Irati e Região / Notícias

11/05/19 - 12h56 - atualizada em 12/05/19 às 13h15

O papel da mãe na vida dos filhos

Conheça a história de Gisele Garzuzi, que teve filhos aos 13 e 17 anos. Ela é nossa homenageada neste especial do Dia das Mães

Paulo Henrique Sava, com reportagem de Tadeu Stefaniak

Gisele Garzuzi, de 25 anos, com os filhos Wellton Pietro Schereiber Garzuzi, 7, e Antonio Marcos Schereiber Garzuze Junior, de 11 anos

O Dia das Mães será celebrado neste domingo, dia 12. Nesta época do ano, algumas histórias nos levam a reconhecer o verdadeiro papel de uma mulher na vida dos filhos. Gisele Garzuzi, de 25 anos, moradora de Fernandes Pinheiro, foi mãe muito jovem, tendo seu primeiro filho aos 13 anos. Quatro anos depois, ela teve o seu segundo filho. Ambos têm necessidades especiais e exigem muita atenção da mãe.

Antes de morar em Fernandes Pinheiro, Gisele residiu com os pais em Irati e no IBAMA com os pais Dilmara e José Luiz. Depois, ela começou a se relacionar com o primo Antônio Marcos Schereiber  Garzuzi aos 12 anos. A família não aceitava o relacionamento, mas mesmo assim, ambos decidiram morar juntos. Um ano depois, o casal teve o primeiro filho, Antonio Marcos Schereiber  Garzuzi, atualmente com 11 anos. A mãe conta que o bebê começou a apresentar problemas com oito meses. “Ele tinha febre alta e convulsão e voltou a ser um bebezinho”, comentou.

Conforme Gisele, o menino foi levado para Curitiba, onde recebeu atendimento no Hospital das Clínicas. Depois, com um ano, ele começou a frequentar a APAE de Irati. Os médicos classificam o problema do garoto como “Síndrome de Lee”, uma doença rara que causa deficiência mental. 

Acompanhe os vídeos das entrevistas de Gisele e da Prefeita de Fernandes Pinheiro, Cleonice Schuck, no fim desta matéria

Continua depois da publicidade

PUBLICIDADE

Quatro anos depois, Gisele teve um segundo filho, Wellton Pietro Schereiber Garzuzi, que atualmente tem sete anos. Com oito meses, ele também apresentou os mesmos sintomas do irmão. Isso exige bastante atenção da mãe no período em que os garotos estão em casa. “No período da manhã, o meu cuidado é só com eles. À tarde, quando eles estão na escolinha, eu aproveito para limpar a casa, vou ao posto de saúde, ao Correio, saio com as amigas para fazer uma caminhada ou outra coisa, para não ter depressão mais tarde”, frisou.

Os meninos dependem da mãe para todas as atividades: comer, andar, trocar fraldas, dar banho, e não conseguem falar. “Eles resmungam, mas a gente vê tudo através de um olhar, de um sorriso, no dia a dia”, comentou Gisele.

Prefeita Cleonice Schuck, ao lado de Gisele

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Envie SIM notícias http://bit.ly/CliqueAquiWhatsSuperNajua

Por e-mail: http://bit.ly/2BiE4tC  

Júnior e Wellton frequentam atualmente a APAE de Fernandes Pinheiro e só não frequentam as aulas quando precisam ir ao médico.

Gisele diz que leva os meninos para passear com frequência. O esposo trabalha na lavoura no Pinho de Baixo. Ela dá um exemplo de coragem, fé e determinação, e pede que as mulheres “nunca desistam de ser mães, sempre com um sorriso no rosto”. “Quero homenagear todas as mães, em especial a minha, Dilmara. As mães que nunca desistam, o dia a dia pode ser corrido, mas o Dia das Mães é todo dia, porque não é fácil, mas estamos na luta. É meu orgulho, eu amo ser mãe”, frisou.


Continua depois da publicidade

PUBLICIDADE

A prefeita de Fernandes Pinheiro, Cleonice Schuck, esteve na residência de Gisele e entregou um buquê de flores como forma de homenageá-la. “Que estas flores representem o quanto você é linda e inspiradora para todas nós. Amamos você e que Deus te abençoe e te dê muita força e que continue sendo esta guerreira. Um feliz Dia das Mães do nosso município e da região e que se inspirem na história da Gisele, esta guerreira que temos em Fernandes Pinheiro, e que todas as mães tenham muita força e energia para poder adicionar aos seus lares amor, paz e muita energia positiva para os seus filhos”, finalizou.


Comentários

Enquete

Você acha que existe um grande número de pessoas que recebem aposentadoria sem ter contribuído o suficiente?

  • Não
  • Sim
Resultados