Policial / Notícias

09/12/11 - 22h03 - atualizada em 09/12/11 às 22h11

Sogro de Paolicchi confessa participação no crime e revela localização da arma

Além de esconder a arma utilizada no homicídio, o acusado confessou ter transportado Éder Ribeiro, acusado de ter disparado contra o ex-secretário da Fazenda de Maringá

Gazeta Maringá

 
Depois de ter se entregado para a polícia, Valdir Pio, ex-sogro do ex-secretário de Fazenda de Maringá Luiz Antonio Paolicchi, morto no final de outubro, confessou ter participado do crime. Em depoimento prestado nesta sexta-feira (9), o acusado declarou ter transportado Éder Ribeiro, acusado de ter disparado contra a vítima.

Segundo o delegado Nagib Nassif Palma, Pio trouxe Ribeiro para Maringá em uma motocicleta. No entanto, o acusado declarou que a intenção não era matar Paolicchi, mas sim “dar um susto”. Valdir Pio alegou ter feito isto para defender seu filho, Vagner Pio - acusado de ser o mandante do crime - que supostamente estaria sendo agredido e ameaçado pelo ex-secretário, com quem mantinha um relacionamento, vivendo inclusive em comunhão de bens.

“Valdir esclareceu a participação dele no crime, que segundo ele, foi trazer e levar o Éder à Maringá de motocicleta. Ele alega que não sabia que o Éder iria matar a vítima, apenas bater nela. Com o depoimento do Valdir e com a apreensão da arma o inquérito começa a chegar ao fim”, disse o delegado Nagib Nassif Palma.

De acordo com o depoimento, Valdir deixou Ribeiro próximo ao Hospital do Câncer, local escolhido para fazer a emboscada. Depois de deixar Vagner – que visitaria a avó no local - , Paolicchi foi rendido por Ribeiro, sendo colocado no porta-malas do automóvel Fiat Idea. A vítima foi levada para o distrito de Floriano, onde foi executada. Valdir Pio declarou ter seguido o veículo com a moto, apanhado o assassino e o levado de volta para Paranavaí.

Valdir Pio foi levado para a 9ª Subdivisão Policial (SDP) de Maringá, mas não deverá ficar muito tempo preso. “Já pedi para a Justiça o alvará de soltura dele porque não tem motivos para que ele continue preso, já que ajudou nas investigações. O pedido era de prisão temporária, justamente para colher provas”, esclarece Palma.

Arma do crime foi encontrada

A polícia encontrou a arma utilizada no assassinato de Paolicchi na tarde desta sexta-feira (9). O revolver calibre 32 estava enterrado próximo a um rio, a cerca de 10 quilômetros de Paranavaí. O local foi revelado por Valdir Pio, que se entregou para a polícia nesta sexta, em Paranavaí, após ficar sete dias foragido.

Revólver calibre 32 que, segundo a Polícia Civil, foi utilizada para assassinar o ex-secretário de Fazenda de Maringá Luiz Antônio Paolicchi
Segundo o advogado de defesa, José Luiz Ruzzon, o próprio Valdir levou os policiais até o local onde a arma estava escondida. O revolver estava amassado por golpes de martelo e danificado por ácido lançado por Valdir, que tentou apagar as provas do crime. Segundo o investigador João Pinheiro, Valdir chegou por volta das 9 horas acompanhado por dois advogados.

Um mandado de prisão foi expedido contra Valdir Pio no dia 2 de dezembro. Após essa data, ele foi considerado foragido pela polícia. Antes do mandado de prisão, no dia 30 de outubro, Valdir se apresentou na delegacia de Maringá, só que preferiu responder às perguntas apenas em juízo.


 

Comentários