Política e Eleição / Notícias

26/10/18 - 20h45 - atualizada em 27/10/18 às 10h01

Deputada federal eleita Aline Sleutjes (PSL) visita Irati

Com base eleitoral na cidade de Castro, nos Campos Gerais, Aline recebeu 33.628 votos e foi a primeira deputada federal eleita na região

Da Redação, com reportagem de Rodrigo Zub 

Aline falou sobre seu envolvimento na política e a atual conjuntura do País em entrevista na Rádio Najuá

Impulsionada pelo quociente eleitoral do Partido Social Liberal (PSL), a castrense Aline Sleutjes foi eleita em 7 de outubro com 33.628 votos, o equivalente a 0,59% dos votos válidos em todo o Paraná. Em Irati, foram 139 votos (0,41%). Entre os deputados federais eleitos no Paraná, é a candidata que obteve a menor votação e teve a cadeira garantida pela quantidade de votos obtida pela coligação “Endireita Brasil” (PSL/PTC/PATRI), sobretudo, pela expressiva votação de Felipe Francischini.

Nascida em Castro em 1979, Aline é formada em Educação Física pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e pós-graduada em Gestão Escolar. Em 1998, filiou-se ao PSDB e, em 2000, concorreu pela primeira vez a uma cadeira na Câmara de Vereadores castrense – faltaram 75 votos para que fosse eleita. Quatro anos mais tarde foi eleita para o primeiro mandato, sendo a única mulher e a mais jovem vereadora eleita naquele município. Em 2008, concorreu ao cargo de vice-prefeita.

PUBLICIDADE

Em 2012, foi a candidata mais votada pelo PSDC para o Legislativo castrense. Ainda pelo PSDC, disputou as eleições de 2014 concorrendo ao cargo de deputada estadual. Nas eleições de 2016, pelo PR, foi candidata a prefeita de Castro, quando ficou em 3º lugar, com 9.271 votos (23,5%).

Ouça a entrevista completa com Aline no fim do texto

“Para mim, é uma oportunidade maravilhosa. Faz 18 anos que estou na política, fui vereadora durante oito anos em Castro. Fui candidata a deputada estadual na última eleição (2014); fui candidata a prefeita no meu município e agora essa grande oportunidade em ser deputada do PSL. Um grande momento para o Brasil, de renovação política, de moralização e eu me sinto honrada a ter sido eleita a primeira deputada federal do município de Castro e também a primeira mulher deputada federal dos Campos Gerais”, analisou.

Aline falou sobre como pretende atuar em favor da região dentro da Câmara dos Deputados. “Tenho a certeza de que nossos municípios dos Campos Gerais serão muito beneficiados com meu trabalho, visto que minha preocupação, o meu compromisso, não é só com Castro, mas também com Irati e todos os municípios que precisam de apoio, de estrutura, de condição, de apoio do Governo Federal, projetos, programas e emendas. Nós estaremos aqui”, garantiu.

PUBLICIDADE

Campanha

A deputada eleita afirmou que a campanha eleitoral foi “muito dura” pelo fato de o PSL, que tinha apenas oito deputados no Congresso, não ter fundo partidário, tempo de rádio nem de TV – realidade que mudará nas próximas eleições, agora que o PSL cresceu sua bancada para 52 deputados. “Mesmo assim, obtive votação em 370 municípios do Paraná. Claro, alguns com uma votação muito expressiva e outros com um, dois, cinco, vinte votos, mas que, no montante, me deram condição de ser eleita com 33.628”, ressaltou.

Aline afirmou que percorreu os municípios antes da campanha para analisar a viabilidade da candidatura e observou que cada um deles possui sua especificidade quanto às principais demandas e quanto às suas vocações econômicas, por exemplo. “Um precisa de mais investimentos em segurança; outro, na área de emprego; outros, é saúde; a grande maioria é saúde e educação, obras de infraestrutura. Durante a campanha, pudemos ir anotando e agendando vários projetos, necessidades, demandas dos nossos municípios. Podem ter certeza que, chegando ao Congresso, tomando a posse em fevereiro, começaremos a trabalhar, com a nossa equipe, buscando recursos, condições, programas e projetos que favoreçam a todas essas necessidades”, disse.

PUBLICIDADE

A deputada eleita afirmou que, na campanha, diagnosticou em Irati, junto a seus apoiadores, que uma das grandes demandas do município diz respeito à geração de empregos e da saúde, embora já tenham ocorrido alguns avanços.

“Estive em Curitiba algumas vezes, conversando com os oito deputados estaduais eleitos pelo PSL e hoje estamos montando uma parceria muito forte, de vários estaduais com o meu trabalho como deputada federal, para nós atendermos nossos municípios. Fiquem tranquilos, que não será apenas o trabalho da Aline, enquanto deputada federal. O Emerson Bacil, eleito aqui em São Mateus do Sul, já se propôs a atendê-los, o subtenente Everton, enfim, vários deputados com os quais eu conversei, já se prontificaram em ser parceiros e estar com vocês, atendendo às demandas em nível de Estado”, frisou.

Segundo a parlamentar eleita, a campanha acabou e, agora, é o momento de começar a trabalhar em prol dos municípios, sem retaliações por falta de apoio dos prefeitos neste ou naquele município, ou do governador eleito, durante a campanha. “Não podemos deixar de trabalhar junto ao Governo do Estado porque não fui de base. Precisamos entender que quem é o beneficiado nesse momento é o povo. E ele não quer saber que lado ou que partido ou qual é o grupo político. Ele quer saber como vão ser atendidas as demandas de cada município. Ontem [quarta, 24], já firmei meu compromisso com o Governo do Estado e estarei lutando em Brasília pelas pautas e demandas que o Governo precisar. Aqui, para vocês, vamos trabalhar muito forte, através da parceria com esses deputados estaduais eleitos pelo PSL e estarei lutando em Brasília por vocês também”, garantiu.

PUBLICIDADE

Aproximação com o futuro governo estadual

Aline também já manifestou sua aproximação com o governador eleito, Ratinho Júnior (PSD), e com José Carlos Ortega, cotado para assumir a Chefia do Gabinete a partir de 2019. A deputada federal eleita esteve num evento em Curitiba, do qual participou uma comitiva vinda de Irati, durante esta semana. “Todos tiveram a oportunidade de ouvir os líderes, representando o segmento mulher, deputado federal, estadual, o próprio Francischini e o governador. A junção de forças no jantar demonstrou a participação de mais de 200 prefeitos e mais de 3 mil pessoas estavam lá, entre elas, líderes políticos, vereadores, lideranças do PSL e de outros partidos que também apoiam o candidato Bolsonaro”, disse.

A deputada federal afirmou que o partido tem uma “porta aberta” com o Governo do Estado e assegurou que haverá um trabalho conjunto. “Conversei também com Guto Silva [reeleito deputado estadual], uma peça muito importante dentro do grupo Ratinho e conversei com o Ratinho no evento. Posteriormente, teremos uma agenda para nós dois sentarmos e conversarmos. Mas tanto o Guto, o Ortega e todas as pessoas com quem conversei se mostraram muito felizes com a nossa junção. Teremos portas abertas com o Governo do Estado e eles também terão, em Brasília”, reforçou.

Aline argumenta que ainda não teve tempo para organizar os projetos que pretende levantar no Congresso, pois ainda está em clima de campanha: encerrou a própria campanha com o fim do 1º turno e sua eleição, mas iniciou uma nova, no dia 8 de outubro, a favor de seu candidato a presidente no 2º turno, Jair Bolsonaro (PSL). “Depois da eleição, vamos sentar e projetar”, disse.

PUBLICIDADE

Cooperativismo e agronegócio

Outra reunião de que a parlamentar eleita participou foi realizada junto à OCEPAR (Organização das Cooperativas do Paraná). “Tivemos uma eleição muito importante para a OCEPAR, elegemos 11 deputados da bancada, que vão ajudar muito na questão do cooperativismo e do agronegócio. O Paraná é um estado recordista; precisamos de uma força muito grande em relação às demandas do cooperativismo e do agronegócio e estarei lá também lutando por isso”, observou.

Aline, que é professora, assegurou que defenderá a bandeira da Educação no Congresso, pela valorização dos professores e a melhoria de infraestrutura na área de Educação e investimentos nesse setor.

Conjuntura da política nacional

Na análise de Aline, o segundo turno presidencial reflete mais que uma mera disputa entre PSL e PT, ou direita versus esquerda. Segundo a deputada federal eleita pelo PSL, a eleição de domingo (28) representa, de um lado, a continuidade, e de outro, “a reconstrução, mudança, um redirecionamento”, opinou.

Ela acredita que a suposta “divergência de dados” entre pesquisas divulgadas por diferentes institutos no 1º turno induziram o resultado que, conforme ela avaliou, poderia ter sido diferente. Aline acha que a eleição poderia ter sido decidida já no 1º turno.

Confira a entrevista completa com a deputada federal eleita pelo PSL

Comentários