Irati e Região / Notícias

13/09/13 - 14h18 - atualizada em 15/09/13 às 22h09

Projetista diz que trabalho na cobertura do ginásio de esportes deve continuar

Responsável pelo projeto estrutural indica que não é necessário paralisar a obra apesar das fissuras identificadas na montagem de algumas treliças
Rodrigo Zub


A novela envolvendo a construção do ginásio de esportes de Irati teve mais um capítulo na manhã desta sexta-feira, 13. O engenheiro responsável pelo projeto estrutural, Marcio Bonfim, esteve verificando a obra e constatou que existem deficiências na execução dos encontros das estruturas de concreto e metálica.

Bonfim disse à equipe da Najuá, que serão providenciados reforços estruturais e corrigidas as deficiências. Mesmo assim, ele diz que a obra na cobertura do ginásio continua segura e que os funcionários da empresa Stafim não precisam paralisar os trabalhos.

Durante entrevista coletiva na tarde de quinta-feira, 12, o secretário de Urbanismo, Arquitetura, Engenharia e Urbanismo, Flávio André Synderski esclareceu que a prefeitura resolveu paralisar os trabalhos na cobertura da obra, para preservar a integridade de funcionários, da edificação, e com o objetivo de sanar algumas dúvidas por meio de um parecer do engenheiro responsável pelo projeto arquitetônico da nova praça esportiva do município.

As fissuras identificadas na montagem de algumas treliças foram ocasionadas porque ocorreram falhas nas ligações que não foram bem feitas, alega Bonfim.
Ele ainda relatou que foi responsável pelo projeto estrutural. Já os projetos elétrico, hidráulico e de prevenção de incêndio foram divididos e feitos por outras pessoas. “Relato que vistoriamos todos os pilares onde foram encontradas inconformidades nas ligações de estrutura metálica com os consolos dos pilares, causando fendilhamento. Projetaremos um reforço de forma a solidarizar a obra. As fissuras ocorrem pelo fato de haver pequeno área de contato/metal concreto. É necessário reforçar a estrutura para manter a segurança da obra, porém não vejo necessidade de fazer-se escoramento provisório”, disse o engenheiro em seu parecer.

Parecer emitido pelo projetista da obra
Marcio Bonfim- Engenheiro responsável pelo projeto estrutural


Justificativas da empresa

A assessoria jurídica da empresa Stafim diz que houve falha na elaboração do projeto estrutural e de fiscalização da prefeitura, que não teria cumprido o cronograma de verificar a obra mensalmente. A empresa ainda pede que a secretaria de Obras refaça o memorial de cálculo, ou seja, o realinhamento da obra.

Secretário diz que obra provavelmente irá continuar

A reportagem da Najuá procurou Synderski, para saber qual atitude será tomada pela prefeitura diante do parecer do projetista, que indica que as obras da cobertura do ginásio devem prosseguir normalmente apesar dos problemas nas fissuras.  O secretário voltou a mencionar assim como ocorreu na entrevista coletiva que a prefeitura tomou a atitude de paralisar o trabalho da cobertura do ginásio por precaução. “Se o projetista da estrutura está falando que não há problemas, nós vamos prosseguir a obra. Nós precisávamos saber se existe risco. Provavelmente vamos continuar, quero apenas conversar e documentar isso, mas reitero que paralisamos por precaução”, contou Synderski, durante contato telefônico.

O secretário, que é o responsável por fiscalizar a obra, não esteve participando da vistoria realizada pelo projetista na manhã de hoje. Ele justificou que está em Curitiba, em uma viagem que já havia sido marcada anteriormente. Segundo Synderski, o engenheiro civil da secretaria de Urbanismo, Arquitetura, Engenharia e Urbanismo, André Otto, representou o executivo durante a vistoria do projetista.

Ginásio de Esportes José Richa
Vistoria realizada pelo projetista aconteceu na manhã desta sexta-feira


Altura do ginásio


O novo ginásio não foi projetado para jogar voleibol, informou Stafim em seu pronunciamento na Câmara Municipal de Irati. "Esqueça jogar vôlei lá dentro", disse. De acordo com ele, a altura da cobertura prevista no projeto, 8 metros, não é suficiente para a prática de esportes em que as bolas são lançadas para o alto porque as estruturas metálicas, em formato de tesouras, formam uma barreira que não deixa o vão inteiramente livre.
 
No regulamento para os campeonatos de 2013 da Confederação Brasileira de Voleibol, a descrição da altura mínima dos ginásios é de 8 m medida a partir da superfície da quadra, livre de qualquer obstáculo, redes de proteção, equipamentos e acessórios de outras modalidades esportivas. Questionado sobre o assunto na manhã de hoje, o projetista disse que a obra possui 8 m de altura sem obstáculos, altura superior que a exigida para prática de voleibol, em competições nacionais.

Projetista disse que a obra possui 8 m de altura sem obstáculos
Responsável pelo projeto estrutural da obra indica que não é necessário paralisar a obra apesar das fissuras identificadas na montagem de algumas treliças


Comentários