Policial / Notícias

28/07/18 - 00h00 - atualizada em 28/07/18 às 10h36

Delegado comenta investigação sobre caso de feminicídio em Irati

Ivanilda Kanarski, de 30 anos, foi morta a tiros no Parque Aquático, na frente dos dois filhos. Marido permaneceu calado em depoimento

Da Redação, com reportagem de Tadeu Stefaniak 

Delegado Paulo César Eugênio Ribeiro disse que autor do crime responderá por feminicídio, que tem pena prevista de 12 a 30 anos de prisão

O delegado Paulo César Eugênio Ribeiro comentou o andamento da investigação a respeito da morte de Ivanilda Kanarski, de 30 anos. De acordo com a Polícia Militar, a vítima foi baleada pelo marido, no Parque Aquático, por volta das 11h30 da manhã de quinta-feira (26), na frente dos dois filhos do casal. Ela chegou a ser socorrida pelo Corpo de Bombeiros e faleceu depois de dar entrada na Santa Casa de Irati.

Ouça a entrevista completa com o delegado no fim do texto

Segundo o delegado, com base nas apurações da Polícia Militar no local do crime, o autor efetuou três disparos contra Ivanilda e acertou dois: um no ombro e outro na lateral do tórax. O casal morava junto e, pelo levantamento realizado pela Polícia Civil, não havia registro de queixa anterior da vítima contra o autor, referente a eventual agressão ou ameaça.

PUBLICIDADE

“Pesquisamos para ver se a vítima tinha algum boletim de ocorrência e não localizamos nenhum boletim de ocorrência da vítima, muito embora tenham outros boletins de ocorrência que podem se ligar, podem ter relação com o fato de ontem [quinta, 26] que vão ser juntados aos autos do inquérito policial, para poder concluir e fornecer mais elementos ao Ministério Público”, informou Ribeiro.

O marido da vítima foi detido logo após ao crime e, acompanhado pelo advogado, esteve diante do delegado para interrogatório (gravado audiovisual), porém, nada declarou. “Ele estava acompanhado do advogado e, por orientação do advogado, não quis relatar nada. Até compreendo a situação dele, pelo fato de que ele estava muito pasmo. Parecia que a ficha não havia caído ainda. Talvez por isso que ele não tenha relatado nada no interrogatório”, disse o delegado.

PUBLICIDADE

O crime ocorreu em local público e à luz do dia, com testemunhas, que ainda serão ouvidas pela Polícia Civil. “Como é um crime que gerou comoção, pela situação que causou na cidade, optei por ouvir essas testemunhas no decorrer do inquérito policial. Até para elas poderem melhorar a condição de saúde, a condição mental delas, em razão do fato”, justificou.

A pistola de calibre 6.35 milímetros, usada para fazer os disparos, estava com o registro vencido e foi apreendida para integrar o inquérito.

Arma usada pelo autor do feminicídio estava com o registro vencido. Munições também foram apreendidas

Nos próximos dias, o delegado deve efetuar um novo interrogatório com o suspeito, a fim de que ele apresente suas alegações a serem acrescentadas ao inquérito policial. “Ele será indiciado pelo delito de feminicídio. É um delito que não é tão novo, mas é o mais recente: é um homicídio qualificado pelo feminicídio, cuja pena varia de 12 a 30 anos de prisão”, explicou Ribeiro. A audiência de custódia deve ocorrer nos próximos dias, conforme determinado pelo Poder Judiciário. “A princípio, ele deve continuar preso aqui em Irati”, revelou o delegado.

Ivanilda Kanarski

“A autoria e a materialidade [do crime] estão praticamente definidos. Por se tratar de uma prisão em flagrante, já é praticamente definida a autoria e a materialidade. Vamos tentar buscar elementos para justificar e procurar a motivação que o fez cometer esse crime. Isso aí é um dado importante para o julgamento”, disse.

O delegado recomenda à população em geral que, sempre que houver alguma desconfiança, indício ou informação sobre um crime, que comunique à polícia. “Nessa situação específica desse feminicídio, acho que é importante lembrar à população, para a pessoa que se sentir ameaçada de qualquer forma, que compareça à Delegacia. No primeiro momento, para registro do boletim de ocorrência e a solicitação das medidas protetivas de urgência”, acrescentou.

Quer receber notícias locais? Envie whats para 42 991135618 SIM NOTICIAS ou cadastre seu e-mail na newsletter pelo site da Najuá

Ouça a entrevista completa do delegado

Comentários

Enquete

Reforma da Previdência

  • Nenhuma das respostas
  • Não deve mexer nos que ganham menos
  • Não é necessária
  • Deve ser ampla
Resultados