Paraná / Notícias

18/02/12 - 12h56 - atualizada em 18/02/12 às 14h27

Alunos da UEPG levantarão indicadores de 10 municípios dos Campos Gerais

Tema foi definido quinta (16), durante visita ao Tribunal de Contas do Estado, seguida de reunião de trabalho. Universidade é uma das sete instituições de ensino superior estaduais que integram o Plano Anual de Fiscalização Social

Coordenadoria de Comunicação Social do TCE

 
A partir de março, estudantes de diversos cursos da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) vão levantar, junto a dez prefeituras da região dos Campos Gerais, em parceria com o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR), indicadores de gestão pública daqueles municípios. A ação integra o Plano Anual de Fiscalização Social (PAF Social), criado pelo órgão de controle, que envolve sete universidades estaduais, dentro da diretriz de implantar a auditoria social adotada pelo Tribunal para estimular a participação do cidadão na fiscalização do gasto público.

Na quinta-feira (16), estudantes e professores da UEPG tiveram reunião de trabalho no TCE para definir as últimas diretrizes do projeto, ao mesmo tempo em que conheceram a atuação do órgão e assistiram à sessão do Pleno. Recebido pelo presidente do TCE, conselheiro Fernando Guimarães, o grupo explicou que, em paralelo, executará um projeto de capacitação de conselheiros tutelares e que a UEPG está implantando uma linha de pesquisa com foco na auditoria social.

Além do encontro com o presidente, o grupo da UEPG – formado por dois professores e 16 estudantes – foi recebido pela diretora-geral do Tribunal, Simone Manassés, que expôs as atribuições do órgão; pela coordenadora-geral em exercício, Eliane Senhorinho; pelo procurador-geral do Ministério Público de Contas; Laerzio Chiesorin Júnior; pelo diretor de Contas Municipais, Mário Cecatto e pela equipe responsável pelo PAF, que é coordenada pelo analista de controle Djalma Riesemberg Júnior.

 

 

Poder à cidadania

“Acreditamos que a ação de vocês possibilitará gerar informações de qualidade para que os órgãos de controle, não apenas o TCE, mas os conselhos, observatórios e demais entidades sociais, possam ter instrumentos para melhor avaliar as políticas públicas”, disse o presidente do Tribunal. “Não existe cidadania sem informação e vocês estarão dando poder à cidadania”, completou. Ao abrir a sessão do Pleno, Guimarães destacou a presença dos visitantes e comemorou o fato de que o tema da auditoria social foi incluído na grade curricular da UEPG.

O professor Michel Samaha, que coordena o projeto na universidade, destacou a importância da atuação conjunta com o TCE.  “Esse trabalho é, para o mundo acadêmico como um diamante bruto, a ser lapidado, e complementa ações que nossa instituição já vinha adotando”, afirmou.

“O PAF Social é uma oportunidade única para os universitários realizarem um trabalho não apenas como alunos, mas como cidadãos. Esse é o grande diferencial do programa”, afirmou Riesemberg Júnior, gerente do Programa Gestão Pública, ao qual o PAF Social está vinculado.
 

Comentários