Irati e Região / Notícias

27/10/11 - 16h47 - atualizada em 02/11/11 às 09h28

Por falta de reajuste, servidores municipais podem paralisar em novembro, diz presidente do SISMI

Presidente do sindicato disse que último reajuste concedido ao funcionalismo público municipal de Irati foi em 2009 e decisão sobre uma possível paralisação pode sair em novembro
Reportagem e texto de Rose Harmuch – Edição de Jussara Harmuch Bendhack


Anacleto Santos recebeu a reportagem da Rádio Najuá na tarde de ontem, 27
O presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Irati – SISMI, Vilmar Sebastião dos Santos – conhecido como Anacleto, disse ontem (26) à reportagem da Rádio Najuá que os salários do funcionalismo público municipal concursado não são reajustados desde 2009. A data-base da categoria é abril.

Se dependesse de conversa, o assunto já estaria resolvido. Anacleto comentou que por várias vezes o assunto já foi discutido com representantes do Executivo e ofícios do sindicato foram enviados expondo a situação, mas até agora não houve formulação de proposta de reajuste. Há possibilidade de que uma assembléia geral seja convocada em novembro para que os associados decidam se vão pararalisar os serviços.

Sobre os comentários de internautas usuários do site da Najuá sobre um reajuste que poderia ter sido conferido para alguns cargos em comissão e boatos de que a condução do assunto teria sido tratada de forma velada com exonerações de um cargo, passando para outro com salário maior, Anacleto disse que o sindicato cuida dos interesses apenas do pessoal concursado e ele não sabe dar informações precisas ao que se refere a comissionados.


Número de funcionários da prefeitura de Irati


A diretoria de Contas Municipais do Tribunal de Contas do Paraná, informou à Najuá que a prefeitura de Irati estabelece contrato com 94 servidores comissionados. Informação que está atualizada até o mês de agosto.

De acordo com as informações do Portal Transparência, a prefeitura contrata um total de 1.209 servidores, incluindo os afastados por licença e os professores que tem contrato em dupla jornada. (Informações do Portal obtidas na manhã de hoje)

A respeito da readequação do salário de quase 1/3 dos funcionários, para quem foi instituído o novo Piso salarial de R$ 650, em agosto, o presidente explica que os beneficiados foram os funcionários da classe operacional que não tem data-base e, consequentemente, elevação na tabela. “Com a reformulação do Plano de Cargos e Salários, o operacional [nível] 1 vai passar a receber os reajustes da data-base e avanço na tabela”. Estão nesta categoria, segundo Anacleto, a categoria de auxiliar de serviços gerais e os trabalhadores “braçais”. “Os demais funcionários não tiveram qualquer alteração nos salários”, completa.

A administração municipal prorrogou pelo mesmo período o prazo para apresentação do resultado da Comissão que analisa o Plano de Cargos e Salários, informa Anacleto que confirma ter participado de duas ou três reuniões. “Até o final de novembro deve estar tudo resolvido e uma nova tabela será apresentada”. O prazo se esgota em 20 de novembro.


Ação dos 35% de aumento

O presidente do sindicato entende que até o final do ano a prefeitura terá que pagar o aumento dos 35%, referente à ação movida pelo sindicato contra a prefeitura que se arrasta por 14 anos e que hoje tramita no Superior Tribunal de Justiça - STJ e Supremo Tribunal Federal – STF.

No início de novembro, o procurador do município, Silmar Ferreira Ditrich, mencionou no programa Meio Dia em Notícias da Rádio Najuá, que havia uma previsão de aumento salarial para todos os funcionários e que o anúncio seria feito futuramente. Confira detalhes desta entrevista que também narra os acontecimentos que originaram a ação e os referidos trâmites no “saiba mais”.


Comentários