Irati e Região / Notícias

27/11/13 - 16h37

Stafim diz que desistiu de acordo com a prefeitura

Empresário afirma que não abre mão de concluir as obras e relata que não tem mais interesse de conversar com o executivo. Por outro lado, prefeito considera precipitado o pronunciamento do construtor
Rodrigo Zub

“Não tem acordo e não abrimos mão de concluir as obras”. Esse foi o posicionamento do empresário Gelson Stafim quando questionado sobre a situação das obras paralisadas em Irati. Em entrevista à equipe da Najuá o construtor disse que não aceitou os últimos comentários feitos por membros da prefeitura sobre a possibilidade de acordo entre a empresa Stafim e o executivo.

“Até esses dias estávamos dispostos a acatar e aceitar a rescisão da rodoviária e da Praça dos Esportes e da Cultura (PEC), mas aconteceram alguns comentários no sábado, 23, que não gostamos. Se fomos à audiência, ficamos de conversar, agendamos a reunião, estávamos conversando, tem que respeitar até a última instância. Agora, então vamos até a última instância, a não ser que perca os processos. Vai parar no Supremo Tribunal Federal (STF). Acredito que nesse contexto essa administração não conclui obra nenhuma. Única obra que pode ser concluída é o ginásio”, comentou o empresário.

Segundo ele, a empresa continua com seu posicionamento de concluir as obras da rodoviária, da PEC, e do ginásio de esportes. As três obras deveriam ter sido concluídas em 2012 e foram paralisadas neste ano. A única obra que possui contrato vigente é do ginásio de esportes. Essa construção foi interrompida recentemente por ordem judicial. O empresário afirma que três peritos estão analisando a situação da obra e num levantamento preliminar constataram que houve erro no projeto.

“Estamos fazendo todos os cálculos do que precisa ser reforçado. Até onde eu sei a parte da frente, ferragem, só falta ser concretada. Até foi bom que não foi concretado porque existe um detalhe que precisa ser quebrado para aumentar a dimensão, reforçar, porque não ia aguentar a laje. Para você ter uma ideia de como está o projeto”, afirma Stafim.

Prefeito diz que empresário agiu de forma precipitada

Em entrevista à equipe da Najuá no programa “Café Com Notícias” desta quarta-feira, 27, o prefeito Odilon Burgath (PT), considerou precipitado o pronunciamento do empresário. “Ele [Stafim] não conversou comigo, não conversou com a secretária [de Engenharia e Arquitetura de Irati], Lauren [Iantas], apenas soubemos pela imprensa e através de um protocolo recente, que ele menciona que não tem vontade de conversar com o município. Causou estranheza o fato que estávamos conversando bem até a semana passada. Ele não conversou comigo, com a secretária Lauren, e com o procurador Jhiohasson Taborda, que são as pessoas responsáveis”, ressalta o prefeito.

Odilon afirma que o empresário solicitou a revisão de algumas planilhas de serviços e pagamentos liberados, inclusive de outras executadas na gestão passada. “Concordamos e buscamos entendimento no que a prefeitura considera como válido. Pretendemos acertar as pendências dentro do que a gente entende como válido dentro dos contratos”.

O prefeito diz que irá aguardar as conversas com a empresa para emitir a ordem de serviço da rodoviária. A empresa Datha Construção, de Pinhão/PR, já foi licitada para concluir a obra, no valor de até R$ 1,4 milhão.

"Não fechei as portas para empresa", diz Odilon


Odilon também destaca que a município ainda está disposto a prosseguir o diálogo e fechar o acordo com a empresa. “Não fechei as portas para a empresa fazer as últimas tratativas, que demoraram dias, porque você revisar mais de uma vez planilha, medições in loco, nova conversação, não acontece da noite pro dia. São obras complexas, obras que envolvem grande quantidade de materiais, grande quantidade de valores. A empresa não procurou conversar pessoalmente. Protocolar um documento, falar para a imprensa, rede social, não é o caminho para resolver a situação”, questiona.

O município também pretende tomar suas atitudes caso o empresário não aceitar dialogar. “Nós inclusive vamos rescindir o contrato do ginásio. Não vamos ter ligação nenhuma com a empresa. Analisamos de forma tranquila conforme a empresa queria as planilhas, obras que existia pendência de valores. Infelizmente, se continuar dessa forma, vamos até a última instância”, analisa o prefeito.

Ginásio de esportes

Questionado sobre a situação do ginásio de esportes, Odilon disse que os peritos estão trabalhando para emitir um lado mostrando se houve erro de projeto ou execução. Sobre os eventuais prejuízos que a prefeitura terá ao reformular o projeto ou efetuar algum item que não estava previsto, o prefeito relata que o município vai tomar algumas atitudes judiciais para garantir que os responsáveis também paguem pelo erro.

“O município não vai arcar sozinho com um ônus que não é culpa da prefeitura. Os peritos são experientes e a análise será bem objetiva e técnica para descobrir de quem é a responsabilidade do problema constatado no assentamento do telhado do ginásio”, finaliza.


Comentários

Enquete

O Imposto sobre Valor Agregado (IVA) deve ser a base da Reforma Tributária?

  • Não
  • Sim
Resultados