Política e Eleição / Notícias

21/06/12 - 04h01 - atualizada em 22/06/12 às 09h22

Com "chapa pura" e vice definido PV está pronto para a batalha

Convenção do partido acontece na quarta-feira, 27. Neste dia será lançada a candidatura à prefeita de Ieda Waydzik, que terá Augusto Segundo Guerreiro como vice
Da Redação, com reportagem de Rodrigo Zub e Sassá Oliveira


Presidente do PV diz que partido deverá ter "chapa pura" nas eleições 2012
Candidata à prefeita escolhida, vice definido e data da convenção agendada. O Partido Verde (PV) de Irati está praticamente pronto para as eleições 2012, conforme explicou em entrevista no Quadro “Najuá Eleições 2012”, a advogada Ieda Waydzik, pré-candidata da sigla visando às eleições majoritárias.

OBS: Confira no final desta reportagem a entrevista completa com a pré-candidata Ieda Waydzik.


Convenção

Lembrando que a convenção do Partido Verde (PV) acontece na próxima quarta-feira, 27, a partir das 20 h, no Clube Atlético União Olímpico.

Segundo Ieda, foi consenso entre filiados e simpatizantes, o nome de do dentista Augusto Segundo Guerreiro, para vice- prefeito. Perguntada sobre as possíveis alianças com outras siglas, a pré-candidata disse que as conversas e namoros não evoluíram devido à divergência no modo de pensar e tomar certas decisões e opiniões em relação aos outros partidos de Irati.

Por isso, a princípio o PV terá chapa pura tanto na eleição majoritária, assim como na corrida por uma vaga no legislativo iratiense. “Nós acreditamos que a política de Irati deve tomar um novo rumo. Vivemos uma nova onda no Brasil, onde a política deve ser um pouco diferenciada. É preciso que as pessoas definam certas posições. Nós pretendemos assumir essa posição de liderança e de nova opção para o eleitorado e não conseguimos achar eco nos demais partidos. As ideias não se enquadraram”, comenta.

Questionada se a falta de alianças poderia atrapalhar sua campanha, Ieda afirmou que está confiante de que a população irá entender o ideal e as propostas do Partido Verde. Segundo ela, a sigla tem como objetivo criar uma política nova, ou seja, ”sem acordos que modifiquem a intenção de governar pensando em atrair o povo para o poder”.

Elo com a população

Ieda entende que a população deve acompanhar as decisões do executivo com uma participação mais efetiva através dos conselhos como indica a constituição federal, das associações, das APMIs, dos sindicatos e de todos os segmentos dentro da comunidade. “ACIAI, Unicentro, vários órgãos e associações precisam ajudar e estar junto para termos o respaldo da população. A prefeitura não deve caminhar sozinha. Não vamos voltar nossa política para obras materiais, mas para o crescimento de Irati”, entende.

Metas

A pré-candidata diz que o PV tem a ideia de que o político não deve fazer promessas que não possa cumprir. “A gente vai prometer muito trabalho, planejamento, buscar novas indústrias, o desenvolvimento do município, através de várias possibilidades que temos como projetos dos ministérios e do Governo do Estado, mas não se pode fazer promessas em vão, ou que você sabe que não poderá cumprir”, analisa.

Consórcio com outros municípios

Sobre a possibilidade de Irati trabalhar em conjunto com outros municípios para alcançar o desenvolvimento em algumas áreas, Ieda entende que essa possibilidade é viável. “Existem questões que devem ser tratadas a nível regional. Lixo, o consórcio de saúde, por exemplo, que é um grande problema em função da saída de Irati do consórcio. Existe muita reclamação e queixas de pessoas que estão desatendidas. Então temos que repensar e trabalhar em conjunto com outros municípios”, avalia.

Orçamento

Com relação ao orçamento de 2013 que será definido pela atual administração, Ieda entende que isso não vai dificultar o trabalho do próximo prefeito no seu primeiro ano de gestão. Para a pré-candidata a questão orçamentária não causa “dores de cabeça”. Ela justifica sua opinião afirmando que o orçamento pode ser remanejado no futuro dependendo da necessidade. “Nós pré-candidatos não podemos modificar o orçamento de 2013. Até porque ele faz parte do Plano Plurianual, documento anterior a ele, que deságua na LDO. O orçamento pode ser remanejado no futuro. O prefeito pode enviar projetos para a Câmara de Vereadores para alterá-lo”.

Transparência

Manter as informações atualizadas através do Diário Oficial Eletrônico passou a ser uma obrigação pela Lei de Transparência Estadual desde janeiro e os municípios que ainda não tem diários próprios estão sendo obrigados a publicar no Diário do estado. Com relação a este assunto, Ieda destacou que “a transparência é o item fundamental numa política voltada para a população”. Segundo ela, todas as pessoas devem ter acesso e conhecimento das informações, legislação, gastos, contas públicas, orçamento e o encaminhamento de como andam as licitações do município.

A pré-candidata disse que a veiculação de todos os atos do Executivo no Diário Oficial Eletrônico (DOE), é uma maneira de ajudar a população a ficar sabendo sobre as decisões tomadas pelos gestores municipais. “O gestor é um empregado do povo. Obviamente que você deve prestar contas do que está fazendo. Você não entra lá para gerir o próprio interesse. O prefeito deve ver o que as pessoas precisam e cumprir com essas vontades sempre respeitando a consulta popular”, explica. Ela também mencionou que a exigência do DOE é feita por lei e terá que ser implantada em Irati, assim como os pregões eletrônicos, que na sua opinião, seria uma forma de agilizar os procedimentos licitatórios.


Comentários