Policial / Notícias

29/09/18 - 09h47 - atualizada em 29/09/18 às 14h57

Acusado de matar Ivanilda Kanarski tem pedido de liberdade negado

João Fernando Nedopetalski segue detido na carceragem da Delegacia de Irati aguardando julgamento

Da redação

Ivanilda Kanarski, de 30 anos, foi morta no dia 26 de julho. Ex-marido da vítima é acusado do crime

A Justiça negou o pedido feito pela defesa de João Fernando Nedopetalski, de 36 anos, acusado de matar a esposa Ivanilda Kanarski, de 30 anos, no Parque Aquático de Irati, para que ele pudesse aguardar o julgamento em liberdade. O julgamento do pedido de habeas corpus ocorreu na tarde desta quinta-feira, 27, no Tribunal de Justiça do Paraná, em Curitiba. 

Confira abaixo a íntegra da sentença.

PUBLICIDADE

Na sentença, a Procuradora de Justiça Elza Kimie Sangalli destacou que “a fundamentação da prisão está abalizada em elementos de convencimento trazidos aos autos durante o curso das investigações e não apenas em citações de ordem genérica”. Ainda de acordo com a sentença, a revogação do decreto de prisão poderia gerar “sensação de impunidade na comunidade e descrédito ao Poder Judiciário”.

Por unanimidade, o júri decidiu negar o pedido de habeas corpus. Com isso, o acusado deve aguardar o julgamento detido na carceragem da Delegacia de Irati. A sentença foi assinada pelo desembargador Cleyton Camargo, relator do caso.

A defesa do acusado foi procurada pela nossa reportagem para se pronunciar, mas até agora não obtivemos resposta do advogado.

Crime ocorreu no Parque Aquático. Irmão da vítima também foi alvo de tiros


Relembre o caso

Ivanilda foi morta a tiros na manhã do dia 26 de julho, na frente dos filhos e do irmão Romildo, que também sofreu uma tentativa de homicídio naquele dia.

João Fernando que foi casado com a vítima acabou sendo preso em flagrante por um policial militar que estava de folga e ouviu os disparos. Ivanilda chegou a ser socorrida, mas morreu ao dar entrada na Santa Casa de Irati. No início de agosto, o delegado Paulo César Eugênio Ribeiro entregou o inquérito para o Ministério Público, que apresentou denúncia no fim do mês.

PUBLICIDADE

Na época, o irmão de Ivanilda, Romildo Kanarski, concedeu entrevista a Najuá. Ele afirmou que o casal havia se separado dias antes do crime. O motivo da separação não foi informado.

Conforme o delegado, o acusado deve ser levado a júri popular.

Quer receber notícias locais? Envie whats para 42 991135618 SIM NOTICIAS ou cadastre seu e-mail na newsletter pelo site da Najuá

Comentários

Enquete

Você acha que existe um grande número de pessoas que recebem aposentadoria sem ter contribuído o suficiente?

  • Não
  • Sim
Resultados