Política e Eleição / Notícias

26/11/18 - 00h59 - atualizada em 26/11/18 às 01h10

Discussão acalorada entre vereadores marcou sessão da Câmara de Rio Azul

Jair Boni (PSB) e o presidente Edson Paulo Klemba (PDT) discutiram durante a Palavra Livre

Da Redação 

Os ânimos se exaltaram durante a Palavra Livre da sessão ordinária da Câmara de Rio Azul da última terça-feira (22). O espaço é concedido para que os vereadores se manifestem sobre tema livre, não necessariamente relacionado à pauta da sessão, desde que seja assunto de interesse público. O vereador Jair Boni (PSB) e o presidente da Mesa Diretora, Edson Paulo Klemba (PDT), discutiram.

Boni voltou a frisar problemas relacionados ao cascalho, que não está chegando até a entrada das propriedades rurais, especialmente nas entradas para as estufas de fumo, em plena época de safra.

O vereador reclamou que há, da parte do presidente da Câmara, uma espécie de desmerecimento em relação aos requerimentos e indicações apresentados por seus colegas. “Percebo aqui, do nobre vereador Edson Paulo Klemba, que quando ele pega a Palavra Livre aqui, só falta nos mandar não pedir mais trabalhos. São dos Poderes distintos: o Executivo lá [na Prefeitura]; aqui [na Câmara] estamos no Legislativo. Essa é a nossa função, de cobrar. Parabenizo teu trabalho dentro da Câmara, foram feitas bastantes coisas boas, mas tenho que te cobrar, que quando estamos fazendo um trabalho de vereador, aqui não tem que se defender prefeito. Se as coisas estivessem às mil maravilhas, ninguém viria nos cobrar”, cutucou.

PUBLICIDADE

Boni também acusou Klemba de se contradizer em relação ao trabalho dos servidores da Prefeitura. Boni afirmou que o presidente da Câmara, primeiro, teria dito que os funcionários estavam sempre dispostos e, depois, teria reclamado da dificuldade em fazê-los trabalhar.

“Quando uso a Palavra Livre, não é nem a você nem a ninguém aqui a quem me dirijo: é à população. Agora, o senhor me prove que eu falei que estava difícil fazer os funcionários da Prefeitura trabalhar”, desafiou Klemba, em aparte concedido por Boni.

PUBLICIDADE

Além disso, o presidente da Câmara frisou que, há pouco tempo, na própria Tribuna, o vereador Jair Boni teria afirmado que era preciso deixar de lado a manutenção da entrada das propriedades rurais e priorizar as estradas principais. “Acho muito engraçado um pedido que o senhor fez agora, aqui, e aí eu questiono mesmo, porque há pouco tempo atrás o senhor pegou essa Tribuna e falou que tem que abandonar as entradas de casa e fazer as estradas gerais. E agora reverte. Será que sou eu quem está errado ou o senhor?”, questionou Klemba.

“Eu luto pelas estradas; 100% das estradas, tanto as principais quanto as entradas de casas”, respondeu Boni. O vereador prosseguiu dizendo que acha absurdo funcionários da Prefeitura, com dez anos de carreira, tendo que cumprir dez horas-extra para ganhar R$ 1.310 mensais e mais de 20 anos de carreira para ganhar pouco mais de R$ 1,4 mil. “Funcionários da Prefeitura que ganharam gancho e estão há cinco ou seis anos sem ganhar reajuste salarial e estão lutando na justiça para ganhar isso. E também vejo o funcionário Edson Paulo Klemba saindo do serviço dele na Prefeitura para fazer filmagens e postagens”, acusou.

Edson Klemba argumentou que não divulga dia e horário que faz postagens nas redes sociais e respondeu críticas feitas por Jair Boni

“Os vídeos que eu posto, não digo o dia nem a hora que estou gravando. Vou a hora que eu quero e não é o senhor, vereador, que vai me impedir de fazer um vídeo e postá-lo. Agora, quando você subia aqui na Tribuna para defender um prefeito de quem hoje fala mal, eu não sou desse tipo. Não faço esse tipo de politicagem, nem subo em máquina para fazer politicagem, como já foi feito por muitas pessoas, inclusive a sua pessoa”, retrucou Klemba.

O presidente da Câmara salientou que os funcionários da Prefeitura que gravam vídeos são incumbidos dessa função. “Não é para se mostrar, nem para qualquer outra situação”, acrescentou.

“Mais uma coisa, a administração está indo muito melhor do que aquelas pessoas que o senhor defendia na gestão passada, que foi o prefeito que deu o gancho para os funcionários que estão se defendendo na justiça até hoje”, ressaltou Klemba.

Jair Boni criticou algumas atitudes do presidente da Câmara, Edson Paulo Klemba, durante explanação na Tribuna Livre

Escola Vanda Hessel

Constou no expediente o ofício 266/2018, do prefeito Rodrigo Solda (PSDB), em resposta ao ofício 185/2018 – requerimento do vereador Leandro Jasinski (PV) sobre a obra da nova Escola Municipal Professora Vanda Hessel. Ela possui execução de aproximadamente 35% do cronograma até o momento, nos blocos A, B e C (EI I, EI II e EF – Educação Infantil e Ensino Fundamental). Estão cobertos os blocos B e C (EI I e EI II). A empresa executora depende da serralheria para a entrega da estrutura metálica do telhado, o que deve demorar, pela complexidade e tamanho da estrutura, informa o ofício.

A parte de alvenaria e revestimentos estão concluídos. Do piso, falta o polimento e aplicação de resina. Foram iniciados os muros laterais e executada a estrutura para colocação de grade. O prazo atual para a conclusão da obra é 30 de junho de 2019, conforme termo aditivo firmado entre o município e a empreiteira.

Não existe um cronograma para a liberação de recursos, tendo em vista que a obra é paga conforme o avanço de sua execução (medição) e disponibilidade financeira do Ministério da Educação (MEC).

PUBLICIDADE

O Gabinete também encaminhou o ofício 277/2018, em resposta ao ofício 179/2019, mediante requerimento de Jasinski, que solicitou a instalação de caixas coletoras de lixo nas comunidades rurais. Na resposta, o prefeito afirma que o vereador do PV desconhece o sistema de coleta de lixo realizado na área rural há vários anos, com quatro rotas pré-estabelecidas, que percorrem o interior mensalmente.

Quanto às caixas coletoras sugeridas por Jasinski, o ofício também responde que o vereador demonstra desconhecimento sobre o tema, pois o processo para aquisição das mesmas está concluído e o extrato foi devidamente publicado no Diário Oficial. Nos próximos dias, serão instaladas dez novas lixeiras com capacidade de 1,6 mil litros nas comunidades de Água Quente dos Meira, Lajeado dos Mello, Taquari, APA da Serra da Esperança e no Parque da Pedreira, de acordo com o prefeito. O projeto-piloto, que observa as características ideais, como tamanho das lixeiras e frequência das coletas, priorizou Áreas de Preservação Ambiental (APAs), mas deve ser estendido ao restante da área rural.

PUBLICIDADE

“Vejo que, a cada questionamento, além de bravo, o prefeito está ficando maroto nas suas respostas. A indicação que fiz há alguns dias atrás, um pedido de várias pessoas, de vários moradores, sobre a colocação de caixas coletoras de lixo ou de a Prefeitura colocar um recipiente num local adequado, em um ou dois pontos em cada comunidade, que seja na estrada, para a população chegar ali e depositar o lixo reciclável. Porque está tendo muita reclamação”, rebateu o vice-presidente da Casa.

“Pelo que eu sei, tem a empresa que faz a coleta, que tem uma rota traçada, de cada tempo que se passa nessa rota. Às vezes, as pessoas sabem do tempo que ela passa, mas levam o lixo antes. E, com certeza, se tiver um cachorro ou outro animal, ele vai fuçar [o lixo]. Vou me informar melhor sobre o assunto e repassarei na próxima reunião para vocês”, respondeu o presidente da Câmara, Edson Paulo Klemba (PDT).

PUBLICIDADE

PL encaminhado

O gabinete encaminhou o ofício 267/2018, com o projeto de lei do Executivo, que autoriza a Associação do Município de Rio Azul, a Agência de Desenvolvimento das Regiões Sul e Centro-Sul do Estado do Paraná (ADECSUL), a realização de repasse de contribuição associativa anual e dá outras providências.

O ofício solicita a tramitação da matéria legislativa em caráter de urgência, para que, em janeiro de 2019, se iniciem os trabalhos a ela referentes.

Requerimentos

Em requerimento, Klemba cobrou explicações do prefeito solicitando informações sobre o motivo de não ter respondido aos requerimentos e indicações da Câmara Mirim, uma vez que o projeto surgiu com o objetivo de propiciar interação das crianças com os Poderes Legislativo e Executivo.

PUBLICIDADE

Ordem do Dia

Por unanimidade, foram aprovados dois projetos de lei em segunda votação, que seguiram para sanção do Executivo: o projeto de lei 942/2018, de autoria de Jasinski, que inclui no Calendário Oficial de Eventos de Rio Azul o Rodeio Crioulo da Integração, a ser realizado anualmente; e o PL 943/2018, do Executivo, que altera a redação dos artigos 3º e 4º da Lei 714/2013, que dispõe sobre o Concurso Anual de Decoração Natalina.

Nesta semana, deveria ser apreciado em primeira votação o projeto de lei para reformulação da estrutura administrativa básica, da Prefeitura Municipal. Sem os pareceres das comissões, a votação foi adiada para a próxima terça (27).

Sessões solenes

A Câmara de Rio Azul terá sessões solenes, neste fim de ano. A de outorga de títulos de cidadão honorário aos empresários André Armando Malojo e Luís Edson Zuconelli, será realizada na terça-feira, 4 de dezembro, logo após a sessão ordinária. Os dois títulos foram propostos pelo vereador Valdir Siqueira (PR) e concedidos pela aprovação das leis 923/2018 e 926/2018.

A sessão de outorga de menção honrosa aos diretores e funcionários do Lar dos Velhinhos de Rio Azul, conforme o requerimento 056/2018, de Boni, será realizada na terça-feira, 11 de dezembro, também após a sessão ordinária.

Quer receber notícias locais? Envie whats para 42 991135618 SIM NOTICIAS ou cadastre seu e-mail na newsletter pelo site da Najuá

Comentários