Paraná / Notícias

04/09/13 - 09h49 - atualizada em 12/09/13 às 01h10

Vereadora de Ponta Grossa renuncia ao mandato

Ana Maria de Holleben é acusada de simular o próprio sequestro. Nilson Ribeiro irá substituir ex- vereadora
Da Redação, com reportagem RPC/TV

Depois de oito meses chegou ao fim a novela envolvendo o caso Ana Maria. Curiosamente o futuro da vereadora foi decidido em poucos minutos. A votação no plenário da Câmara de Ponta Grossa que poderia culminar com a cassação do mandato da parlamentar não aconteceu. A vereadora encaminhou pedido de renuncia ao cargo 15 minutos antes da sessão marcada para o início da tarde de sexta-feira, dia 30.

A defesa é que Ana Maria está debilitada em função de tratamentos médicos. A vereadora não compareceu a sessão e preferiu não gravar entrevista com a imprensa. 

Na semana que vem, o vigilante Nilson Ribeiro assume a vaga de Ana Maria. Primeiro suplente do PT, Nilson obteve 1.065 votos nas eleições de 2012. Já Ana Maria foi eleita para o seu 3º mandato consecutivo por coeficiente partidário com 2.084 votos.

Esta foi à segunda vez que um vereador pediu renuncia na Câmara de Ponta Grossa. No dia 01 de outubro de 2003, Valter Mauricio renunciou ao cargo.
Ana Maria de Holleben é acusada de forjar o próprio sequestro após a cerimônia de posse no primeiro dia de janeiro, no Cine Teatro Ópera. Desta forma, ela não compareceu na votação para escolha da nova Mesa Diretora.

A vereadora fez um acordo na justiça e não vai responder por falsa comunicação de crime e fraude processual, já que as penas não somariam mais de um ano de prisão. Esta medida está prevista em lei.

Ana Maria foi expulsa do Partido dos trabalhadores no início do mês de junho.

Comentários