Política e Eleição / Notícias

14/06/12 - 15h19 - atualizada em 14/06/12 às 16h00

Entenda como seu voto para vereador é computado

Jussara Harmuch


Termina no próximo dia 30 o prazo para que os partidos políticos realizem convenções a fim de decidir sobre a formação de coligações e para escolher os candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereador nas eleições municipais de 2012.

Você sabia que pode acontecer de seu candidato obter um bom número de votos e mesmo assim não ser eleito? Isto porque para eleger um candidato, o partido ao qual ele está filiado, precisa atingir ou superar o Quociente Eleitoral (QE) que lhê um Quociente Partidário (QP) capaz de eleger um ou mais vereadores.

Os partidos que se unem em coligações terão seus votos somados, ficando mais fácil de atingir os quocientes porque os votos não se pulverizam.


Entenda como são calculados os Quocientes Eleitoral (QE) e Partidário (QP)

Vamos pegar o exemplo das últimas eleições em Irati (2008)

O número de votos válidos para vereador foi de 33.305. Considerando que a Câmara é composta por 10 vereadores, para conseguir uma vaga os partidos (legendas) e ou coligações tiveram que atingir 3.330 votos.

QE - no. de votos válidos: 33.305 ÷ 10 que é o número de vagas = 3.330,5

QP – no. de votos obtidos pela legenda (partido) ou coligação

Exemplo 1: Número de votos válidos obtidos pela coligação PP – PT – PSC – PPS
 
7.275 (votos) ÷ 3.330,5 (QE) = 2.184 (QP)
A coligação conseguiu eleger dois vereadores: Anselmo Edson Wnuk (PSC) com 952 votos e Marcelo Rodrigues (PP) com 1.417 votos.

Exemplo 2: Número de votos válidos obtidos pela coligação DEM - PTB

4.766 (votos) ÷ 3.330,5 (QE) = 1.431(QP)
A coligação conseguiu eleger um vereador: José Ronaldo Ferreira (DEM), com 1.133 votos. Hélio Jacumasso (DEM) que obteve 919 votos, quantidade maior que o obtido pelos quatro últimos classificados, não se elegeu porque o QP da coligação foi menor do que os outros, ficando acima apenas do PDT.

Situação semelhante a de Jacumasso viveram outros candidatos: Mario Cordeiro; Jorge Zem; Robertinho; Ladislao e Wilson Karas. Confira o número de votos que cada um obteve na listagem no final desta matéria.

Você lembra como foi a votação em 2008? Confira no final desta matéria a relação de todos os candidatos a vereador e o número de votos que cada um obteve.

Há quem argumente que o aumento de cadeiras proporcionaria uma melhor distribuição de vagas. Os que são contrários ao aumento defendem que a disseminação da participação está mais atrelada a uma série de outros fatores como consciência e coerência ideológica dos partidos e a submissão destes a uma regulamentação forte, que só será concebida com uma reforma política.

É fato que se uma coligação envolve muitos partidos, outras coligações menos expressivas ou candidaturas puras sofrem porque a possibilidade de concentração dos votos neste grupo é maior. Entretanto, não se pode afirmar que só o aumento do número de partidos ou de vagas a preencher garante a democracia. Nos Estados Unidos, por exemplo, são apenas dois partidos que disputam pleitos, com raras exceções de candidaturas independentes. Nem por isso deixa de ser democrático, pelo contrário, o país se orgulha de ser símbolo da democracia. Inúmeras histórias comprovam esta premissa que já se tornou obstinação para o povo Americano.

O primeiro turno das eleições municipais está marcado para 7 de outubro. Nos municípios em que houver segundo turno, a eleição será em 28 de outubro.

Procurando contribuir para que o eleitor disponha de dados e possa fazer uma boa escolha, a Najuá enviou perguntas sobre questões próprias das cidades do Centro-Sul para todos os partidos, esperando recebê-las respondidas até o dia 30 de julho, para posteriormente fazer a publicação no link especial de eleições no site da emissora.

Confira agora a relação dos candidatos e os votos que obtiveram nas eleições de 2008. Também o número de votos válidos e a quantidade que cada partido ou coligação obteve. (Clique na imagem para aumentá-la e poder vê-la mais nitidamente)













Comentários