Irati e Região / Notícias

25/10/11 - 23h56 - atualizada em 26/10/11 às 00h01

Presidente da Câmara de Guarapuava é preso acusado de ficar com parte do salário dos assessores

Ademir Strechar foi preso em flagrante nesta terça-feira pelo Grupo de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e pelo Ministério Público de Guarapuava
Rodrigo Zub

Ademir Strechar tem outras três condenações judiciais
O Grupo de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e o Ministério Público prenderam em flagrante nesta terça-feira, 25, o presidente da Câmara de Vereadores de Guarapuava.

Ademir Strechar, 43 anos, também conhecido na cidade como Ademir da Gelom é acusado de ficar com parte do salário dos assessores. Segundo o Gaeco ele foi preso no próprio gabinete no momento que recebia o dinheiro do servidor Pedro Roque Guimarães. "Ele [Guimarães] procurou o Ministério Público ontem para relatar a situação com o intuito de dar um basta na extorsão, que acontecia desde 2009, segundo o servidor", relata o promotor da Comarca de Guarapuava, Cláudio César Cortesia. 

De acordo com informações extra-oficiais, Guimarães que atua como assessor de gabinete era obrigado a repassar mais de 40% de seu salário mensal de R$ 2.300 ao vereador que ameaçava demiti-lo, caso não cumprisse a determinação.

Os policiais apreenderam também durante a operação, documentos e computadores, que serão usados para apurar se outros servidores eram chantageados pelo presidente da casa legislativa de Guarapuava.

Strechar tem outras três condenações judiciais, sendo uma por furto de sinal de TV a cabo, uma por inclusão de dados inverídicos no sistema do Detran e uma por sonegação fiscal. Por esse motivo, o vereador não terá direito a fiança, pois é reincidente.

Comentários

Enquete

Você acha que existe um grande número de pessoas que recebem aposentadoria sem ter contribuído o suficiente?

  • Não
  • Sim
Resultados