município de Rebouças renova contrato com Hospital Darcy Vargas

Contrato que prevê repasse mensal de R$ 100 mil será renovado na segunda-feira, 28. Hospital ameaçava fechar Pronto Socorro

Da Redação, com reportagem Rádio Alvorada

O município de Rebouças renovou, nesta semana, o contrato que prevê o repasse mensal de R$ 100 mil ao Hospital Darcy Vargas para a manutenção dos serviços de Pronto Socorro. O contrato anterior vence na próxima segunda-feira (28), data em que o prefeito Claudemir dos Santos Herthel (PSDB), o secretário municipal de Saúde, Jaciel Molinari e a direção do hospital se reúnem para assinar o novo documento. Sem uma posição sobre a renovação ou não desse contrato até o começo da semana, o hospital ameaçava deixar de prestar o serviço à municipalidade.

O diretor administrativo Márcio Gobor confirmou na quinta-feira (24) a renovação do contrato. “O secretário de saúde, Jaciel [Molinari], me ligou nesta manhã informando que o prefeito [Claudemir Herthel] vai manter o valor [de R$ 100 mil mensais] e o Pronto Socorro no hospital. Isso nos deixa felizes porque não precisamos dispensar a escala médica, nem funcionários”, conta. De acordo com ele, o atendimento se mantém normalizado, inclusive durante todo o Feriado de Páscoa.

A Prefeitura de Rebouças e o Hospital Darcy Vargas aguardam por um posicionamento do governo do Estado quanto à manutenção do programa de Cuidados Continuados Integrados (CCI), implantado no hospital em novembro de 2014, para renegociar os valores do repasse mensal do município à entidade. O atual valor do repasse mensal – R$ 100 mil – se refere ao custeio do Pronto Socorro.

A escala médica para o mês de abril também foi renovada. Os médicos já tinham sido liberados para eventual desligamento com o hospital, caso o contrato não fosse renovado. A opção que o município teria, se desistisse de renovar o contrato com o Hospital Darcy Vargas, seria a de dispor o serviço de Pronto Socorro e o Pronto Atendimento 24 Horas em uma das Unidades de Saúde.

Ainda de acordo com Gobor, a perda do repasse municipal acarretaria na impossibilidade de arcar com os custos do serviço e com os encargos trabalhistas, como férias e 13º salário, da equipe médica, por exemplo. “Sem falar no endividamento do hospital, pois com esses valores que recebemos, não sobra nada; mas acabamos pagando os acordos com fornecedores e salários de médicos e enfermeiros”, pontua.

O diretor técnico do hospital, doutor Ronaldo Tiski, avalia que, se tivesse que dispensar a equipe, por falta de renovação de contrato, e tivesse que formar uma equipe meses depois, teria dificuldades, pois cairia a credibilidade sobre a estabilidade financeira da entidade e as condições de pagamento aos seus profissionais. Tiski salienta que existe uma grande dificuldade em atrair profissionais da medicina para o interior do Estado.

O hospital também mantém um programa de contribuição espontânea, em que voluntários assumem carnês para depósitos mensais de valores a partir de R$ 5 para a manutenção da entidade. Voluntários desse programa de contribuição conseguem também obter descontos em serviços, como exames, e em internamentos, quando opta por leito particular.

Prefeitura de Rebouças vai manter o repasse de R$ 100 mil para o hospital

Comentários

Enquete

Você acha que existe um grande número de pessoas que recebem aposentadoria sem ter contribuído o suficiente?

  • Não
  • Sim
Resultados